[Resenha]: HIV, O PRECONCEITO QUE MATA — de Clério Júnior

Sinopse: Michael é um jovem de apenas 23 anos e só pensa em curtir a vida. Morando sozinho em uma área nobre de Minas Gerais conheceu o lado difícil da vida. Michael trabalhava e sempre dava o melhor de si, até que um dia o desemprego bateu em sua porta e ele vendeu o próprio corpo para sobreviver. Conhecido nas redes sociais do mundo LGBT, Michael começou a fazer diversos programas em um mesmo dia. Ele não acreditava que o pior estava para acontecer com ele. Em um dos programas ele fez bareback e acabou adquirindo o vírus da imunodeficiência humana (HIV). Várias doenças começaram a aparecer e ele entrou em desespero sem saber o que tinha de errado. Ele nem desconfiava, mas, quando descobriu, tudo em sua vida mudou, e dessa vez, para pior. Uma história baseada em fatos reais. 

Eu baixei esse e-book gratuitamente e já ciente que a obra é baseada em fatos reais, o que de fato me instigou, o li. Confira agora a sinopse e o que eu achei de "HIV, O Preconceito Que Mata", obra do autor Clério Júnior, uma publicação independente.

"Porque o que mata é o preconceito..." 

Um relato reflexivo! 

Aos dezenove anos Michael conheceu a ex namorada, e por dois meses eles moraram juntos. Contudo, num dia qualquer, ao voltar do serviço, a flagrou com outro homem na cama. Sua decepção e tristeza foi tamanha, jogando-o num abismo e conduzindo-o numa profunda obscuridade.

"Com o tempo, cheguei a fazer programas homossexuais, novinhos, jovens e coroas, meu book encheu de contatos. Vendia o meu corpo de dia e de noite, e também fazia de graça. Me enfiei em um mundo onde a prostituição, o dinheiro, o prazer, e a abstinência falavam mais alto, um mundo podre e asqueroso, não pelas pessoas, mas sim pelos atos que se passavam ali." (Livro: HIV, O Preconceito Que Mata  de Clério Júnior)




Michael acaba por contrair o vírus HIV, e sem contar sobre a sua doença para a família, inicia um tratamento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento), onde acaba conhecendo Jorge, que é um dos enfermeiros e que, de certa forma, o apoia nessa difícil jornada. Michael, por sua vez, acaba o enxergando com outros olhos. 

"Palavras de encorajamento, força, um sentimento motivacional, era o que Jorge me passava diariamente. Mas eu não passava de um cara com HIV, ele nunca teria olhos para um doente." (Livro: HIV, O Preconceito Que Mata  de Clério Júnior)

O tempo passa e com ele Michael conta sobre sua doença para família. Ao contrário do que ele pensava, acaba por ter a compreensão e apoio de todos.

"Meu desejo é que eu fosse um dos afortunados que não têm quaisquer efeitos colaterais; mas o que não nos mata, nos fortalece. Para quem está tendo problemas com os remédios eu digo que você pense que esta é uma luta íntima! Não desista. Não cedas." (Livro: HIV, O Preconceito Que Mata — de Clério Júnior)

Apesar do apoio recebido, Michael oscila entre o sol e a chuva.

Escrito como um diário datado entre 2015 e 2019, fui conduzida a uma triste realidade. Não se trata de ficção, mas sim da história de vida do autor.

HIV, O PRECONCEITO QUE MATA é um relato pungente. Eu já passei por algo parecido (anos atrás), quando tive câncer. Muitas vezes demonstrava uma alegria e ausência de dor, apenas para amenizar os corações de quem estava ao meu lado e que amo. Talvez seja por isso que consegui sentir com grandiosidade o desabafo do autor, onde a adaptação tem de vir dos dois lados, ou seja, do enfermo e de quem está de fora. Desejo ao autor muita serenidade e sabedoria nessa luta constante, e que a felicidade esteja sempre presente.

O texto é narrado em primeira pessoa, com narrativa de fácil compreensão; a diagramação está boa, no formato padrão digital; e a capa estampa nada menos que parte da história do autor. 


Livro: HIV, O Preconceito Que Mata
Autor: Clério Júnior
Autor: Drama/Biográfico
Publicação Independente
Ano: 2018
Páginas: 134

Abraços literários,
Simone Pesci 
http://simonepesci.blogspot.com.br/

↓↓↓ Serviços Editoriais ↓↓↓

Precisando de capa para e-book, teaser ou book trailer?!

📖 🎬 Solicite um orçamento no e-mail: 
simoniass@hotmail.com



Abraços literários,
Simone Pesci
https://simonepesci.blogspot.com.br/

[Resenha]: Música em Contos — Antologia

Hoje apresento-lhes "Músicas em Contos, Livro 1", uma antologia com contos inspirados em letras de canções (algo que amo muito), e que fui convidada a prefaciar. A organizadora dessa antologia é a amiga e autora portuguesa, Susana Silva. A obra conta com alguns nomes já conhecidos, porém ainda não tem sinopse. Segue abaixo quotes de três contos e, claro, o prefácio feito de coração. O livro entrará para diagramação e, logo menos, será vendido em formato digital. Vem junto conferir! o/




♪♫ Inspirado na canção Good as is was to you, de Lorrie Morgan ♪♫
"Pousou-a com cuidado na cama de água redonda, olhou para ela como se tivesse a decorar as suas partes do corpo e depois percorreu-lhe a pele com beijos. Enquanto o fazia, Mariana só conseguiu dizer duas palavras: - Promessas! Promessas!" (Conto: Uma Nova Vida, de Susana Silva)

♪♫ Inspirado na canção Nothing Else Matters, do Metallica ♪♫
"Quando os raios do sol surgem, eu não quero acordar. Quero permanecer parada ali, fingindo que nada está acontecendo. Como a antiga brincadeira que fazia quando criança, na qual eu fantasiava ser qualquer pessoa, ou qualquer coisa. Até que um dia, meu pai disse que não havia algo melhor do que ser eu mesma. E que nada poderia importar mais do que isso." (Conto: Nada Mais Importa, de Karolyn F. C. Souza)

♪♫ Inspirado na canção The First Day Of My Life, de Melanie C ♪♫
"Ela abriu a porta e sentiu a chuva que começava a cair. Olhou para o céu e o enxergou encoberto de nuvens. Percebeu que o sol, timidamente, se escondia. Pulou as poças de água e viu seu reflexo em uma delas,enxergando o sorriso que há tempos ficara perdido. "(Conto: Meu Recomeço, de Geana Krause)

Amante de literatura e música, senti-me honrada e exultante ao ser convidada para prefaciar essa antologia. Transformar letras de canções em contos é nada menos que uma junção perfeita de talento e dom. Como disse uma vez Florbela Espanca: “Há uma primavera em cada vida, é preciso cantá-la, assim florida”

MÚSICA EM CONTOS é um farfalhar de sentimentos adversos; um conglomerado de textos que salpicam essência, cada qual com sua particularidade e encanto. Trata-se de uma anedota de sabores e dissabores  e, desta forma, entre teor e paladar, o leitor é presenteado com uma linda antologia. Se possível, antes de iniciar a leitura de cada conto, confira a canção e sua letra, a fim de sentir com grandiosidade os textos. Bem-vindos ao universo da vívida partitura!!!


[Antologia]: Música em Contos
Organizadora: Susana Silva
Gênero: Contos/Música
Publicação Independente / Via Amazon
Ano: 2018

Abraços literários,
Simone Pesci
https://simonepesci.blogspot.com.br/

[Resenha]: Tempo de (Im) Perfeição — de Lilian Vaccaro

Eu baixei esse e-book gratuitamente. Trata-se do primogênito literário de Lilian Vaccaro. Agora convido a todos para conferir a sinopse e o que achei de "Tempo de (Im) Perfeição", uma publicação da editora Coerência

Sinopse: Seria muito simples, narrar pra vocês os períodos de primavera, em que sorri, ou corri atrás das borboletas. Seria muito simples, falar que o encanto da vida, se resume apenas em fases felizes. Não são assim os contos de fadas? Eu bem sei disso, afinal, antes de ser uma mulher, sempre fui uma menina. Com sonhos, dentre tantas as outras, e com um punhado de ideologias como ser a garota perfeita. Logo chegaria a famosa fase das paqueras, o primeiro beijo, o casamento. AI MEU DEUS! E se eu não estivesse preparada? E se… a menina que existia dentro de mim, não estivesse pronta pra crescer? Milhões de dúvidas, muitos caminhos a serem seguidos, e a grande expectativa. Eu vou conseguir (sobre)viver com todos esses anseios? Depois de todos esses anos, eu resolvi contar a todos o que eu sei. O que eu vivi na pele, e todos os caminhos que ultrapassei para ser quem hoje, eu sou. Embora espero que esteja ciente que este livro não é uma obra baseada em fatos reais. É mais que isso. Este livro é a minha vida. Ou chame-o de uma bela jornada do casulo, ao primeiro voo da borboleta. Talvez você se encontre nele. Talvez chore com ele. Talvez esteja ainda vivendo o tempo do casulo. Mas quero trazer uma simples e breve mensagem a você; NÃO DESISTA DE VOAR… A VISTA É LINDA! Vamos voar? 

"Porque a lagarta tornou-se borboleta..." 

Uma grata surpresa! 

Lilian é uma garota de quinze anos, que vez ou outra é mencionada nos comentários ardilosos de dona Lorena, mãe de Flávia, sua melhor amiga. E é nessa fase que se inicia a sua desconstrução, fazendo com que ela desbrave horizontes, cursando o magistério e se apaixonando por Robson. 

"Enquanto eu estava perdidamente apaixonada por Robson, ele, aos poucos, foi se apaixonando por outra. E assim o menino roqueiro, fanático por Guns N’ Roses e Metallica, foi arrancado dos meus braços e da minha vida, optando por ela ao invés de mim." (Livro: Tempo de 'Im'perfeição, de Lilian Vaccaro) 




A nova paixão de Robson passou a ser a cocaína, conduzindo-o a uma estrada sem volta. Nesse ínterim, Lilian renasce em uma nova jovem. 

"O que eu não sabia era que a vida iria me ensinar, em cores diferentes, o que de fato é magia. A jovem Lilian aprenderia mais tarde uma lição valiosa: por mais que tenhamos os nossos sonhos, é o destino que determina o futuro." (Livro: Tempo de 'Im'perfeição, de Lilian Vaccaro) 
Em meio a contratempos, Lilian conhece e começa a se envolver com Walter, ex flerte da amiga Flávia, o que faz com que a amizade acabe. Agora, em uma nova vida, ela se torna uma nova mulher. 

"Trabalhar, trabalhar, trabalhar. O gatilho perfeito para se manter alheio a qualquer problema e mancha negra que aparece no tapete da vida. O fim da comilança, o fim dos pensamentos ruis, o fim de todo lamento. Trabalhar não para viver, mas sim para sobreviver em um tempo de imperfeição. "(Livro: Tempo de 'Im'perfeição, de Lilian Vaccaro) 

Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers

Eu adoro me surpreender com um texto, independente do grau de intensidade que ele me desperte. Essa leitura, de fato, me envolveu. 

TEMPO DE (IM)PERFEIÇÃO é um diário pessoal, onde a autora apresenta fatos de sua vida. Escrito de forma singela, entre presente e passado, fui conduzida ao cotidiano da autora. Confesso que me identifiquei com muitos sentimentos que ela descreveu e, de certa forma, curti a positividade e as lições que ela apresenta em algumas situações. Por fim, para quem curte um texto acolhedor, eis essa boa pedida. 

O enredo é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está boa, no padrão digital; e a capa é perfeita, mostrando o antes e o depois de uma lagarta que transformara-se em borboleta. 


[Livro]: Tempo de (Im) Perfeição 
Autora: Lilian Vaccaro 
Gênero: Biográfico/Drama/Romance 
Editora: Coerência 
Ano: 2018 
Páginas: 250

Abraços literários,
Simone Pesci
https://simonepesci.blogspot.com.br/