[Divulgação]: Pátria Chamada Amor — de Marcia Rubim

É com alegria que divulgo o novo trabalho da amiga/autora Marcia Rubim. A propósito, eu conheço a Marcinha já faz alguns anos: ela assina a série "Adeus à Humanidade", um enredo com quatro volumes do gênero sobrenatural/vampiros. Entretanto, agora venho falar do seu novo lançamento, um drama contemporâneo. Confesso que ontem, quando ela divulgou a capa e sinopse, eu estava pelo celular e já havia me apaixonado. Mas agora, vendo essa capa no computador e relendo a sinopse, apaixonei-me ainda mais (P.S: Logo menos estarei dando o meu parecer sobre os primeiros capítulos aqui no blog). EM BREVE o livro entrará em pré-venda, via Amazon. Confira agora a sinopse dessa lindeza. Bem-vindos à Pátria Chamada Amor! ♥♥♥ 

Sinopse: A grande obstinação do capitão Christiano Vicenzo é chegar ao topo máximo da carreira, ou seja, ao generalato do Exército. Para alcançar a sua meta, precisa manter uma vida pessoal e profissional irretocável. Tudo começa a mudar quando ele serve em Niterói e conhece Nina, uma jovem com problemas sociais que ultrapassam — e muito — o que ele idealiza como protótipo de par perfeito. Fascinado pela garota, o militar decide arriscar no relacionamento, mas não imagina que, ao ser convocado para integrar a Missão de Paz no Haiti (MINUSTAH), terá sua história ao lado de Nina tragicamente desviada. Inconformado com os caminhos que o destino escreveu para si, Christiano vai descobrir com o tempo que a maior batalha na reconquista do amor perdido talvez seja enfrentar as mágoas do passado e que a felicidade não segue regulamentos. Um romance sensível e resistente ao tempo, que mostra que até mesmo para servir com dignidade à pátria é preciso que a pessoa por trás da farda esteja em paz com o coração. 

Livro: Pátria Chamada Amor 
(Quando vencer a batalha significa se render) 
Autora: Marcia Rubim 
Gênero: Drama 
Publicação: Independente — Via Amazon 
Capa: Décio Gomes 
Ano:2017

Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/

[Resenha]: Luz & Sombras — de Aldo Costas

Sinopse: Nestes 13 capítulos você encontrará uma pequena amostra do "processo"; de como a arte caminha lado a lado com o cotidiano... De como o tempo nos redireciona para vários lugares e caminhos nunca antes concebidos. Mesmo que sempre tenhamos um plano em mente o "destino" irá sussurrar melodias sedutoras nos nossos ouvidos, ou então irá martelar ideias absurdas na nossa mente. De uma forma ou de outra ele te levará para lugares nunca antes imaginados... Tudo está misturado em páginas sem numerações e rascunhos sem ordem cronológica. Não importa a ordem evolucionária: porque nem o tempo e nem a classificação importam. Tudo o que é preciso saber é que o rabisco mais velho é de 1975 e que o mais recente é de 2013... Da dark fantasy ao protesto urbano. 

Eu recebi essa lindeza dias atrás, do autor Aldo Costas (P.S: Obrigada, Aldo!). Sendo assim, apresento-lhes um trabalho diferente do autor, ou seja, parte do seu portfólio Old School, uma edição limitada publicada pelo Selo Nexus-6 Books. Vem junto conferir a sinopse, um vídeo/apresentação e resenha do livro "Luz & Sombras".


"Porque a arte está nas pontas dos dedos e no balanço do coração"

Literalmente: Uma obra de arte!

Trata-se de um livro recheado de artes. Para quem não sabe, o Aldo é provido de talentos, seja como autor, capista  e claro, também com seus esboços permeados em mensagens: algumas ideológicas, outras poéticas, e tantas outras em forma de protesto. 

(Livro, marca páginas e sacolinha enviados pelo autor)

Neste exemplar o leitor ficará de frente com o processo de criação do autor, onde há diversas artes em técnica mista, grafite, esferográfica, nanquim, lápis de cor, caneta de hidrográfica, óleo, acrílica e esmalte sintético. São pinturas  ou rabiscos, como diz o artista  datados de 1975 à 2013. Ao total são 13 capítulos, todos com título e subtítulo (ambos lapidados com verdade e coração). Os capítulos levam um texto condizente com o que virá a seguir: suas artes. Agora deixarei três quotes, cada qual de um capítulo. Bem-vindos ao mundo de Luz & Sombras!


CAPÍTULO 5
ROSTOS... E SE FAZ A FORMA E A FACE...
"Um retrato é um piscar de olhos"... Uma forma, um detalhe, uma expressão, um olhar. Tudo isso tem que fazer parte de um todo para que esteja se reproduzindo um indivíduo, uma pessoa. Todas têm algo especial e diferente; algo que a destaca das demais na multidão. Única, marcante e pessoal. Para se desenhar rostos é necessário gostar de proporções, de composições e detalhes. Tem que gostar de observar, para tentar reproduzir, mesma que seja como uma lembrança ou como uma caricatura."

CAPÍTULO 6
SOMBRAS... O PRINCÍPIO DA FORMA E DA DEFORMAÇÃO.
"E o caminho foi descrito com traços e ranhuras"... Luz e sombras; os dois lados de uma ilustração conceitual. A vanguarda não exige o conceito e o clássico não exige mudança. Um complexo e determinante ponto de vista. Uma direção que te leva para frente ou para trás. Uma vontade, uma necessidade ou uma paixão. A arte é tudo isso e nada disso. É tão livre quanto o artista pode ser e tão obscuro quanto ele deseja ser. São todos os lados de um mesmo objeto, ou sentimento, ou desejo..."


CAPÍTULO 11
AMNÉSIA MORAL... UM PEQUENO CAPÍTULO DE ALGUMAS VIDAS.
"A mão que impunha a Bandeira indica também a rebelião"...Capas, "flames" e rótulos irônicos. O mundo da arte tem desses dissabores, esses percalços estéticos. Assim poderíamos ver apenas o que queremos ver, riscar o que necessitamos riscar, compreender o que não conseguimos entender. Assim entramos em um novo universo de antiarte, de anticonformismo. Arte ao som dos acordes simplórios e batidas cadenciadas. O subterrâneo das casas em choques mentais. É a trilha sonora do inconformismo e cotidiano. É a arte a serviço da indignação."

O que dizer sobre esse livro?! Na verdade há muito o que dizer... Começando pelo talento do Aldo, algo que observo há tempos: um conjunto de pensamentos, um martelar de ideias cotidianas expressadas em desabafos, nesse caso em figuras/artes. Às vezes com sutileza e um farfalhar poético; outras tantas com agressividade e protesto. Entretanto, o conteúdo deste livro é sentenciado com verdade: um circundar pessoal. Além dos textos e artes, há também alguns contos bem legais, que já foram publicados em algumas antologias. Por fim: só tenho a parabenizar o autor pelo exímio talento, além de agradecer por ter enviado esse lindo presente. A propósito, além do exemplar e os mimos, o Aldo me presenteou também com um grafite meu, na folha em que fez a dedique. S2 E tem mais: ele me citou em agradecimento na última página, pelos contatos (P.S: Aldo, eu que sou grata!).



✔ Para adquirir o livro direto com o autor, clique AQUI
✔ Para adquirir o livro pelo site, clique AQUI


Livro: Luz & Sombras 
Autor: Aldo Costas 
Gênero: Literatura e Arte Brasileira 
Editora: Nexus-6 Books 
Ano: 2013 
Páginas: 240

Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/

[Resenha]: O Trio — de Alane S. A. Brito

Sinopse: Davi achava que seus piores problemas seriam dividir o forte sentimento que ele e seus dois amigos, Nelson e Jordan, nutriam pela mesma menina e tentar tornar a conturbada vida de um deles menos sofrida. Até que ao completarem dezoito anos a pequena vila no meio do nada onde moravam é invadida por homens violentos. É quando começa o maior desafio de suas vidas... Davi e Nelson conseguem fugir com mais alguns e, após se deparar com o sofrimento do amigo, Davi sente-se obrigado a retornar ao palco do grande massacre para resgatar Jordan. Para levarem ajuda aos outros sobreviventes que estão aprisionados, os três terão que juntar forças com seus desafetos, a fazer difíceis escolhas, e acabam descobrindo que, no fundo de suas almas, guardam uma grande garra e coragem jamais experimentados por nenhum deles... Existem erros tão graves que jamais possam ser perdoados? Abriria mão de um verdadeiro amor por causa de uma grande amizade? Descubra nessa história que é uma grande lição de amor, amizade e perdão... 

É com imensa alegria que trago essa resenha. A propósito, observadora que sou e visualizando algumas resenhas dos livros da autora, afirmo que sempre tive curiosidade de ler um texto dela. Eis que a Alane Brito me oferece parceria e envia essa lindeza de livro (P.S: Obrigada, Alane!). Agora confira o meu parecer de "O Trio", um enredo que me tocou de forma profunda, uma publicação da editora Novo Século  Selo Novos Talentos.


"Porque o perdão pode evitar grandes tormentos"



Um enredo maravilhoso!

A história inicia com Davi Guerrato retornando após dez anos para Valentino Duarte, uma pequena vila no meio do nada  em Goiás , onde viveu até os dezoito anos. Atualmente ele está com vinte e oito anos, e esse retorno foi devido a um acordo que fez com o seu melhor amigo, Jordan. 

"Mal acredito que estou de volta após tanto tempo. Os mais tristes episódios nem parecem que foram reais, que estive mesmo presente... Lembrar-me de cada detalhe e estar aqui novamente me dá a sensação de estar sendo transportado a um estado pleno de euforia. É estranho. É como entrar no cenário de um livro que me marcou. Quase nada mudou. A nossa árvore ainda está igualzinha, até os arbustos logo adiante. Parece que o tempo passou só pra mim. Sinceramente, pensei que alguém já tivesse andado por essas bandas, transformando tudo em pasto para gado, como vi em alguns trechos por onde passei no caminho. Parece que se isso tiver que acontecer, será permitido apenas depois de hoje..." (Livro: O Trio, Páginas 17 e 18) 

E de frente a um rio, Davi se depara com um garoto. O menino o indaga sobre o motivo de estar por lá, pois é um desconhecido  e Davi começa a contar a história da sua vida: uma história adornada em uma verdadeira amizade. Porém, quando um dos amigos (no caso Jordan), é acusado por algo que não fez, todos da vila começam a apontar o dedo, acusando-o de tudo e enxergando-o com outros olhos. 



"Jordan Merkel era o nome da pessoa mais forte que eu conheci. Desde os doze anos, chamavam-no de "leproso". Na verdade, muito do que aconteceu em Valentino Duarte girou em torno dele. É necessário que eu conte sobre os cinco incidentes que o imputaram uma má fama quase irrevogável." (Livro: O Trio, Pág.27)

Os três amigos se apaixonam por Yola, uma linda garota que cresceu ao lado deles. Eles acabam por fazer um acordo, onde quem conseguir conquistá-la, poderá desfrutar do seu amor. Porém, num dia qualquer, chega na vila Leonor Veiga, uma nova garota por quem Jordan se apaixonada e abre mão do acordo. Sendo assim, o acordo fica valendo para Davi, Nelson... e Nícolas, um garoto invejoso, que também cresceu ao lado de todos e odeia Jordan, acabando por apelidá-lo de "leproso". Leonor também se vê interessada por Jordan, mas devido as coisas que fica sabendo, é impedida de ter contato com ele.

"Naquela tarde Jordan daria o primeiro passo, mesmo que involuntário, ao que seria o pior desastre na história da Vila Valentino Duarte. Esse foi o quinto incidente." (Livro: O Trio, Pág. 283)



Jordan é novamente acusado, agora por algo muito grave, o que acaba por colocar sua amizade com Davi e Nelson a prova, restringindo-o a solidão da casa do tio e destinando-o a uma catástrofe. A vila é invadida pelos "Selvagens", onde o líder anseia por vingança. Agora cesso os meus comentários para não soltar mais spoilers.

O que eu disse até agora é pouco: a sinopse revela um pouco mais da história, mas quem se enveredar nesse drama se surpreenderá. Trata-se de um enredo transposto em coração, onde a verdadeira amizade balança, porém não acaba. Eu me compadeci com Jordan, que apesar de não ser o protagonista, tornou-se o personagem principal, com seus defeitos e qualidades, além da sua exacerbada bondade. Assim são Davi e Nelson, garotos que lutam com unhas e dentes para estar ao lado do amigo injustiçado. No entanto, em devido momento, acabam duvidando do mesmo e afastando-se. 

O Trio é uma triste aventura permeada em ensinamentos, onde a amizade, a verdade, o julgamento injusto e o perdão fará o coração do leitor palpitar descompassado. Quem me conhece sabe que não curto enredos detalhistas, que tornam a leitura insossa. No entanto, a autora deu vida a um enredo MARAVILHOSO, onde a narrativa predomina sem ser cansativa, apresentando detalhes que toca o coração. A história é dividida em duas partes, sendo essas de tamanha criatividade e uma delicadeza de encher os olhos. Os personagens secundários são tão importantes quanto O Trio de amigos protagonistas, cada qual com suas qualidades e defeitos  e quando eu pensei que já tinha sacado tudo (algo que em partes aconteceu), vem a Alane e me dá um soco no estômago, apresentando uma nova e inesperada revelação, além da venerável lição. Se eu gostei?! NÃO, EU NÃO GOSTEI. EU MEGA, ULTRA, MAX AMEI! S2 E digo mais: "Eu leio até mesmo a lista de compras da Alane." o/ rs

O enredo é narrado em primeira pessoa, com diálogos e narrativa de fácil compreensão; a diagramação está com espaçamentos e fontes em bom tamanho, adornada em papel Pólen Soft (o amarelinho mais claro), e apresenta lindas ilustrações; a capa é bonita, estampando o cenário do enredo com três sombras, ou seja, Davi, Jordan e Nelson. Por fim, para quem curte um LINDO e ENVOLVENTE enredo, eis essa belíssima pedida. Agora, mais do que nunca, quero ler tudo da autora. o/


Livro: O Trio
Autora: Alane S. A. Brito
Gênero: Drama/Romance
Editora: Novo Século  Selo Novos Talentos
Ano: 2012
Páginas: 512


Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/

[AudioBook]: Confusão Mental

Ei, amigo leitor... Você curte terror? Se a resposta é SIM, então clique no link abaixo e confira o áudio de um dos contos que faz parte do livro "O Jardim das Rosas Submersas", da autora Susy Ramone, lançado esse ano pela editora Coerência (para adquirir o livro, clique AQUI). A propósito, a Susy é uma das autoras do cenário literário nacional que eu mais curto. o/ Vem conferir!


✔ Para conferir o áudio, clique no link abaixo:
https://soundcloud.com/susy-ramone/confusao-mental


Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/