[ALERTA]: E-BOOKS GRATUITOS

DEZESSEIS, A ESTRADA DA MORTE e CONTANDO A CANÇÃO estão no 0800, op's, gratuitos nos dias 11 e 12/02 (domingo e segunda-feira de Carnaval). Lembrando que mesmo não tendo o aparelho Kindle para leitura, basta baixar gratuitamente o aplicativo no seu smartphone, tablet ou computador (deixarei o link abaixo). Bem-vindos à estrada da morte e ao universo da vívida partitura!!! 📚 🎶 😘


Para baixar os e-books gratuitamente, clique AQUI.
Para baixar o aplicativo para leitura gratuitamente, clique AQUI.

Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/

[Resenha]: CORTE DE ESPINHOS E ROSAS — de Sarah J. Maas

Sinopse: Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar um feérico transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... Ou Tamlin e seu povo estarão condenados.
Essa lindeza de série foi enviada pela amiga Josy Borges (do Blog/Canal do YouTube: "Eu leio, e você?), como presente de aniversário💘💘💘 Agradeço o belíssimo presente e convido a todos para conferir a sinopse e o que eu achei sobre "CORTE DE ESPINHOS E ROSAS", o primeiro livro da série que leva o mesmo título, escrito por Sarah J. Maas, uma publicação do grupo editorial Galera Record. Vem junto! o/

"Porque, ocasionalmente, há de se pagar com o coração..." 

Um enredo maravilhoso! 💘💘💘 

No passado os humanos foram escravos dos Grão-Feéricos. No entanto, seis rainhas mortais ofereceram um tratado que foi concedido, onde uma muralha invisível foi construída, separando-os: o Norte do nosso mundo passou a ser dos GRÃO-FEÉRICOS; e o Sul dos HUMANOS.  

"Mas o lobo apenas... me olhou, a mandíbula manchada de sangue, minha flecha de freixo despontando, banal, de seu flanco. A neve começou a cair. O lobo olhou, e com um tipo de atenção e de surpresa que me fizeram disparar a segunda flecha. Só por precaução — para o caso de aquela inteligência ser do tipo imortal, malicioso." (Livro: CORTE DE ESPINHOS E ROSAS, Pág. 14)




Feyre tem dezenove anos. Ela é a filha caçula de uma ex família rica, sua mãe morreu quando criança e, agora, ela mora com o pai e duas irmãs numa pequena e desconfortável cabana. Com os pés no chão e sabendo da atual situação, se arrisca caçando na floresta, a fim de alimentar a todos e, vez ou outra, conseguir algum dinheiro vendendo a pele de suas caças. O pai e as irmãs fazem dela escrava, imaginando ainda viver uma vida de riqueza e status. Porém, ao caçar o que imaginava ser um lobo, ela acaba quebrando o antigo tratado. 

"— Disposta a aceitar seu destino tão facilmente?  Quando apenas o encarei, o feérico disse:  Por ter a coragem de sugerir onde eu deveria matar você, vou lhe contar um segredo, humana: Prythian deve reclamar sua vida de alguma forma pela vida que tirou. Então, como representante do reino imortal, posso estripá-la como um suíno ou... você pode atravessar a muralha e passar os restos de seus dias em Prythian." (Livro: CORTE DE ESPINHOS E ROSAS, Pág. 45)

As Terras Feéricas de Prytian é regida por sete cortes: Primaveril, Estival, Outonal, Invernal, Crepuscular, Diurna e Noturna. Tamlin é o Senhor Grão-Feérico da Corte Primaveril, além de amigo do feérico disfarçado de lobo que Feyre matou. Reivindicando a morte do feérico, Tamlin leva a garota humana para viver em sua mansão. E diferente de tudo que lhe fora contado, ela passa a viver uma vida de conforto e regalias, conhecendo a verdade, além dos perigos e alegrias de tal mundo mágico. Desta forma, destemida e corajosa, ela enfrenta até mesmo Tamlin e o seu melhor amigo, Lucien, onde descobre que há uma magia ruim em Phrytian, uma magia que poderá cessar com os humanos e predominar o mundo com os feéricos. Feyre e Tamlin sentem-se atraídos, acabando por se envolver.

"Éramos um emaranhado de braços, pernas e dentes, e arranquei as roupas de Tamlin até que estivessem no chão, e depois arranhei sua pele até deixar marcas nas costas, nos braços. As garras de Tamlin se projetaram, mas foram dolorosamente carinhosas em meu quadril conforme ele deslizou entre as minhas coxas e se banqueteou em mim, parando apenas depois que estremeci e me desfiz." (Livro: CORTE DE ESPINHOS E ROSAS, Pág. 257)

Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.

Quem me conhece sabe que sou uma ávida leitora de drama/romance, mas vou dizer... Como é maravilhoso sair da zona de conforto. EU FIQUEI PERDIDAMENTE APAIXONADA por esse enredo!!! 

CORTE DE ESPINHOS E ROSAS é uma fantasia cativante e bem construída, com personagens apaixonantes. Trata-se de uma trama onde o improvável torna-se provável. Feyre é uma humana com os pés no chão e provida de coragem (queria eu ter apenas 30% de sua coragem); e Tamlin é de aplaudir, além de perder o fôlego. Os personagens secundários são de grande importância, especialmente Lucien, um feérico de outra corte que, no momento que mais precisou, foi acolhido por Tamlin. Os capítulos finais são um sopro mágico, descortinando mais a bravura de Feyre. O final deixou um gancho maravilhoso. A propósito, já estou lendo a sequência e SUPER AMANDO (P.S.: Logo menos teremos resenha). 

O livro é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está boa, com espaçamentos e fontes adequadas, envolta em papel pólen (o amarelinho); e a capa é divina, estampando o título em maior resolução, além de um colorido atrativo com arabescos de rosas. Por fim: "Eu leio até mesmo a lista de compras da Sarah J. Maas. o/



Livro: CORTE DE ESPINHOS E ROSAS (Livro 1)
Autora: Sarah J. Maas
Gênero: Romance/Fantasia
Editora: Galera Record
Ano: 2015
Páginas: 434


Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/

[Resenha]: Fragilidade, Paracosmos — de Alec Silva

Sinopse: Um simples esbarrão e o paracósmico Abrão vislumbra o destino de Daiane, até então uma completa desconhecida. Intrigado com seu suicídio, ele resolve descobrir mais sobre os motivos e causas e, após obter detalhes de sua vida, parte em busca de vingança. Mas não pelo suicídio. "Fragilidade" é um novo capítulo de "Paracosmos", a saga de fantasia sombria sobre um grupo de crianças e adolescentes marcados por traumas e dotados de poder, uma combinação perigosa e delicada, assim como qualquer emoção. 

Eu me deparei com esse e-book para baixar gratuitamente e, sem pestanejar, o baixei. o/ Eis que, por mais uma vez, tenho uma belíssima surpresa. 🌷🌷🌷Agora convido a todos para conferir "Fragilidade, Série Paracosmos", obra do escritor Alec Silva, uma publicação da Ex! Editora. Vem junto! o/

"Porque calar-se é um bem frágil..." 

Um conto tocante! 🌷🌷🌷

Abrão é um jovem que leva consigo um poder paracósmico, vislumbrando passado e futuro. E, ao esbarrar com Daiane, se depara com o que acontecerá. A jovem mora com os tios e os primos desde que perdera os pais, e passa a sofrer bullying devido a mentiras que são contadas a seu respeito. 

"Um simples toque e tudo muda. Basta um esbarrão casual, minha pele tocar outra, e eu sei sobre o passado e o futuro de alguém. Ou até onde vai o futuro. No caso de Daiane, o futuro se estenderia por mais uma hora, sete minutos e quarenta e dois segundos. Não mais e não menos." (Conto: Fragilidade, de Alec Silva)


SIM! Abrão sabe o que Daiane está prestes a fazer. Além do bullying, ela sofre um abuso sexual. Foram três jovens conhecidos que cometeram tal atrocidade seguida de ameças, afirmando que mostrariam as fotos tiradas durante o ato.

"Em pé, diante do corpo pálido devido aos cortes profundos nos pulsos, meu plano de vingança se formava conforme elucidava melhor as causas. O esbarrão na rua, enquanto ela passou por mim apressada, segurando com firmeza um pequeno pacote, os olhos inchados de tanto chorar, os pensamentos suicidas pulsando e gritando em sua mente, havia me dado muito material, mas agora era diferente, era mais lúcido, mais minucioso." (Conto: Fragilidade, de Alec Silva)

Abrão não se conforma com tal atrocidade e junto de uma colega  digamos assim  também provida de um poder paracósmico, se vinga dos jovens covardes.

"Meu tom de voz foi relativamente alto e atingiu os ouvidos certos. Ninguém era culpado pelo suicídio, mas muitos eram pelo sofrimento causado." (Conto: Fragilidade, de Alec Silva)

Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.

O escritor deixa claro que não pegou carona com o sucesso de "13 Reasons Why" (Os 13 Porquês), obra de Jay Asher (adaptada como série pela Netflix), e também o “jogo” Baleia Azul. Mas ele afirma que ambos o inspirou no processo de escrita deste conto, e posso dizer... APLAUSOS, pois ele conseguiu abordar tais temas com verossimilhança e profundidade. Eu li o conto numa tacada, na ida e volta de mais uma consulta à minha psiquiatra (veja o quão propício foi o momento... rs). E por sofrer com alguns distúrbios citados na trama, estando em tratamento desde o final de 2016, compreendi o conto com maior intensidade.

FRAGILIDADE é um grito no escuro, um denotar apreensivo, onde muitos leitores podem se identificar. Eu, particularmente, me identifiquei. o/ Não se trata apenas de um conto, mas sim de um farfalhar infindável de razão e consequência, ou melhor, crime e castigo. Eu marquei tantos trechos, pois pareciam ter saído da minha mente. Contudo, aqui na resenha, inseri apenas três quotes que levam a narrativa de uma triste história. A trama vai além disso... Vai por mim! Eu gostei muito!!! o/ Por fim, para você que curte o gênero e está a fim de uma leitura rápida e de sobrecarga emocional, eis essa belíssima pedida. 🌷🌷🌷

A trama é narrada em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, no padrão digital; e a capa, além de bonita, é instigante e condizente com a trama. P.S: Já baixei gratuitamente outros contos dessa série e, logo menos, trarei as resenhas.


Conto: Fragilidade  Série Paracosmos
Autor: Alec Silva
Gênero: Drama
Editora: Ex!
Ano: 2017
Páginas: 35


Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/

[Resenha]: AMOR SERENO — de Vivi Peixoto

Sinopse: Pela primeira vez, Ann Bittencourt tem a oportunidade de tomar suas próprias decisões. Uma gravidez inesperada na adolescência a levou casar-se muito cedo e sair da casa dos pais antes de alcançar a maioridade. O casamento, sempre turbulento, chega ao fim após quinze anos, deixando-a emocionalmente fragilizada. Em busca de uma história nova e incentivada pelo pai, Ann transforma o hobby de muitos anos em uma loja de artesanato em Vale Novo, uma charmosa cidade interiorana, deixando para trás a metrópole caótica em que vivia com o ex-marido. Com seu negócio próprio florescendo e novos amigos surgindo, Ann, aos trinta e dois anos e junto com Rebeca, sua entusiasmada filha de quinze, começa a recuperar sua autoestima. O que não esperava era conhecer Oliver, que nasceu e cresceu em Vale Novo e, mesmo sendo gentil e atencioso, também é calejado por seu passado. Com sua personalidade serena, Oliver espera pacientemente que a amizade nutrida por ele e Ann se torne algo mais Ann não estava à procura do amor e Oliver havia desistido de amar. O que acontece quando a vida os une inesperadamente? 

É com alegria que apresento-lhes o primogênito literário de uma amiga, a Vivi Peixoto💘💘💘 Trata-se de um romance fofo, que está disponível em formato digital (para adquiri-lo, clique AQUI). Agora convido a todos para conferir a sinopse e o que eu achei de "AMOR SERENO", uma publicação independente. 

"Porque há de esperar a serenidade te encontrar..." 

Uma grata surpresa! 💘💘💘

Ann Bittencourt tem trinta e um anos e acabou de se divorciar de Jonas, seu primeiro e único relacionamento, com quem teve Rebecca, a filha de quinze anos. Mãe e filha viveram por anos uma relação conturbada com o marido/pai, permeada em ofensas e tantos outros males. Desta forma, ao lado da filha, ela se muda para Vale Novo, uma cidadezinha do interior.


"Ainda receosa, Ann colocou a chave na fechadura, virou e escutou o click da lingueta abrindo. Rebecca, ansiosa para entrar, girou a maçaneta antes mesmo que sua mãe conseguisse tirar a chave da porta, e entrou na loja." (Livro: AMOR SERENO, Cap.1)

Ann adquiriu uma lojinha onde venderá suas confecções artesanais, e na parte de cima do estabelecimento, fixou moradia com a filha. Aos poucos mãe e filha se estabelecem e, em Vale Novo, faz novos amigos. 

"Ann tentava ao máximo não olhar para Oliver, mas mesmo assim, seus olhares sempre se encontravam. Ela não sabia ao certo se ele estava sempre olhando para ela ou se era coincidência mesmo. Não podia evitar o sentimento inquieto toda vez que os seus olhos se cruzavam, receosa que Oliver interpretasse isso como uma paquera silenciosa." (Livro: AMOR SERENO, Cap.6)

Oliver Tanner tem trinta e dois anos. Ele é advogado e possui um restaurante em frente à loja de Ann. No passado foi noivo por duas vezes, porém não se casou. Contudo, aos poucos, começa a enxergar Ann com outros olhos. 

"— Eu gosto de você.  Ele a olhou pela primeira vez.  Estou esperançoso que um dia você vá me dar uma chance. Quero que você leve as coisas que eu disse em consideração. Quero ser honesto com você. Queria que soubesse que não vou ter filhos e que meu pai nunca foi um bom modelo. Você vai acabar ouvindo alguém contar sobre o tipo de homem que ele era, e acho melhor você escutar de mim primeiro." (Livro: AMOR SERENO, Cap.10)

Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.

Mais importante do que ler uma linda história é saber que ela foi escrita por uma amiga. Antes mesmo de conferir, sabia que leria um enredo enternecedor, pois a amiga/autora é uma ávida leitora, o que agrega para a construção de um texto. 

AMOR SERENO é uma trama que fala sobre entrega, com protagonistas que passaram por tempestades bruscas e que aprendem, em doses homeopáticas, direcionar um sentimento vigente. Ann e Oliver são apaixonantes, e alguns personagens secundários também  principalmente Rebecca , que acaba tornando-se a cereja do bolo. Trata-se de uma história de amor que me fez íntima (por diversas vezes ansiei entrar no livro), e que leva consigo uma bonita mensagem. Se eu gostei?! NÃO, EU NÃO GOSTEI... EU AMEI! 💘💘💘 E de antemão, afirmo: "Eu leio até mesmo a lista de compras da Vivi!" o/

A trama é narrada em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, no padrão digital; e a capa é belíssima, estampando um regador com margaridas, algo sugestivo e condizente ao conteúdo, onde dia a dia há de se regar o amor.


Livro: AMOR SERENO
Autora: Vivi Peixoto
Gênero: Romance/Drama
Publicação Digital  Independente
Ano: 2017
Páginas: 201

Abraços literários
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/