Das páginas a Telona - Um Amor Para Recordar






Há lá vou eu de novo falar sobre uma história, que sou totalmente apaixonada UM AMOR PARA RECORDAR, original A Walk to Remember de Nicholas Sparks. Já citei essa história brevemente, comentando sobre o casal na matéria “meus casais preferidos na literatura – parte I” quem quiser conferir é só clicar AQUI.

            Dessa vez vou comentar sobre sua adaptação (que é bem antiga). O livro foi lançado em 1999 nos Estados Unidos, e infelizmente, a pouco aqui no Brasil. Já o filme foi lançado em 2002 e em 2003 aqui no Brasil.

            Como eu disse, amo essa história, seja no livro ou em sua adaptação, e olha que as diferenças são muitas, mas o foco da história não muda, então fica impossível não se emocionar toda vez que leio o livro, ou assisto ao filme, é sempre a mesma coisa lágrimas e lágrimas. Apesar de ser uma história bem jovem, o modo como é contado, o modo como os personagens acabam se relacionando, como um aprende a amar e viver com o outro nos faz perceber que independentemente de idade, aquele que aprende a amar, aquele que recebe essa dádiva em sua vida, vai levá-la para sempre consigo.




Agora vou comentar algumas diferenças entre o livro e sua adaptação, tentei ao máximo evitar os SPOILER’s para que não se perca a surpresa para quem ainda não teve a oportunidade de ler ou mesmo assistir o filme. Espero ter atingido meu objetivo. De qualquer forma, quem assistiu e não leu, o façam o e mesmo vale para o oposto, nesse caso livro e filme meio que se completam.



A principal diferença entre livro e filme é a época em que é retratada a história, para quem não sabe Nicholas escreveu essa história inspirado em uma irmã sua que viveu algo bem parecido na realidade. Então ao escrever o livro, ele conta a história na década de 50, então alguns acontecimentos que para nós parecem coisas bobas, na época era tido como rebeldia, o que me faz gostar muito do livro. Ver como realmente mudamos muito (eu ainda prefiro a juventude daquela época, acho que eles sabiam viver, se rebelar e curtir a vida muito melhor e de forma mais saudável que a nossa de hoje, e mesmo assim viviam perigosamente, rs). 

Já no filme a história se passa mais na atualidade, pensando na época em que foi produzido (e lembrando que já se foram mais de 10 anos ai). Então algumas coisas precisaram mesmo ser mudadas, senão não teria atraído o público alvo, então basicamente as atitudes dos personagens são bem diferentes pensando na época em que “viveram”.

Outra diferença entre os dois, é o inicio da história, não quero me aprofundar muito, pois para quem não leu e não viu o filme, não perder toda a surpresa, mas o começo é totalmente diferente, e aqui meu voto vai para o filme, pois é bem mais emocionante!

Já a ultima mudança que irei citar, aqui meu voto fica com o livro. Quase no fim da história, numa das cenas principais, realizada na igreja (alguns sabem do que estou falando), a forma como é descrita no livro, é especial, é emocionante, nos faz ficar arrepiados e emocionados tamanha a riqueza dos detalhes, descrito pelo Nicholas e a forma como tudo aconteceu, já no filme a cena é mais comum, mais casual, claro que nos emocionamos também, mas não chega aos pés da cena do livro, com certeza. Nota mil para a cena!

Claro que como em todas as adaptações, muitas coisas foram mudadas, outras cortadas e outras novas acrescentadas, mas a essência da história permaneceu e acho isso o importante, e como já comentamos, creio que se a história ficasse com aquele ar de década de 50, para o ano que foi gravado o filme, teria sido um fracasso total, então as mudanças foram necessárias.



Agora falando nos atores, é certo que eles não são idênticos aos personagens no livro, mas é impossível não amar esses dois e depois de ter visto o filme e ler novamente o livro, toda cena imagina exatamente Mandy Moore e Shane West, alguns podem até não gostar, mas eu amo esse casal de paixão, achei que eles deram vida maravilhosamente aos personagens e de um jeito todo especial. Claro que nos apegamos mais ao Landon do livro, afinal ele é quem narra a história, então estamos o tempo todo pensando o que ele pensa e sentindo o que ele sente. Em uma das cenas (no livro) eu precisei parar um pouco de ler, tamanha era a intensidade do que ele sentia e eu não conseguia parar de chorar, ai não enxergava mais nada, é verdade. Já no filme, a intensidade não diminuiu. A cena que ele está no carro, triste, chateado e frustrado com a vida, me deixou tão mal, eu chorei tanto que pensei que iria bater o carro junto com ele, rs. Então independente de Landon no livro ou filme, os dois são perfeitos, conseguirão me transmitir exatamente tudo da forma como estavam sentindo e isso foi perfeito. Já Jamie eu fico bem dividida, algumas cenas prefiro a Jamie do livro em outras do filme, eu entendo ela ser como é, toda doce, ingênua, mas em alguns momentos parece algo forçado, não natural dela, então a Jamie do filme, alguns momentos mais “direta” me faz gostar mais da personagem. Mas deixo claro que o casal em si é perfeito, a história deles uma lição emocionante e torcemos por eles o tempo todo.


Sinopse do livro: 
“Cada mês de abril, quando o vento sopra do mar e se mistura com o perfume de violetas, Landon Carter recorda seu último ano na High Beaufort. Isso era 1958, e Landon já tinha namorado uma ou duas meninas. Ele sempre jurou que já tinha se apaixonado antes. Certamente a última pessoa na cidade que pensava em se apaixonar era Jamie Sullivan, a filha do pastor da Igreja Batista da cidade. A menina quieta que carregava sempre uma Bíblia com seus materiais escolares. Jamie parecia contente em viver num mundo diferente dos outros adolescentes. Ela cuidava de seu pai viúvo, salvava os animais machucados, e auxiliava o orfanato local. Nenhum menino havia a convidado para sair. Nem Landon havia sonhado com isso. Em seguida, uma reviravolta do destino fez de Jamie sua parceira para o baile, e a vida de Landon Carter nunca mais foi a mesma.”

 

Confiram o Trailer do filme:

 


A trilha sonora do filme, na minha opinião é perfeita. Ajuda a completar a história maravilhosamente. 

  1. "Dare You To Move" - Switchfoot
  2. "Cry" - Mandy Moore
  3. "Someday We'll Know" - Mandy Moore, Jon Foreman
  4. "Dancing in The Moonlight" - 2001 Remix Toploader
  5. "Learning To Breathe" - Switchfoot
  6. "Only Hope" - Mandy Moore
  7. "It's Gonna Be Love" - Mandy Moore
  8. "You" - Switchfoot
  9. "If You Believe" - Rachael Lampa
  10. "No One" - Cold
  11. "So What Does It All Mean?" - West, Gould & Fitzgerald
  12. "Mother, We Just Can't Get Enough" - New Radicals
  13. "Cannonball" - The Breeders
  14. "Friday On My Mind" - Noogie
  15. "Empty Spaces" - Fuel
  16. "Only Hope" - Switchfoot

Agora confiram o clipe da música CRY de Mandy Moore, que faz parte da trilha sonora do filme e foi gravada com Shane West. 

 

 Nossa ficou uma matéria imensa, mas não tem como não falar muito desse livro/filme, como devem ter percebido é minha grande paixão. Espero que vocês gostem também, e comente a opinião de vocês.

 UM MEGA BEIJO FÊ!





0 comentários:

Deixe seu comentário