Resenha do Livro - Jogos Vorazes de Suzanne Collins

Jogos Vorazes - Suzanne Collins 


Fazia muito tempo em que não sentia dificuldade ao me expressar sobre um livro, tamanha é a intensidade do que se sente ao ler Jogos Vorazes, é difícil assimilar tudo o que acontece e se expressar de uma forma justa e sem citar detalhes demais, afinal tudo o que vocês vão querer ao ler esse livro é sentir o que sentimos, então preciso tomar muito cuidado para não dizer detalhes que façam vocês perderem a surpresa e a emoção ao ler. Vamos lá.



            “...Ele conta a história de Panem, o país que se ergueu das cinzas de um lugar que no passado foi chamado de América do Norte... O resultado foi Panem, uma resplandecente Capital de treze distritos unidos que trouxe paz e prosperidade a seus cidadãos. Então vieram os Dias Escuros...” página 24.

            Os Dias Escuros, é a revolução dos distritos contra a capital, uma foi extinta e as 12 que sobraram tiveram que aceitar novas leis para garantir a paz entre os distritos restantes e a Capital, e para lembrar a todos que não deveriam pensar numa nova guerra contra a capital e para mostrar a que deveriam aprender com sua traição ao tentar derrubar a capital, surgiu assim como forma de lição os Jogos Vorazes.

            Esses jogos servem como forma de punição para que todos os distritos lembrem-se do poder possuído pela tirânica Capital.

            Os Dias Escuros acontecerem a 74 anos, e após esse acontecimento, uma vez por ano, todos os anos, cada distrito deve mandar um rapaz e uma moça, entre 12 e 18 anos (chamados tributos) para uma área isolada que chamam de Arena, para lutarem por suas vidas, na qual dessa Arena somente um sai vencedor.

            E é nesse contexto que conhecemos os personagens. Aos poucos nos é contado a vida de Katniss, sua infância, como foi obrigada a amadurecer muito rapidamente, como conheceu Gale seu melhor e único amigo, seu confidente e companheiro de caçadas. Peeta o rapaz do pão, que quando criança a salvou da morte ao enfrentar sua mãe e jogar um pão a Katniss para que ela não morresse de fome.

            Tudo o que Katniss mais ama na sua vida é Prim sua irmã, e ela está disposta a tudo para protegê-la de todo e qualquer mal, o que ela não esperava era que o nome de sua irmãzinha fosse o chamado na colheita, o nome que iria enfrentar mais 23 tributos na Arena até a morte. E então Katniss se oferece como voluntária, mas ela também não esperava que o tributo masculino, seria aquele que ela tem uma divida e agora como matar alguém que um dia a ajudou?

            Daí em diante tudo se passa rapidamente, os treinamentos, conhecer os adversários, enfrentar as câmeras, a população da capital, as mudanças que ocorrem com os tributos e finalmente os jogos.

            Por aqui eu paro, não me atrevo a dar mais nenhum detalhe, é preciso ler esse livro com o máximo de surpresas possíveis, ele é capaz de nos deixar ser ar, quando vemos somos obrigados a relaxar um pouco, porque todo nosso corpo esta travado de tamanha tensão, nossos sentimentos parecem verdadeiras e gigantes montanhas russas, e não conseguimos identificar qual sentimento supera outros. Choramos, sentimos as dores, nos angustiamos, nos sentimos incapacitados...

Torcemos pelos personagens, por suas vidas, cada momento é crucial e definitivo, cada passo equivale a viver ou morrer e cada morte nos aproxima mais da dor e do alivio, são sentimentos e pensamentos conflitantes, todos interagindo dentro de nós mesmos e tudo ao mesmo tempo. Em alguns momentos fica difícil saber para quem torcemos, quem queremos que saia dessa Arena com vida, em outros tudo o que queremos é estar lá, na Arena e poder lutar como todos os outros. Parece mesmo que a nossa vida está em risco, e a cada passo dado, ela se aproxima mais do fim.

            Ele descreve muito bem os personagens. Katniss é a garota quente, mas com uma força descomunal e não digo somente da força física, é a garota que tem medo, mas que enfrenta tudo e todos, é uma garota confusa e que não consegue compreender muito bem seus próprios sentimentos. Em alguns momentos fico muito brava com Katniss, e me pergunto: - Qual o problema com essa garota? Rs. Mas são vários, afinal ela está lutando pela sobrevivência.

            Já Gale é aquele que faz nosso sangue ferver, é aquele que transmite a força, a coragem, o que está sempre disposto a começar mesmo uma guerra e nunca abaixa a cabeça diante de nada, nem mesmo da morte, o que pensa na situação com foco, mas somente com a razão.

            Peeta; já é o bom moço, o centrado em ajudar, o gentil, doce e especial ao modo como trata Katniss, aquele que tudo o que desejamos é estar em seus braços, e não resta duvidas quanto ao Peeta ter virado o meu “herói” preferido entre todos os livros, estou mortalmente apaixonada e sofro imensamente por ele em vários momentos.



            Tudo o que queremos é consumir essas páginas o mais rápido possível, terminar com a tortura (boa), ao qual nos submetemos a entrar com todos eles na Arena, sem saber o que vai acontecer, qual será o fim de tudo isso?!

            Então fiquem com

JOGOS VORAZES...

... E QUE  A SORTE SEMPRE ESTEJA COM VOCÊ!



Beijos Fê!


0 comentários:

Deixe seu comentário