Resenha do Livro - A Menina que Roubava livros de Markus Zusak



A Menina que Roubava livros - Markus Zusak 


Maravilhoso e emocionante. Mais um livro de tirar o fôlego do começo ao fim, e capaz de arrancar sorrisos em alguns momentos e lágrimas em outros, e porque não dizer os dois ao mesmo tempo.
            Quantas vezes me surpreendi rindo e chorando, ao mesmo tempo com essa leitura surpreendente?
            Eu gosto muito de histórias que acontecem nos períodos de guerras, principalmente quando se tratam das grandes guerras, e claro que muitas vezes já sabemos o que vai acontecer, muitas dores, morte, muito sofrimento, quase nada de bom. E na maioria das vezes é isso mesmo o que acontece. De qualquer forma, ás vezes gosto sim desse tipo de leitura. Como já disse algumas vezes por aqui, o que me faz amar ler um livro, é exatamente fugir um pouco da nossa realidade, é me transportar para um outro mundo, um outro lugar, mas em outros momentos, eu gosto de ler aquilo que ainda me faz manter o pé no chão, aquilo que me lembra de que preciso sim, a todo momento, continuar vivendo em minha realidade, é ai que entram esses livros.          
            Como esquecer tudo o que sabemos das grandes guerras? Tudo o que foi vivido? Tudo o que foi sofrido? O que me faz sentir bem ao ler livros assim é pensar que pessoas assim existiram, histórias parecidas podem ter acontecido. Então eu estou sendo apresentada a alguém que fez parte do nosso mundo, da nossa realidade.

            E em A Menina que Roubava Livros somos apresentados a Liesel. Desculpem não posso falar de Liesel, toda uma apresentação seria errônea, e chegaria muito longe da realidade, a única coisa que posso falar dessa menina que me encantou, é de seu amor inocente pelos livros, neles ela encontrou uma forma de esquecer sua dura realidade e viver um pouco de forma mágica – olha isso ai! Será por esse motivo que tanto me apaixonei por Liesel?rs. Provavelmente.
            Liesel é uma menina que tem toda a sua vida, todo o seu mundo mudado e abalado por causa da guerra, mas não se enganem não se trata somente de guerra, se trata de mais. Trata-se de vida, de lutas, de amores, de superações. O livro é intenso e cheio de reviravoltas.

            Uma das coisas que mais me surpreendeu? A narradora do livro, que caso pensem que é Liesel, estão enganados, a narradora é muito mais surpreendente e porque não dizer assustadora também. É de dar medo!
            Outra coisa que me surpreendeu muito, principalmente por eu ter gostado, foi o fato de que a narradora nos conta muitos fatos do livro, antes mesmo que eles aconteçam e isso ao contrário de acabar com toda a surpresa, faz com que queiramos saber como eles acontecerão, ou seja, as surpresas não deixaram de acontecer, só a forma com que é escrita.
            O autor foi perfeito, a forma como ele escreve. Como descreve os personagens e o desenvolvimento de toda a história, e claro sempre a inovadora narradora, nos faz perceber que é impossível parar de ler. 
            Deixo claro que devido a muitos detalhes, pode-se em alguns momentos ser uma leitura um pouco cansativa, mas duvido muito que quem ler o livro até o final não vai se surpreender por ter gostado, afinal o livro tem sim alguns momentos mais calmos, quase parados, mas em quase todas as páginas somos surpreendidos por algo novo. E o personagem de Rudy, que também dispensa apresentações, vem para nos dar uma parte cômica – e muito emocionante – no livro.
            Espero que tenham gostado da resenha e tenham ficado curiosos pela leitura –afinal o intuito era esse -, rs.
            E senão fosse pela história maravilhosa que nos é contada, valeria pelas lições de valores que estão intricadas no livro. É maravilhoso.

 Fiquem com Liesel A Menina Que Roubava Livros. Porque:

Quando a Morte conta uma história, você deve parar para ler.
 

Beijos Fê!



0 comentários:

Deixe seu comentário