Comentários sobre livro - Trilogia NÃO PARE!, de FML Pepper


Quando a Fer me falou sobre um livro em que a autora brincava com a morte, fiquei muito curiosa em saber qual sua estória. A cada dia a curiosidade aumentava mais... Até que comprei NÃO PARE!
Para minha tristeza, não podia ler muito, por ser em e-book; era torturante ter que parar de ler e sair correndo pra não perder hora no trabalho ou na faculdade. A estória me envolveu a um ponto, que acordava até mais cedo e ia dormir mais tarde só para ler um pouco mais. Com NÃO OLHE! foi diferente. Tive a sorte de poder ler tudo em um dia. E olha que não sou muito chegada em e-book's.
A ideia inicial era eu fazer uma resenha; achamos interessante mostrar a opinião das duas resenhistas sobre o mesmo livro. Eu estava fazendo isso, até perceber que fiz algumas anotações e precisava compartilhar meus comentários.
Para quem ainda não viu, aqui estão as resenhas da Fer: NÃO PARE! e NÃO OLHE!
Para quem não leu os livros ainda: Cuidado! Spoiler!
Vou separar os comentários por livro. Assim cada um lê aquilo que melhor lhe convier.


NÃO PARE!
Esse vou separar em duas partes. Minhas opiniões mudaram bruscamente...
ANTES DO TEATRO
Logo no primeiro capítulo fiquei intrigada com as pupilas da Nina. Por quê são verticais? Por que não sabe nada sobre seu pai? Por que sua mãe é tão preocupada e se muda tanto?
Meu primeiro pensamento foi: algo relacionado a demônios! =) Seria bem legal... Mas me lembrei que se tratava da morte. Aí minha teoria foi por água abaixo.
Quando Nina e Stela embarcam de Amsterdã para Nova Iorque, nossa protagonista está ouvindo Evanescence...
Pronto! A Pepper conseguiu unir três coisas que amo: um livro que trata do sobrenatural e a trilha sonora é rock! Só faltou chocolate...
Voltando à estória... os "quase acidentes" da Nina me deixaram muito curiosa. Primeiro: ela descobre que Richard (dono dos olhos azuis-turquesa, ou duas safiras; assim que Nina os descreve) é quem ela vê depois de sobreviver. Segundo: As outras que tem a mesma coisa (desmaiam antes dos incidentes) começaram a morrer.
O bad boy pra mim é uma incógnita: como tentar matá-la e salvar ao mesmo tempo? O Kevin tem razão: ele é estranho e tem que tomar cuidado.
Entre o anjo de olhos verdes e o "vilão" de olhos azuis, fico com o personagem celestial (se bem que a Kawasaki Ninja é um sonho, e seu estilo é de deixar qualquer uma suspirando; mas seu egocentrismo é insuportável).
DEPOIS DO TEATRO
Se a morte tivesse um resto, como seria? E qual o seu nome? Já imaginou seu anjo da guarda? Repense seus conceitos!
A histeria de Stela me deixou muito pensativa. Ela ficou muito, muito nervosa ao ver Kevin; mas até onde eu sabia, Rick havia tentado matar Nina.
Sério, depois que Stela morre, minhas percepções mudaram da água pro vinho! Comecei a ver melhor as atitudes de Rick, e descobri que o crápula era o "príncipe encantado". Senti muito dó da garota... Acabara de ficar sozinha no mundo e estava sendo perseguida por sei lá quantos; a maioria, tentando matá-la. E para piorar, aquele que tentava prometer proteção, acabava decepcionando ou "traindo-a".


— Por que não me mata logo? — rosnei.— Porque... Merda! — trovejou com violência, fuzilando-me sem compaixão com suas penetrantes safiras. — Não consegue enxergar o que fez comigo? Você será a minha desgraça, garota! — rugiu, e, antes que eu pudesse rebatê-lo, jogou a faca longe, me apertou contra seu corpo suado, segurou meu rosto com uma força descomunal e me deu um beijo avassalador. Sua boca na minha, sôfrega, desesperada, selvagem. As fagulhas entraram em combustão. Fogo. O meu corpo ferveu. Minhas terminações nervosas explodiram de prazer. Minha nossa! Aquilo era um beijo de verdade!



NÃO OLHE!
O segundo livro já "começa" com Rick e Nina em Zyrk. Ele cantando Wish You Were Here, do Pink Floyd, pra ninar Nina... Foi lindo! Um sonho... E seu desespero (um pouco antes de fazê-la dormir) quando achava que ela estava morrendo quase me fez chorar.
Conhecer um pouco dos reinos de Thron, Storn e Windston foi, no mínimo, curioso. Em Thorn foi bem interessante. Nina ficava no quarto ao lado do de Shakur. Quando ela entra, vê o vaso e sente um cheiro familiar, eu podia jurar que ela iria reconhecer o cheiro de Stela e pensar que o líder daquele clã é seu pai. E ainda quero saber o que o mensageiro entregou...
Em Storn foi mais tranquilo, tirando alguns atos estúpidos de Kaller; ainda bem que havia John por lá. E , sinceramente, não pensei que Rick fosse aparecer no pântano. Ele conseguia me impressionar com cada ato e cada palavra.
Já em Windston foi tudo muito fácil e agradável. Nina conheceu Wangor, seu avô; e ele gostou dela, queria protegê-la. Pena que o clã foi atacado. Queria ver um pouco de felicidade pra nossa protagonista que já havia sofrido muito.
O único clã que Nina não visita é Marmon. Tenho a impressão de que lá as coisas seriam bem tensas.
Na maior parte do tempo o casal está brigando. Parecem não se entender. Na minha humilde opinião, é por causa do último pacote de balas de café (aquele da loja de doces, quando se viram e se estranharam pela primeira vez)... Nina não deve ter superado e Rick nunca pediu desculpas.
A parte na Floresta Fria não me deixava respirar normalmente; principalmente no final. Stela está viva? O que vai acontecer com Nina? E com Rick? Eles vão ficar juntos? Wangor está vivo?
Quando Rick disse "Eu também te amo, Tesouro", antes de se afastar de Nina para atrasar os soldados que a estavam seguindo, foi muito emocionante.

"1° Constatação: Richard era convencido; 2° Constatação: Ele era Vingativo; 3° Constatação: Ele continuava o mandão de sempre."


"Aquela conversa apimentada estava me enjoando. Náuseas de raiva e ciúmes.  Constatações: 1) Zirquinianos não eram tão insensíveis assim; 2) Richard era um mulherengo; 3) Richard não valia nada, e 4) Eu continuava insanamente atraída por ele."


"Quem era Richard afinal? O vilão com doses de bondade ou o mocinho com nuances de crueldade? O que havia por trás da fisionomia atormentada, suas ações desencontradas e seus sentimentos dúbios? Por mais que tentasse decifrá-lo, cada vez me sentia mais perdida e presa aos seus encantos."
Não consigo imaginar as personagens como aparecem nas capas. Imagino-as completamente diferentes.

Alguns blog's estão fazendo a campanha " Sábado Pepper - Queremos a Trilogia Não Pare! no Papel". Eu concordo plenamente! Adoraria ter a trilogia em minha estante. A única autora brasileira que havia me surpreendido é Rosa Amanda Strausz; mas FML Pepper também é muito boa. Cada qual seu estilo, são incríveis! E sabem o que ficaria melhor? A estória de Nina virar filme! *-*



Por que "Queremos a Trilogia Não Pare! no papel"?


Porque os livros são ÓTIMOS!  A autora é ÓTIMA! E acima de tudo porque a FML Pepper merece. Merece que seus livros sejam publicados e muito mais... Merece reconhecimento, merece a chance de ter seus livros no papel!

Então fica o nosso mais sincero pedido as editoras... Por favor, publiquem o livro físico da Trilogia Não Pare! Tenho certeza que esse é o desejo de muitos leitores.
A Culpa é dos Leitores

Agora é só esperar NÃO FUJA! (a Pepper nos revelou em primeira mão o possível título para o terceiro livro; confira em nossa entrevista) sair no segundo semestre e finalmente poder saber como termina essa maravilhosa estória.




0 comentários:

Deixe seu comentário