Resenha do Livro - O Lado Mais Sombrio, de A. G. Howard


Hoje vou falar do primeiro livro da série Splintered, O Lado Mais Sombrio (Splintered)!
Sempre gostei de Alice no País nas Maravilhas. A primeira versão que conheci foi a animação feita pela Walt Disney, depois li o livro feito pelo grupo; só na adolescência conheci a original: de Lewis Carroll. Também não posso me esquecer do filme feito por Tim Burton, onde Alice volta em sua adolescência ao País das Maravilhas para matar o Jaguadarte!
Quando vi esse livro, fiquei louca. Ler uma versão onde a tataraneta de Alice concertaria seus "erros" seria muito legal! Mas a merda começa na capa: "BEM-VINDO AO VERDADEIRO PAÍS DAS MARAVILHAS". Alguém avisou o pessoal do marketing que o verdadeiro foi escrito em 1862 por Carroll? Não?!? Então deixa que eu aviso! Esse NÃO é o verdadeiro País das Maravilhas!
Então, deixando a capa, que é muito bonita, assim como toda a diagramação interna, vamos à estória. Alyssa, a tataraneta, sofre bullying por causa da história de sua família: a avó cometeu suicídio (pulando da janela de um hospital dizendo que tinha asas) e a mãe está internada em uma clínica psiquiátrica. Até aí tudo bem... Mas Alyssa descobre que uma maldição assombrará sua família até alguém desfazer o que foi feito por Alice. Então rouba a bolsa de uma patricinha pra ir a Londres! Simples assim.
Não. Não é tão simples. Ela só precisava pular em um espelho. O que não esperava é que seu melhor amigo e paixonite infantil iria junto. Sério, até eles pularem na toca do coelho, estava muito legal.
Howard disse que o Coelho Branco é Rábido Branco e se parece com um ET. NÃO! Ele é um coelho! Se Lewis quis assim, assim será. E ponto final!
Continuemos... Jeb, o amigo gato e protetor, acha que bateu a cabeça e está tendo uma alucinação. Passam pela portinha e quase são comidos por umas flores sinistras. Depois disso, Alyssa seca o mar de lágrimas chorado por Alice. Primeira etapa concluída. Depois, mata um monstro e salva uns mariscos. Mais um ponto! 
Aos poucos, se lembra que ia muito a este lugar em seus sonhos na infância. Seu amigo Morfeu, também conhecido como lagarta (ou lagarta drogada, como gosto de chamar), ensinou e treinou-a sobre absolutamente tudo de lá. Só eu fiquei com uma pulga atrás da orelha com aquele bicho mutante?
Alyssa vai fazendo o que é mandado e em certo momento Jeb se declara. Detalhe: ele é namorado na "nojentinha" que foi roubada. Até que se sacrifica por Al. Bem... Nossa heroína dá um jeito de voltar no tempo para que ele nunca pise neste outro mundo, e tenta quebrar a última parte da maldição. Mas nunca teve maldição! Como assim?!? Não posso contar, mas detestei a nova desculpa.
No final, Alyssa volta e salva sua mãe e todos vivem felizes para sempre.
A ideia foi bem legal; se a autora não tivesse transformado o País das Maravilhas em País das Bizarrices, seria mais legal. Mas tudo bem. Minha nota, de zero a cinco, é dois.
Pra quem quiser conhecer mais sobre a série, pode ver AQUI. E esse é o book trailer.

Sinopse: 
Alyssa Gardner ouve os pensamentos das plantas e animais. Por enquanto ela consegue esconder as alucinações, mas já conhece o seu destino: terminará num sanatório como sua mãe. A insanidade faz parte da família desde que a sua tataravó, Alice Liddell, falava a Lewis Carroll sobre os seus estranhos sonhos, inspirando-o a escrever o clássico Alice no País das Maravilhas. Mas talvez ela não seja louca. E talvez as histórias de Carroll não sejam tão fantasiosas quanto possam parecer. Para quebrar a maldição da loucura na família, Alyssa precisa entrar na toca do coelho e consertar alguns erros cometidos no País das Maravilhas, um lugar repleto de seres estranhos com intenções não reveladas. Alyssa leva consigo o seu amigo da vida real – o super protetor Jeb –, mas, assim que a jornada começa, ela se vê dividida entre a sensatez deste e a magia perigosa e encantadora de Morfeu, o seu guia no País das Maravilhas. Ninguém é o que parece no País das Maravilhas. Nem mesmo Alyssa…

Editora: Novo Conceito
Tradução: Camila José dos Santos
ISBN: 978-85-8163-338-1

8 comentários:

  1. Oi Karol, tudo bem? Vou ser bem sincera no meu comentário, mas não me leve a mal, tá? Promete?
    O meu primeiro contato com a história da Alice foi com o desenho da Disney também. Sempre detestei ele, achava chato aquela garota loira e chata fazendo um monte de coisas loucas. Só muito tempo depois que fui descobrir que essa versão da Disney "misturava" os dois livros (o dos espelhos eu ainda não li). Também vi o filme do Tim Burton (adoro!) e achei o apelo visual e a cenografia o máximo, mas não achei o filme essa "coca-cola" toda e também misturou os dois livros (a situação das rainhas Branca e Vermelha e o jaguadarte que teoricamente aparecem no outro livro que como falei ainda não li).
    Quando vi a chamada desse livro o que me chamou a atação foi a capa belíssima e a claro a história, que eu enxerguei parecendo bem sombria e bizarra. O que se vc parar para pensar é o livro de Carroll, bizarro até o último fio de cabelo. Ou vc não concorda? Sempre li que a falta de sentido da história era justamente o sentido contido ali. Sempre achei isso muito difícil de analisar e mais ainda entender. Pelo menos para mim....as vezes pensava nossa, todo mundo ama essa história, tenho que amar também....

    Acho que vc não deveria usar a expressão "aí que a merda começa"..eu acho feio para os leitores, eu como leitora não gosto quando o escritor se expressa assim, opinião minha, tá? Então quando vc fala do "verdadeiro país das maravilhas" eu entendo seu gosto acirrado e apaixonado como fã de Carroll e achando que essa outra autora chegou achando que poderia mudar alguma coisa. Te falo, ela não pode e não mudará. Clássico é clássico e ponto final!
    Eu nem gostei do livro tanto assim, então resolvi falar dele pelo seguinte lado, a diagramação, o tributo que a autora resolveu fazer ao provável autor favorito dela. A descirção que ela deu de tudo. Achei bem bacana imaginar certas roupas e lugares, queria uma versão ilustrada ahahahaha. Se bem me lembro na parte do coelho (rábido) ela pensa ou fala que Alice viu pelos olhos de uma criança..ou como uma criança, algo assim...Então eu achei que a autora criou artifícios para dar uma espécie de "continuada" em toda a situação, com explicações até razoáveis para certas coisas.
    Não sou expert em críticas, nem resenhista (odeio essa palavra as vezes kkkk) mas esse é o livro de estreia dela. Uma vez eu li uma entrevista do Zafón (que eu amo!) dizendo que ele mudaria muitas coisas nos seus primeiros livros, que tinha muitos "erros", mas ele aprendeu com o tempo..amadureceu, quer dizer.
    Também não gostei de umas partes, mas no todo, acho que "dá para ler". E claro, gosto não se discute! Vc não gostou e ponto, não estou aqui para fazer vc mudar de ideia. Eu lerei os outros com certeza. E ah, sempre achei que o país das maravilhas era mesmo bizarro kkkk, então no final das contas acho que tudo depende do ponto de vista de cada um.
    Bjs
    (vamos combinar de ler o segundo para ver se melhora?)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Renata! Tudo bem, obrigada! E com você?
      Prometo não ficar brava e pensar em sua opinião.

      Com menos de um ano ganhei Alice Através do Espelho, mas não entendia muito; crescendo mais conheci o País das Maravilhas. Ambos os livros são fascinantes!
      Também imaginei algo bem sombrio e surpreendente. O mundo de Carroll é sombrio à sua maneira, e fascinante.

      Pra mim, a autora poderia continuar deixando tudo bizarro sendo fiel ao original; assim como o Tim Burton fez. Ele não tentou mudar as personagens.
      Uma versão ilustrada seria muito legal! Poderia imaginar melhor tudo o que aconteceu...

      Temos um acordo! Lerei o segundo com bastante carinho. =)

      Não se preocupe com o tamanho. Estou acostumada com isso por causa das minhas conversas com a Fer.

      Beijo.

      Excluir
    2. Olha eu ai no papo rsrs.

      Meninas confesso que li os dois livros, mas achei tão chato, mas tão chato que não me lembro de mais nada. Mas esse ai da resenha não li não.

      beijos as duas rsrs

      Excluir
    3. O Lado Mais Sombrio é bem diferente dos livros do Carroll... Então tem uma chance de você gostar desse fantástico, mesmo não sendo muito sua praia! =)

      Beijo.

      Excluir
    4. Fê...claro que vc é bem vinda na discussão kkkkkkkkk
      Ai Karol, ainda bem que vc me entendeu ..srsrs.....Fê de repente vc achou chato porque o Carroll é mesmo doido...eu ainda vou ler o livro do espelhos.

      Temos um acordo hein...quando sair o segundo vamos ler para ver se "deslancha"!
      bjs meninas

      Excluir
    5. Obrigada rsrs.

      É pode ser, mas sei lá achei MUITO cansativa a leitura rs.
      Ai eu entrei nesse acordo? kkkk socorro, com tantos livros para ler, não posso adicionar mais esse, meninas liberem ai vai! kkkkkk

      Saudades Rê

      Beijos Fer

      Excluir
    6. Esse meu lado compreensivo é bem recente; mas é muito bom! kkkkk
      Ao invés de reclamar tanto das mudanças da autora, lerei o segundo com mais carinho. Espero que não demore muito pra ser lançado aqui...

      Beijo.

      Excluir
  2. Meu Deus, meu comentário ficou mega giganteeeeeeeeeeeeee....kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    ai meu deus do céu kkkk

    ResponderExcluir