{Resenha} Azul da Cor do Mar - Marina Carvalho

ACASO, DESTINO ou LOUCURA? No caso de Rafaela, Pode ser tudo isso junto. Para alguém como ela, nada é impossível. Rafaela sonha desde a adolescência com o garoto que viu uma vez, perto do mar, carregando uma mochila xadrez... A idéia fixa não a impediu, porém, de ser uma menina alegre e muito decidida. Ela quer ser jornalista, e seu sonho está se concretizando: Rafaela Vilas Boas (um nome tão imponente para alguém tão desajeitado) conseguiu um estágio no melhor jornal de Minas Gerais. Mas, como estamos falando de Rafa, alguma coisa tinha que dar errado. O jornal é mesmo incrível, mas seu colega de trabalho, Bernardo, não é a pessoa mais simpática do Mundo. Em meio a reportagens arriscadas – e alguns tropeços -, Bernardo acaba percebendo, contra a sua vontade, que Rafaela leva jeito para a coisa... E que eles formam uma dupla de tirar o fôlego. Mas e a mochila? E o garoto, o envelope, as cartas? Um dia a estabanada Rafaela vai ter que se libertar dessa obsessão. 

Novo Conceito * 2014 *  334 páginas * Classificação 5/5



Rafa tem obsessão pelo “garoto da mochila xadrez” desde que tinha 11 anos. Hoje com 21 anos, terminando a faculdade e com a futura carreira de jornalista pela frente, ela tem muitas outras coisas com o que se preocupar, mas mesmo assim não consegue esquecer aquele garoto e aquele breve olhar de 10 anos atrás.

Rafa consegue um estágio maravilhoso no melhor jornal de Minas Gerais, mas vai precisar enfrentar um problema enorme se quiser se sair bem.

O problema tem nome, um rosto e um corpo maravilhoso, uma língua ferina e parece não simpatizar com Rafa desde o primeiro momento.

Bernardo é o repórter mais prestigiado da área jornalística investigativa, e por isso recebe a responsabilidade de ajudar Rafa nessa sua nova jornada. Ele detesta a incubência que o deram, e promete fazer da vida de Rafa um verdadeiro inferno até ela desistir do estagio. O que ele não esperava era que Rafa pudesse ser uma ótima profissional e mexer com seus nervos mais do que ele esperava. Ele é tão rabugento com Rafa, que ela da o apelido carinhoso de cria do satã para ele, vocês tem noção de como eu ri muito com esses dois?

Pronto, a batalha está armada. Esses dois vivem brigando, e eu adoro, acho muito divertida as situações de Rafa, e mais divertido ainda que Bernardo acabe sempre salvando ela dos seus tropeços.

Os personagens secundários são maravilhosos, e muito bem delineados, os irmãos de Rafa deviam ter um livro só para eles, gente como eu ri e me apaixonei por aqueles doidos, rs.
A equipe de trabalho da Rafa – tirando Bernardo, claro – também é um amor, dei muitas risadas com eles também.
E claro, temos as amigas de Rafa, bem nem todas muito amigas, porque eu queria mesmo dizer umas poucas e boas para a Gisele, tudo bem que a Rafa tinha sua parcela de culpa, mas nossa que garotinha insuportável essa Gisele, muito assanhada, não serviria com certeza para amiga minha, muito antes do que ela fez. E claro que eu queria dar uns bons tapas no Bernardo também. Humpf!

Olha, sinceramente eu não sei como esses dois conseguiram não se matar no decorrer da história, e tem mais, que dupla mais incrível trabalhando juntos, vocês podem não acreditar, mas mesmo com todas as brigas eles formavam uma equipe investigativa de tirar o fôlego.

E Marina foi incrível ao dar um toque de adrenalina na história, pessoal que aflição que eu passei com a doida da Rafa, que estupidez e que coragem! (vocês vão ter que ler para saberem do que eu estou falando).

E o “garoto da mochila xadrez”? Onde será que ele entra nessa história? Será que um dia Rafa poderá esquecê-lo? Será que ela conseguirá deixar para trás 10 anos de esperança, em que ela sempre esperou por ele e acreditou que ele seria o seu príncipe encantado?

"... Melhor viver de uma ilusão e ser feliz do que encarar a fúria da realidade e me estrepar."

Enfim o livro tem uma pegada bem leve, com menos romance, e mais diversão, claro que a parte do romance é muito fofa, mas eu adoro quando a autora faz isso, e deixa tudo mais leve, colocando personagens secundários que fazem toda a diferença na história. Assim não ficamos tão cansados de acompanhar somente um acontecimento, que gira em torno somente do desabrochar do amor entre o casal. Não em Azul da Cor do Mar, temos muito mais que isso, temos, amizade, amor fraternal, companheirismo, família, e um assunto muito importante: marginalização social.
Eu simplesmente adorei esse toque de reflexão que a Marina muito bem expressou no livro. Ela foi perfeita ao conseguir colocar um assunto mais sério, de uma forma tão leve e mesmo assim nos fazer refletir.
“Para mim aquele trabalho foi uma lição de vida. É engraçado como nos acostumamos com determinadas situações a ponto de parar de refletir sobre elas. Na nossa concepção – pré concebida a partir dos estereótipos definidos pela sociedade -, bandido é bandido, mocinho é mocinho. Bem assim, separados, em lados opostos. Mas a linha divisória entre esses dois mundos é tênue, permitindo outras classificações...”

Eu tenho um sério problema com isso, não que eu saia em defesa de todos os atos errados e criminosos da pessoa, mas pelo fato de sempre exercer trabalhos sociais, e já ter dado aulas em um presídio, sei um pouco como são os dois lados da mesma moeda. E por incrível que parece sei como nossa sociedade pode ser cruel, e esquecer que alguns problemas começam muito antes que o ato errado e praticado em si. Começa antes não só com o nosso governo, mas como toda nossa sociedade que prefere fechar os olhos, a enxergar todos os problemas que nos cercam, sendo assim, é mais fácil apontar um dedo mais tarde e dizer: - Ele já não é mais uma criança e sabia muito bem o que estava fazendo.

Enfim esse é um assunto muito complicado e acho que não cabe no momento, mas eu gostei de ver esse toque de reflexão em um livro tão doce e divertido. Marina é perfeita e merece uma salva de palmas, ela consegue nos conectar á história e nos fazer sentir, pensar, sonhar...

A capa é simplesmente PERFEITA, a diagramação é linda, em todo o livro encontramos detalhes da vida de Rafa como jornalista, um celular, uma carta, um computador, gente é tudo tão fofo, que só de abrir o livro ficamos encantados. A Marina é tão cuidadosa que no inicio de cada capitulo ela coloca trechos de manuais de jornalismo, um detalhe a parte. O livro é mesmo um encanto.

Eu indico esse livro a todo mundo, não tem como não gostar de Azul da Cor do Mar, tem romance, muitas risadas, adrenalina, amadurecimento dos personagens, mistério, tem um pouco de tudo, com certeza um livro que me rendeu ótimos momentos.

E claro não deixem de conferir os outros livros da Marina são todos maravilhosos. 

Confiram o Book Trailer. 

Espero que tenham gostado.

 Beijos 

 
 
 

4 comentários:

  1. Também já li e resenhei esse livro esse viu. Também estou apaixonada pelos livros da Marina. Acabei de comprar De repente Ana pq quero ler Simplesmente Ana e ele seguidos \o/
    Parabéns pela leitura e resenha (apesar dela ter ficado enorme) valeu a pena ler sua opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ni.

      Eu sei já vi e comentei sua resenha também, que inclusive amei.
      Ahhh leia sim, vai amar, eu adoro Marina.

      kkk não tem jeito, escrever pouco é algo que não consigo kkkk.

      Beijosss Fer

      Excluir
  2. Oi Feh,
    Adoro os livros da Marina Simplesmente Ana é minha favorita dela.
    Eu gostei do livro Azul é a cor do mar, os detalhes do livro, o cabeçalho com notas jornalisticas achei muito legal isso, porque você parece que entra mesmo no universo da personagem.
    Eu também não sei como os dois protagonistas não se mataram durante o livros... mas é relação de amor e ódio rsrsr. A escrita da Mariana é assim gostosa eu lembro que eu li esse livro em um dia.
    Nossa foi muito bom mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ceci.

      Realmente os livros da Marina são TOP. Adoro ela.
      O Livro inteiro mesmo é lindo demais.
      É mesmo a escrita dela é especial, e ri muito com esses dois, rs.

      Beijosss Fer

      Excluir