{Resenha} A mediadora, de Meg Cabot




Essa resenha será de toda a série; que, na minha humilde opinião, é um Crepúsculo versão fantasma. Para cada livro haverá a sinopse e alguns dados, mas a resenha será de toda a série; então: cuidado! Spoilers!

Edição: 18ª
Páginas: 284
ISBN: 978-85-01-06871-2
Sinopse: Suzannah é uma adolescente aparentemente comum que tem um problema com construções antigas. Não é para menos. Afinal, muitas dessas casas velhas são assombradas. E Suzannah é uma mediadora, uma pessoa capaz de ver e falar com fantasmas para ajudá-los a descansar em paz. É claro que esse dom lhe traz muitos problemas. Mas nem ela poderia saber a gravidade do que encontraria ao mudar-se para Califórnia.

Edição: 16ª
Páginas: 269
ISBN: 978-85-01-06869-9
Sinopse: Para uma adolescente, trocar de cidade pode ser um trauma. Para Suzannah, a mudança de Nova York para Califórnia está sendo ótima: novos amigos, muitas festas e dois caras bonitões e muito interessantes. Só que um deles é um fantasma. E o outro pode matá-la. Suzannah é uma mediadora, uma pessoa capaz de se comunicar com os mortos e resolver as pendências deles na Terra. A velha casa para onde se mudou com a mãe e o padrasto é assombrada por Jesse, um fantasma jovem e gentil. Como Jesse não liga muito para ela (e, além do mais, está morto), Suzannah se entusiasma com o interesse de Tad Beaumont, o garoto mais cobiçado da cidade. Mas o fantasma de uma mulher, cujo assassinato pode ter relação com um mistério no passado de Tad, a atormenta. E a vida de Suzannah pode estar ameaçada. Ser adolescente é complicado. O que dizer de uma garota que precisa dividir sua atenção entre a própria vida e a morte dos outros? 

Edição: 12ª
Páginas: 268
ISBN: 978-85-01-06870-5
Sinopse: Suzannah é uma adolescente como outra qualquer. Bem, quase...Ela tem um pequeno segredo: é uma mediadora. Fala com fantasmas e os ajuda a descansar em paz. Um dom um tanto incomum para ser divido com os colegas, irmãos e até mesmo com a mãe. Mas de uma pessoa Suzannah não conseguirá esconder seu segredo. Gina, sua melhor amiga de Nova York, está na cidade passando uns dias com ela. Durante sua estada, quatro adolescentes morrem num acidente de carro. E Suzannah se vê obrigada a abrir mão de seus dias tranquilos com a amiga para ajudar as almas penadas.

Edição: 12ª
Páginas: 271
ISBN: 978-85-01-07347-1
Sinopse: Neste volume da coleção, Suzannah esta de ferias e começa à trabalhar como babá em um hotel chique, pois seu padrasto lhe dá duas alternativas: trabalhar, ou receber aulas particulares.Lá, ela conhece Jack, um mediador e Paul,seu irmão, um garoto muito estranho que logo se apaixona por Suze. Porém não é correspondido.Suzannah tem que trabalhar e fugir das cantadas de Paul.Numa noite, Suzannah é acordada por um fantasma de uma mulher, a ex-noiva Maria de Silva do seu namorado Jesse, e ainda exige que a construção de uma piscina nos fundos da casa de Suzannah seja interrompida imediatamente e isso faz Suze pensar em o que esta escondido lá. Será o corpo de Jesse? Suzannah em nenhum momento descarta essa possibilidade. Mas se for isso mesmo? E se solucionarem o seu assassinato e Jesse finalmente passar para o outro lado? Como será que isso vai terminar? Para nossa querida mediadora, problemas e aventuras é o que não falta.E sera que Jack fara as escolhas certas? O amor entre Suzannah e Jesse ira aguentar a todas as coisa que acontecerão?

Edição: 11ª
Páginas: 239
ISBN: 978-85-01-06838-5
Sinopse: Suzannah passou o último verão no Pebble Beach Hotel and Golf Resort. Não, ela não estava hospedada com os ricaços. Em vez disso, tomava conta dos filhos deles. Foi assim que ela conheceu Paul Slater. Suzannah era a babá do irmãozinho dele, Jack, e Paul se encantou por ela. Mas é claro que quando um garoto bonitão se interessa por ela as coisas não podem simplesmente dar certo.

Edição: 11ª
Páginas: 271
ISBN: 978-85-01-07814-8
Sinopse: Desta vez é vida ou morte. A série A mediadora, de Meg Cabot, chega ao fim. Suzannah já se acostumou com os fantasmas em sua vida e é muito aterrorizante ter o destino dos fantasmas em mãos, podendo alterar o curso da história. E tudo ficou pior depois que ela descobriu que Paul também sabe como fazer isso. E ele adoraria evitar o assassinato de Jesse, impedindo-o de virar fantasma e lhe garantindo uma vida tranqüila, finalmente... Isso significaria que Jesse e Suzannah jamais se conheceriam. A mediadora está diante da decisão mais importante da sua vida: deixar o único cara que já amou voltar para seu próprio tempo, impedindo assim sua morte... ou ser egoísta e mantê-lo a seu lado como um fantasma. O que Jesse escolheria: viver sem Suzannah ou morrer para amá-la?

A jovem Suzannah, de 16 anos, morre de medo de prédios antigos; pois a chance de alguém ter morrido lá é muito grande, assim, pode haver algum fantasma. Por ser uma mediadora, seu dever é fazer com que essas almas possam ir para onde devem ir. Em Nova Iorque, sua antiga cidade, teve muitos problemas por causa de seu dom.
Sua mãe, viúva há dez anos, se casou novamente com um homem do estado da Califórnia. Com isso, Suze ganha três meio-irmãos. Pelo fato da nova família ser um pouco grande, compraram uma casa que havia sido uma hospedagem em 1850. Sua mãe e padrasto, querendo ser bem legais para que se adapte rápido, deram o quarto com uma vista incrível; mas não sabiam que teria um brinde: um fantasma.
Na nova escola, um prédio mais antigo que sua casa, Suze descobre que o diretor também é um mediador, e ele mandou embora todas as pobres almas que estavam vagando. Padre Dominic acaba se tornando um confidente e aliado nessa "batalha contra fantasmas", e até Jesse (o fantasma) ajuda nossa protagonista a não se matar metendo-se em encrencas.
Nos primeiros cinco livros é quase a mesma coisa: um fantasma querendo matar alguém aparece e Suze tenta impedir sozinha. O Padre Dom não deixa, Jesse acaba aparecendo para salvar o mundo e Suzannah baba mais ainda pelo príncipe morto. Tudo isso poderia ter sido resumido em um livro!
O sexto, e até o momento, o último, foi o que teve uma pequena diferença. Sim, pequena. Paul Slater havia aparecido no livro anterior como irmão mais velho do pequeno mediador, Jack. E apareceu do nada, pois acha um absurdo ter levado um fora de uma garota que quer namorar com alguém que está morto há, aproximadamente, 150 anos.
Muita enrolação acontece e Suze descobre que assim como Paul e seu avô, é uma deslocadora. Os deslocadores são "melhores" que os mediadores. Pois além do poder de um, podem ir e voltar do mundo dos mortes e viajar no tempo.
E adivinhem só! Paul quer voltar para 1850 para impedir a morte de Hector de Silva (mais conhecido como Jesse), assim ele não existirá como fantasma no futuro. Legal, né?!? Não muito. Suze vai atrás do garoto de 17 anos e acabam impedindo a morte de Jesse. Pois é... A vida é assim. Suze, após ver como o Jesse Vivo era, achou injusto deixá-lo morrer para conhecer o Jesse Fantasma.
E é aí que a autora coloca uma "reviravolta" e Jesse acaba existindo no século XXI! Não vou contar como isso acontece; se alguém quiser saber, pode me perguntar por e-mail ou no Facebook.
Como disse no início da postagem, para mim essa estória é uma versão de Crepúsculo, só que com fantasmas. Imaginei algo mais assustador, misterioso... Claro que deveria ter lido todas as sinopses antes de comprar o box. Para quem gosta de romance, é ótimo; para quem gosta de mitos originais, péssimo.
Meg enrolou bastante em seus livros, achei que a série ficou muito longa e que cada livro era muito parecido com o anterior. A leitura não fluiu muito e em várias partes me irritei bastante. Li tudo em cinco dias já que são livros curtos, e não vou dizer que perdi tempo. Só fiquei decepcionada.


5 comentários:

  1. Ah Ka poxa você não gostou. Eu AMEI a série. Tudo bem ela fica um pouco mais do mesmo, depois de 3 livros, rs, mas mesmo assim eu adorei! Beijosss

    Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando vi, amei! Mas acabei me decepcionando... Eu esperava mais.

      Beijo.

      Excluir
  2. Gostei demais do seu post pq assim pude ter uma noção do que esperar dessa série. Agora posso dizer que ela não é para mim =\ gosto das capas e quase comprei uma vez esse box por causa da capa. Ainda bem que não comprei. Enfim parabéns pela leitura e resenha!!! Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quis dizer que uma vez quase comprei o box por causa da bolça. E não penso em ler pq prefiro narrativas mais objetivas e histórias mais fundamentadas. Mas foi positivo conhecer mais dela. Beijos

      Excluir
    2. Então, Aline, comprei por causa de uma sinopse bem superficial; ao invés de pesquisar, fui e comprei. Fiquei profundamente decepcionada, esperava muito mais. Isso serviu de lição para que eu veja melhor antes de comprar.
      Que bom que te ajudou! Fico muito feliz!

      Beijo.

      Excluir