{Cinematografia} O Estranho Mundo de Jack


A "Cidade do Halloween" é um mundo de sonho repleto de cidadãos, tais como monstros deformados, fantasmas, duendes, vampiros, lobisomens e bruxas. Jack Skellington ("O Rei das Abóboras") é o centro das atenções da celebração anual do Dia das Bruxas, no entanto sente-se farto de repetir todos os anos a mesma rotina. Vagueando pela floresta durante toda a noite, de madrugada encontra um círculo de árvores em que cada uma está uma figura diferente. Jack fica impressionado com a árvore de natal desenhada num dos elementos do círculo, e acidentalmente acaba por entrar na "Cidade do Natal". Impressionado com o sentimento e o estilo do Natal, Jack apresenta os seus resultados e sua compreensão da quadra festiva para os habitantes da "Cidade do Halloween". Sem que tenham uma percepção verdadeira do espírito natalício, os elementos da cidade compraram todos os objectos a cenas aterradoras e obscuras, como estão habituados. Percebendo que os cidadãos não compreendem o verdadeiro significado do natal, Jack decide cooperar e afirma "O Natal é nosso!".
Cada residente recebe uma tarefa, enquanto Sally, uma boneca de trapos criada na cidade por um cientista louco que obsessivamente a impede de se relacionar com os outros habitantes da cidade, começa a sentir uma atracção romântica por Jack. No entanto, só ela teme que seus planos vão terminar de forma desastrosa. A obsessão do Rei das Abóboras com o Natal leva-o a raptar o Pai Natal, missão essa que fica encarregue a três crianças travessas que acabam por levar a figura de natal até ao Oogie Boogie, um bicho-papão que tenciona fazer da vida de Santa Claus um jogo de azar, passatempo habitual do monstro.
A Véspera de Natal chega, e Sally tenta impedir Jack, mas ele embarca para o céu em um caixão como trenó puxado por renas esqueléticas, guiadas pelo nariz brilhante de seu cão fantasma Zero. Ele começa a entregar presentes a crianças ao redor do mundo, mas os presentes (cabeças encolhidas, cobras enroladas em árvores de Natal, entre outras figuras horrendas) apenas aterrorizam os destinatários. Acreditando que Jack é um impostor tentando imitar o Pai Natal, os militares entram em alerta e acabam por atingir o esqueleto. O trenó é abatido e ele é dado como morto pelos cidadãos da "Cidade do Halloween". Desiludido e desapontado pelo fracasso do seu plano, Jack acaba por consciencializar o seu erro, afirmando que tem novas ideias para o Dia das Bruxas do ano seguinte e que tem de salvar o natal.
Enquanto isso, Sally tenta resgatar o Santa Claus, mas é capturada por Oogie. Jack infiltra-se no covil e liberta-os, confrontado o bicho-papão, vencendo-o no final. Santa acaba por repreender o esqueleto, embora no fim espalhe neve na "Cidade do Halloween" como sinal de agradecimento e sem ressentimentos pelos habitantes. Na cena final, Jack revela que se sente atraído por Sally também, e beijam-se sob a lua cheia no cemitério.

Em 29 de outubro de 1993 era lançado nos cinemas estadunidenses O Estranho Mundo de Jack. A mistura entre Halloween e Natal teve origem em um poema escrito por Tim Burton em 1982 e apesar de muitos acharem que o cineasta foi o responsável pela direção do filme, Henry Selick (Coraline) encabeçava a produção. Em 29 de Outubro de 2013 o site Omelete (com informações obtidas do IMDb, BuzzFeed e Neatorama) separou 20 curiosidades que você (provavelmente) não sabia:

1. O Estranho Mundo de Jack tem 24 quadros por segundo. Para capturar o movimento dos personagens, eles têm uma pose diferente para cada quadro. Um micro movimento, uma foto, outro movimento, outra foto, e assim por diante. Cada minuto do filme tomou por volta de uma semana de filmagens, totalizando em três anos para todos os 110 mil quadros e 76 minutos de filme.

2. Se houvese qualquer problema com um dos quadros em uma cena era necessário voltar para o início e fazer tudo de novo.

3. Foram inventados dois itens durante as filmagens para ajudar no andamento do filme: um era um "alarme de luz", que avisava os animadores caso alguma luz do set não ascendesse. O outro era um sistema que permitia um técnico a trocar um boneco que quebrasse durante uma cena. Anterior às criações, se alguma das situações acontecessem durante as filmagens, toda a tomada estaria arruinada.

4. São mais de 60 personagens no total, cada um com três ou quatro cópias, enquanto o departamento de esculturas consistia de apenas quatro pessoas - responsáveis por todos os bonecos.

5. Para a animação de Jack Skellington, mais de 400 cabeças diferentes foram usadas. Para fazê-lo piscar era necessário trocar as pálpebras. Cada piscada leva até três quadros para ser completa.

6. Sally, por sua vez, tem diferentes máscaras para cada uma de suas expressões faciais. Não foi possível fazer cabeças completas por causa de seu cabelo - trocar a cabeça atrapalharia no movimento das madeixas ao longo da cena.

7. De acordo com Henry Selick, Vincent Price seria a voz original do Pai Natal. No entanto, após a morte de sua esposa, a saúde do próprio Price começou a deteriorar, tornando sua performance muito frágil e fraca. As gravações foram inutilizadas e, para o desgosto de Selick, o papel teve de ser dado a outra pessoa.

8. Foram necessários 13 animadores, 100 cameramen especialmente treinados para o trabalho e 19 estúdios com os 230 cenários.

9. O cenografista Gregg Olson construiu uma maquete 1/4 da Cidade do Halloween como um modelo para o cenário real. Partes do set tiveram de ser separadas em pedaços menores porque ele não cabia inteiro em apenas um estúdio. Para facilitar o acesso dos animadores aos bonecos, foram posicionados vários alçapões para que fosse possível alcançá-los por baixo.

10. Apesar de serem em miniatura, todos os cenários foram iluminados como se tivessem tamanho real - foram apenas usados instrumentos de iluminação menores. Muitos dos sets requeriam de 20 a 30 luzes para dar o efeito dramático necessário à cena.

11. Danny Elfman não tinha um roteiro como base para criar as músicas do filme. Ele pedia que Tim Burton descrevesse as cenas para que pudesse compor.

12. Segundo a equipe, a cena mais difícil de se fazer de todo o filme foi aquela em que Jack pega a maçaneta da Cidade do Natal. Ali é possível ver o reflexo de toda a floresta atrás de Jack, incluindo o rosto do esqueleto.

13. Tim Burton não pode dirigir O Estranho Mundo de Jack devido a sua responsabilidade com Batman - O Retorno e Ed Wood. O diretor Henry Selick estima que Burton esteve presente no set entre oito a dez dias durante a produção.

14. Em 2001, a Walt Disney Pictures considerou fazer uma continuação para o filme, mas em vez de usar stop motion, executivos queriam fazer o filme com computação gráfica. Tim Burton convenceu o estúdio a desistir da ideia, alegando que sentia que o filme tinha uma pureza própria e não queria ver "Jack indo à terra do Dia de Ação de Graças" ou coisas do tipo.

15. A voz falada de Jack é de Chris Sarandon enquanto a parte cantada é toda de Danny Elfman. Sarandon não acreditava que pudesse cantar durante as sessões de dublagem e o compositor tomou seu lugar.

16. Há apenas duas cenas em todo o filme que foram rodadas em velocidade normal, sem ser em stop motion: uma é a cena de abertura que mostra as árvores na floresta e a outra é a que mostra os insetos caindo no panelão do Oogie Boogie.

17. Patrick Stewart narrou a sequência de abertura original do filme. Seu trabalho ainda pode ser ouvido na trilha sonora.

18. O filme não foi inicialmente lançado sob o selo Walt Disney Pictures devido ao então CEO da companhia, Michael Eisner, que achou o filme "muito sombrio para crianças" e utilizou a Touchstone Pictures em seu lugar. O relançamento do longa em 3D no ano de 2006, no entanto, veio com a marca Disney.

19. O poema original de Tim Burton tinha apenas três personagens: Jack, Zero e Pai Natal. Os demais foram criados para o longa.

20. Jack Skellington já fez aparições em outros filmes de Tim Burton e Henry Selick: em Os Fantasmas se Divertem, sua cabeça aparece no topo do chapéu carnavalesco que Beetlejuice usa mais ao fim; e em James e o Pêssego Gigante ele é um dos piratas-esqueleto que James encontra em seu caminho.




Fontes: Wikipédia e Omelete


6 comentários:

  1. Oi Karol, tudo bem?
    Eu gosto muito desse filme apesar de ter assistido 2 vezes apenas (perco a conta das reprises que assisto kkkkkk), adoro a história!
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Re! Tudo bem, obrigada! E você?
      Então somos duas: amo o Jack! Mas a única diferença entre nós duas é que vivo assistindo! Sou uma verdadeira criança para as animações do Burton.

      Beijo.

      Excluir
  2. Karol já assisti inúmeras vezes esse filme e não me canso em assistir. Sou apaixonada pelo Jack (até queria tatuá-lo porém diante as ameaças de divórcio desisti). Amei o post. Aliás assim como você amo as animações de Burton.
    Beijos
    aculpaedosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bia! =)
      Ameaças de divórcio por causa de uma tatuagem do Jack? Que crueldade...
      Adorei saber que você também ama o Jack e as animações do Burton! =D

      Beijo.

      Excluir
  3. Karol!!!
    Você é demais em revelar as façanhas do Burton!!
    Já te amo <3

    ResponderExcluir
  4. Todos falam bem dessa animação, mas ainda não o vi. Gostei de vê-lo aqui!!!

    ResponderExcluir