{Especial Mês Das Crianças} Minha Infância - Escritora Fabiana Cardoso

Oi pessoal.

Hoje fico muito feliz em trazer mais um especial para vocês.
Hoje é o dia da escritora Fabiana Cardoso, autora da série que eu já amo ADQS.
Eu "encontrei" a Fabi esse ano, e com certeza ela foi um dos melhores presentes literários que eu poderia ganhar. Além dos livros maravilhosos que ela escreve - uma série policial de tirar o fôlego - ela é também uma pessoa muito, mas muito fofa, simpática e gentil com nós fãs. E de uma humildade sem tamanho.

Curiosos? Então vamos conhecer um pouco mais sobre a Fabi:








Oi Fernanda e leitores do blog Mato por Livros, antes de começar tenho que dizer, minha memória não é das melhores. Tive uma ótima infância, lembro de algumas passagens que aparecem para mim em forma de flashes rápidos, mas que foram bem marcantes.

Adorava as minhas férias, viajava para Batatais, o interior de São Paulo, e não desgrudava das minhas primas. Brincávamos o tempo todo e na hora da despedida era uma choradeira geral.

Sempre tive a imaginação muito fértil e durante as brincadeiras criava histórias, com os bonecos, para minha irmã caçula. Devorava os gibis da Turma da Mônica e todos os contos de fadas. O livro que marcou minha infância foi Pinóquio, do autor italiano Carlo Collodi e tradução de Monteiro Lobato. A história fantástica do boneco de madeira, que queria se transformar em um menino de verdade, me conquistou. Através dos erros e mentiras, do carismático Pinóquio, acompanhei suas aventuras e torci por ele. O livro passa uma mensagem de que não somos perfeitos, mas que podemos melhorar sempre.

Lembro de uma viagem à praia, Peruíbe, litoral de São Paulo, com minha família.  Enquanto minha mãe cuidava da minha irmã mais velha, fiquei fazendo um castelo na areia com meu pai, queria colocar água em volta do castelo e lá fui eu, com meu balde de plástico, em direção ao mar. Depois de enchê-lo, voltei para nosso guarda sol, mas quando cheguei perto, percebi que não era o meu pai na cadeira. Ops! Continuei procurando e andando, andando e procurando... Joguei a água fora, andei, andei e andei.
Com calor e com sede, sentei no chão e esperei. Os filhos de um amigo do meu pai passaram de bicicleta. Estavam todos me procurando, tinha sumido há duas horas e me encontraram cerca de dois quilômetros de distância. Não tinha noção de tempo, e só percebi que tinha alguma coisa errada quando minha mãe me abraçou e todos estavam chorando. Pelo menos minha história teve um final feliz.

Adorei relembrar um pouco da minha infância.

 Beijos Fabi








  
Gente que coisa mais fofa né? Olha como a Fabi já era toda meiga desde criança?
Espero que vocês tenham gostado. Eu amei a história dela, apesar de ter ficado muito assustada, depois eu é que era peralta né? rs

E quem quiser saber mais sobre a Fabi e seus livros:

E eu se fosse vocês leriam logo a história de ADQS, vão amar.

Beijosss







4 comentários:

  1. Essas fotos antigas são uma graça. Gostei do texto é assim como ela também não tenho muitas lembranças da infância nao, as poucas são como imagens soltas. Menina que medo, ela se perdeu!!! Mas ainda bem que tudo terminou bem!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viu Ni? A Fa foi pior que eu na aventura, rs.
      Nossa eu me lembro de muita coisa, acho engraçado quando as pessoas não se recordam, sei lá nosso cérebro nos prega muitas peças né? rs

      Beijosss Fer

      Excluir
  2. Fer, adorei participar desse Especial Mês das Crianças. A postagem ficou ótima.

    Beijos Fabi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fa.
      Eu que adorei ter você aqui no nosso cantinho.

      Foi muito especial para mim. Obrigada de coração.

      Beijosss Fer

      Excluir