{Falando sobre Livros} Edgar Allan Poe


Edgar Allan Poe (nascido Edgar Poe; Boston, Massachusetts, Estados Unidos, 19 de Janeiro de 1809 — Baltimore, Maryland, Estados Unidos, 7 de Outubro de 1849) foi um autor, poeta, editor e crítico literário americano, integrante do movimento romântico americano. Conhecido por suas estórias que envolvem o mistério e o macabro, Poe foi um dos primeiros escritores americanos de contos sendo considerado o inventor do gênero ficção policial, também recebendo crédito por contribuição ao emergente gênero de ficção científica.


Famoso poema publicado por Edgar Allan Poe em 1845, depois em 1884, ilustrado por Gustave Doré, traduzido por Thereza Christina Rocque da Motta. A edição acrescenta uma tradução livre, menos formal à série de traduções existentes deste poema, abrindo mais o leque de possibilidades de interpretação de uma das obras mais instigantes do autor, destacando-a entre seus contos de horror. 'O Corvo' cria o clima soturno a que os românticos são afeiçoados, mesmo sendo um exercício desinteressado, como explicou o autor num ensaio sobre este trabalho. Permanece um poema de referência a todos os que gostam da poesia romântica e gótica.



Em 1919 a editora londrina George G. Harrap & Co. lançou uma antologia de contos de Edgar Allan Poe, que àquela altura já era reconhecido como o pai das histórias de suspense e mistério. A edição, porém, não se limitava a reproduzir as narrativas: luxuosa, ela foi ilustrada pelo irlandês Harry Clarke (1889-1931). É exatamente essa edição que o selo Tordesilhas lança no Brasil, mas com um precioso acréscimo: posfácio de Charles Baudelaire (1821-1867), primeiro tradutor de Poe para o francês e a reconhecer a genialidade do escritor norte-americano. Contos de imaginação e mistério chega às livrarias brasileiras junto com o lançamento do filme O corvo (The Raven), dirigido por James McTeigue e estrelado por John Cusack (no papel de Poe, que é acusado de ser um serial killer que executa suas vítimas conforme o enredo dos contos). No livro, narrativas célebres como “Os assassinatos na Rue Morgue” (sobre o mistério do brutal assassinato de duas mulheres em Paris, investigado e solucionado pelo detetive Dupin), “O poço e o pêndulo” (sobre um herege preso e torturado pela Inquisição) e “A queda da casa Usher” (o narrador, hóspede da lúgubre mansão, descreve a melancólica estranha decadência de uma família) estão ao lado de outras menos conhecidas ou citadas, mas nem por isso menos brilhantes: “Os fatos no caso do sr. Valdemar” (no qual o protagonista permanece hipnotizado enquanto morre, podendo assim “assistir” à própria morte), “Silêncio: uma fábula” (longo diálogo entre o demônio e o narrador) e “Leonizando” (narrativa de viés absurdo, em que a personagem e obcecada pelo estudo do nariz). São 22 histórias, ao todo. Além das ilustrações de Clarke e do posfácio de Baudelaire, o volume traz ainda rigorosa referência das edições onde os contos foram publicados pela primeira vez.

Nestes contos, Edgar Allan Poe imaginou algumas das mais conhecidas histórias de terror e suspense da literatura, tramas que migraram da ficção direto para o imaginário coletivo do Ocidente. É o caso de "O gato preto", a tenebrosa história de um assassinato malogrado, ou de "O poço e o pêndulo", que apresenta uma visão macabra da ansiedade da morte. Pioneiro dos contos de mistério, como "A carta roubada" e "O escaravelho de ouro", Poe deu a seus personagens notável profundidade psicológica. Usando diversos artifícios narrativos inovadores, criava climas e situações aterrorizantes.




Coletânea dos 07 melhores contos de Allan Poe: O Gato Negro, A queda da Casa de Usher, O Corvo, O barril de amontillado,  Manuscrito encontrado  numa garrafa, Berenice, William Wilson. Mistério, Suspenso e terror é o que o leitor encontrará nesta obra com o inventor do gênero ficção policial.








O personagem principal deste conto, o francês Monsieur C. Auguste Dupin, poderia ser Sherlock Holmes e o narrador poderia ser o Dr. Watson. O fascinante personagem de Poe, através de um sistema próprio de dedução baseado na sua profunda capacidade de observação dos fatos, é capaz de ler os pensamentos do seu interlocutor e desvendar um dos mais intrincados e misteriosos casos de assassinato já enfrentado pela polícia francesa: o bárbaro duplo assassinato de mãe e filha num apartamento na rua Morgue.





O norte-americano Edgar Allan Poe permanece sendo até hoje um dos escritores que mais influência tiveram na literatura ocidental. Exímio contista, os reflexos da sua perturbante obra podem ser vistos tanto na trajetória do conto psicológico, de terror, quanto nas narrativas policiais modernas. Dez dos seus contos mais conhecidos foram reunidos nesta edição, com nova tradução realizada pelo professor William Lagos. São eles: A carta roubada, Metzengerstein, Berenice, Ligéia, A queda da casa de Usher, William Wilson, O retrato ovalado, A máscara da Morte Rubra, O barril de amontillado e O poço e o pêndulo.
A queda da casa de Usher é a história de um estranho casal de irmãos cuja corrupção moral e psíquica é refletida na falência física da mansão gótica onde moram. Um homem que esquizofrenicamente sente-se perseguido por um sujeito de mesmo nome que tenta usurpar-lhe a vida e a identidade, em William Wilson. Um ressentido que traiçoeiramente atrai o seu inimigo para o mais horripilante local a fim de perpetrar uma vingança maturada há anos, na narrativa O barril de amontillado. Um indivíduo que, em O poço e o pêndulo, se vê aprisionado por forças da Inquisição e, sozinho, é submetido à mais horripilante tortura psicológica. A carta roubada, a última das histórias protagonizadas por Auguste Dupin, na qual o pai e modelo de todos os detetives da literatura demonstra como utilizar a força do intelecto, ao desvendar um caso de roubo e extorsão.

Uma vida marcada por perdas, por decepções, desde a infância. Uma pessoa dotada de genialidade e sensibilidade peculiar, como nos revela Jeanette Rozsas, com sua extensa pesquisa, ricamente ilustrada. Em seus contos, Poe iria explorar um mundo estranho e trazer seus leitores para um domínio no qual a realidade escapava, tornava-se um vulto pertubador. Edgar Allan Poe, o Mago do Terror é a biografia romanceada de um dos autores mais inovadores e, até hoje, mais intrigantes da literatura mundial. Os leitores vão conhecê-lo mais a fundo e se emocionar com o misto de tragédia e glória desse homem condenado a ser escritor.




Karol Zepon

1 comentários:

  1. Eu nunca li nada do Poe! Mas quero muuuuuuito! Baixei "O Corvo" de graça no site da editora DarkSide e está aqui no pc ainda intacto... SAHUSUH... Ele é um dos maiores escritores que já existiu, minha professora disse que ele escreveu um livro pra contar como foi a construção de "O Corvo", um poema que ele demorou anos para concluir.

    Adorei esse post, beijos!

    ResponderExcluir