{Resenha Cinematografica} Jogos Vorazes - A Esperança Parte I

Após ser resgatada do Massacre Quaternário pela resistência ao governo tirânico do presidente Snow (Donald Sutherland), Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) está abalada. Temerosa e sem confiança, ela agora vive no Distrito 13 ao lado da mãe (Paula Malcomson) e da irmã, Prim (Willow Shields). A presidente Alma Coin (Julianne Moore) e Plutarch Heavensbee (Philip Seymour Hoffman) querem que Katniss assuma o papel do tordo, o símbolo que a resistência precisa para mobilizar a população. Após uma certa relutância, Katniss aceita a proposta desde que a resistência se comprometa a resgatar Peeta Mellark (Josh Hutcherson) e os demais Vitoriosos, mantidos prisioneiros pela Capital.






Eu estava muito, mas muito relutante em ir assistir a adaptação de Jogos Vorazes – A Esperança Parte I. E isso porque sofri muito com o livro, tanto que é uma ressaca que não acaba. A sensação de tristeza que me assolou ao ler, não queria sentir de novo ao assistir o filme.

Mas como sou muito tonta, lá fui eu ver o filme. Eu e meu esposo assistimos os dois primeiros novamente em casa, para relembrar, e domingo à tarde fomos ao cinema conferir nas telonas a primeira parte adaptada do último livro.
Devo confessar que me impressionei com a adaptação. Geralmente nunca curto muito, é muito bom vermos nossos personagens ganhando vida, claro, mas geralmente a adaptação não chega aos pés do livro.

Claro, A Esperança teve muito de suas cenas cortadas ou um pouco modificadas, mas por ser realizada em duas partes, sendo de um livro só, achei a adaptação digna de um 9 na minha humilde opinião rs.

Achei os efeitos especiais incríveis, os diálogos muito bem estruturados, e sim apesar das criticas dizerem que o filme tem muitos diálogos e pouca ação, eu não achei isso. Para mim a dose foi perfeita, e mais ação que aquilo estragaria, já que realmente a parte mais “violenta” do livro, vai ficar para a parte II.

Os atores estão ainda mais extraordinários.
Olha me desculpem, não sou nenhuma critica de cinema, mas o que que isso minha gente? Esses atores são demais, eles são maravilhosos.
Senti exatamente o que queriam passar em cada cena. Raiva, mágoa, dor, preocupação, sofrimento, medo, vitória, angustia. Todos os sentimentos foram repassados pelos atores de uma forma brilhante.


Katniss agora no distrito 13 luta para se manter sã, depois de tudo o que aconteceu, e após descobrir que foi salva para se tornar um símbolo entre as pessoas que são a favor de uma rebelião, contra o poder opressor da capital, precisa lutar mais ainda para conservar sua sanidade.  
Katniss se sente amedrontada e não deseja ser um símbolo em uma luta, tão pouco deseja lutar, mas as coisas mudam conforme ela percebe ainda, todo o mal que a capital fez enquanto ela se recuperava.
Mas o que deixa Katniss ainda mais revoltada é que Peeta foi deixado para trás. (ok, posso começar a chorar agora?)

A cena em que Katniss volta ao 12 para ver o que aconteceu, foi uma cena de tirar o chapéu, uma cena muito forte e intensa que foi repassada pela atriz com maestria.

Katniss decide se tornar o símbolo, ela se torna o Tordo, de toda uma população sofrida que decide lutar para por fim todo sofrimento, pobreza e opressão que viviam.

A primeira parte com certeza tem seus momentos mais tranquilos, pois o que nos aguarda na segunda parte, com certeza será momentos de muita tensão, luta, mortes e muita ação.

Bem um filme que com certeza vale muito a pena. Se para alguns o primeiro livro/filme incomodou por ser mais um romance teen, Em Chamas mostrou para que veio. E agora A Esperança Parte I, veio consumar toda a ideia, de que a historia não trata de um romance bobo e juvenil que precisa lutar para ficar junto. Não, o filme traz uma dramaticidade real, uma comparação política e social com nossa realidade, surpreendentes. Ok, que para quem leu o livro, e sabe como tudo termina, eu não acho que precisava de tanto drama assim. Afinal sou sim uma eterna romântica e mesmo ao ler uma distopia porque não posso esperar uma dose de amor e felicidade?

O filme é espetacular e nos deixa ansiosos pelo capitulo final, capitulo esse que ainda vai demorar um ano para chegar ás telonas.
Bem só me resta dizer mais uma vez o quanto gostei do filme, muito bem produzido, elenco maravilhoso e surpreendente. Todas as cenas muito bem estruturadas e finalizadas com perfeição.
Mas não posso deixar de ressaltar que para mim, os personagens de Katniss e Peeta (mesmo esse com pouca aparição) foram os que demonstraram maior amadurecimento. Katniss enche nossos olhos com sua atuação e Peeta, ah Peeta, esse consegue transmitir exatamente todo seu sofrimento. Conforme o filme ia passando, havia em mim ainda a esperança de que eu não testemunharia algo que me deixou muito mal ao ler a história. Mas não fui sortuda a esse ponto, e confesso que tudo em mim desabou. Não sei como alguém pode ser tão perfeito em sua atuação e demonstrar tamanha dor, sofrimento, ódio e desprezo. Seus olhos, seus gestos, sua fala, tudo demonstrava com perfeição o que o personagem realmente estava vivendo.

Agora nos resta esperar o desfecho dessa história. E torcer para que nosso coração não seja totalmente estraçalhado pelos acontecimentos finais. Coisa que eu acho difícil de não acontecer.

Bons jogos vorazes e que a sorte esteja com vocês!


Quem não se emociona ao ouvir essa música? 

 

A Árvore-Forca - Jogos Vorazes

Você, você vem para a árvore
Onde enforcaram um homem que dizem que matou três
Coisas estranhas aconteceram aqui
Não mais estranho seria
A gente se encontrar à meia-noite na árvore-forca


Você, você vem para a árvore
Onde o homem morto clamou para o seu amor fugir
Coisas estranhas aconteceram aqui
Não mais estranho seria
A gente se encontrar à meia-noite na árvore-forca

 
Você , você vem para a árvore
Onde mandei você fugir para nós ficarmos livres
Coisas estranhas aconteceram aqui
Não mais estranho seria
A gente se encontrar à meia-noite na árvore-forca


Você, você vem para a árvore
Usar um colar de esperança e ao meu lado ficar
Coisas estranhas aconteceram aqui
Não mais estranho seria
A gente se encontrar à meia-noite na árvore-forca


Você, você vem para a árvore
Onde mandei você fugir para nós ficarmos livres
Coisas estranhas aconteceram aqui
Não mais estranho seria
A gente se encontrar à meia-noite na árvore-forca

  








1 comentários: