{Você Sabia?} Wish You Were Here: Tema de Nina e Rick


Mais uma coluna no blog pra começar 2015 muito bem! Vocês devem ter percebido que adoro criar colunas, né? Acho que a Fer me recrutou para isso... Mas, espero que gostem de mais esta "arte".

Como eu disse anteriormente, há muitas músicas de rock na trilogia NÃO PARE!. Logo no início de NÃO OLHE! (segundo título da trilogia), Rick canta Wish You Were Here para a Nina em seu aniversário. Ela ainda diz que essa é sua música favorita. E essa se torna a música tema do casal.
Particularmente, eu amei a escolha! É uma ótima música da melhor banda do mundo. Foi uma boa escolha? Sim, foi. Mas não é um tema romântico. Entendam, abaixo, porquê estou dizendo isso.

Wish You Were Here é a quarta faixa do álbum de estúdio de mesmo nome, da banda inglesa Pink Floyd. O riff que deu origem à música foi criado por David Gilmour durante uma sessão na Abbey Road Studios. Roger Waters escreveu a letra e também trabalhou na composição da música, ao lado de Gilmour.
Sua letra é, como boa parte do álbum, dirigida a Syd Barrett; ex-membro da banda que saiu em 1968 por problemas psiquiátricos.

Roger Keith Barrett, mais conhecido como Syd Barrett
Vamos conhecer um pouco mais a vida do Syd e entender o que escreveram a ele.
Originalmente era o vocalista, guitarrista e principal compositor da banda Pink Floyd, principalmente no seu primeiro álbum The piper at the gates of dawn (1967). Foi também o autor dos singles "See Emily Play" e "Arnold Layne", e ainda de dois álbuns solo. Foi também um guitarrista inovador, um dos primeiros a explorar completamente as capacidades sonoras da distorção e especialmente da recém desenvolvida máquina de eco. (E um gênio, na humilde opinião desta que vos escreve.)
Embora a sua atividade na música tenha sido reduzida, a sua influência nos músicos dos anos 60 (e das gerações seguintes) especialmente no Pink Floyd, foi profunda.
À medida que a popularidade dos Floyd aumentava, assim como o consumo de drogas psicotrópicas por parte de Syd (especialmente LSD), a sua apresentação nos concertos tornava-se imprevisível. Os problemas vieram durante a primeira digressão do grupo pelos Estados Unidos no fim de 1967; Syd começou a ficar extremamente difícil e cada vez mais ausente.
Quaisquer que fossem as causas, o que é certo é que passados apenas dois anos da formação do Pink Floyd, Barrett abandonou o grupo. Após ter gravado algumas partes do segundo álbum do Pink Floyd, A saucerful of secrets, em 1968 - incluindo Jugband Blues, que faz referências óbvias à sua crescente indiferença em relação à banda - Barrett foi substituído por David Gilmour..
A intenção original era de que Barrett continuasse a contribuir para a escrita e gravação, e como ele era o principal compositor, havia a esperança que ele desempenhasse um papel semelhante ao do líder dos Beach Boys, Brian Wilson, que apesar de ter deixado de actuar ao vivo, tinha continuado a compor para o grupo. Mas Syd contribuía cada vez menos e o seu comportamento era cada vez mais errático, de tal forma que os outros membros do grupo deixaram de convidá-lo para os concertos e sessões de gravação.
O declínio de Syd teve um profundo efeito na escrita de Gilmour e Waters, e o tema da doença mental e a sombra da desintegração de Syd penetrou nos três álbuns de maior sucesso do Pink Floyd: The dark side of the moon, Wish you were here e The wall.
Capa do álbum Wish You Were Here (1975), da banda Pink Floyd
O álbum de 1975, Wish you were here, foi um tributo a Syd Barrett (que diz-se ter aparecido de surpresa numa sessão de gravação, afirmando estar pronto para trabalhar outra vez); a faixa "Shine on you crazy diamond", que abre e fecha o álbum, fala sobre Syd Barrett, conforme é reconhecido por alguns membros do Pink Floyd. A faixa " I know where Syd Barrett lives" de Television Personalities é outro tributo bem conhecido. Supostamente, Roger Waters, usou a partida de Barrett e a sua condição, como inspiração para o álbum The dark side of the moon, assim como terá baseado o comportamento e personalidade de 'Pink', o principal personagem do filme The Wall, na vida real de Barrett.

Esse single é incrível, com um significado muito intenso. Não estou criticando a escolha da Pepper; afinal, ela é fã e conhece o real significado. Mas estou mostrando a vocês o que há por trás do tema do casal.
Espero que tenham gostado!

Karol Zepon

0 comentários:

Deixe seu comentário