Internautas unidos contra o preconceito - Homofobia




Hoje vamos falar um pouco sobre a homofobia.  A palavra em si, significa repulsa ou o preconceito contra a homossexualidade e/ou o homossexual. Mesmo sendo um termo utilizado, ainda tem-se muitas discussões sobre seu uso, devido ao sufixo "fobia", que vem do grego e significa medo/repulsa, dando sentido como medo irracional. Por isso, não se resume o conceito da palavra com o seu significado.

Podemos entender a homofobia como qualquer outra forma de preconceito, como a atitude de colocar qualquer homossexual na condição de inferior, de anormal, baseando-se no heterossexualismo como padrão.
O preconceito, a repulsa e o desrespeito a diferenças formas de expressão sexual e amorosa representam uma ofensa à diversidade humana e às liberdades básicas, garantidas pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e pela Constituição Federal.

Todo ser humano, independente do sexo, cor, religião e classe social, tem direito de ser dignamente tratado, e, a fim de buscar sua felicidade, de ter um modo de vida aberto.

A Constituição Federal Brasileira não cita a homofobia diretamente como um crime. Segundo um levantamento do G1, o qual aplicou um questionário aos deputados que assumiram a Câmara neste ano, 50,8% dos Deputados apoiam a criminalização da homofobia, 26,5% são contra e 22,6% não responderam. A Presidente Dilma, afirmou ser a favor da criminalização, alegando ficar triste com os grandes índices de violência praticada no país contra o homossexual.

No senado, tramita a reforma do Código Penal Brasileiro, que criminaliza a homofobia.
Em 2011, o Supremo Tribunal Federal reconheceu a legalidade da união estável entre pessoas do mesmo sexo no Brasil. Claro que foi um grande passo contra a homofobia, porém o assunto foi colocado em pauta por muitos "homofóbicos", e a legalidade da união não conseguiu por fim ou diminuir as violências e o preconceito contra o homossexual.

O Estado de São Paulo, de acordo com a lei Estadual 10948/2011, estabeleceu diferentes formas de punição para diferentes atitudes discriminatórias.
O site Guia de Direitos publicou maneiras de identificar práticas de homofobia.

Confiram na íntegra:
  • o agressor costuma usar palavras ofensivas para se dirigir à vítima ou aos LGBTI como um todo;
  •  muitas vezes o agressor não reconhece seu preconceito e trata as ocorrências de discriminação como brincadeiras;
  •  é comum o agressor fazer uso de ofensas verbais e morais ao se referir às minorias sexuais;
  •  a agressão física ocasionada pela homofobia é comum e envolve desde empurrões até atitudes que causem lesões mais sérias, como o espancamento;
  • o agressor costuma desprezar todas as formas de comportamento da vítima, considerando-os desviantes da normalidade;
  •  o homofóbico costuma se dirigir à vítima como se esta fosse inferior, nojenta, degradante e fora da normalidade;
  • é costume do homofóbico a acusação de que as minorias sexuais atentam contra os valores morais e éticos da sociedade;
  • o agressor costuma ficar mais agressivo ao ver explícitas demonstrações amorosas ou sexuais que fogem ao padrão heteronormativo (por exemplo: mãos dadas, beijos e carícias)
  • o agressor costuma negar serviços, promoção em cargos empregatícios e tratamento igualitário às vítimas.
No Estado de SP, você pode denunciar a prática homofóbica discando 100. É fácil, é seguro e anônimo e protege vidas.
Muitos acreditam ser normal a existência do preconceito contra o homossexual. Eu digo: NÃO, NÃO É NORMAL.
Quem disse que heterossexualismo é padrão? Claro que tudo que difere causa polêmica, foi assim com as calças para as mulheres, foi assim com a tintura de cabelo, enfim, está na hora de agirmos.
Entre nessa luta!!
E lembrem-se: leitor que é leitor aprova todas as formas de amor, afinal #SomosTodosPeterGraham.



Fontes: Brasil Escola
             G1
             Guia de Direitos


Post original: A Culpa é dos Leitores









0 comentários:

Deixe seu comentário