Entrevista Fabiana Cardoso



Oi pessoal.

É com muito carinho que hoje compartilhamos com vocês essa linda entrevista da minha querida Fabiana Cardoso.

A Fa é uma das autoras que eu chamo de minhas "queridas" rs, Sim tenho contato com muitos escritores lindos, as é inevitável que alguns ocupem um pedacinho maior de nosso coração. E assim é com a Fa. Adoro ela e com certeza ela ocupa um pedaço muito, MUITO importante em meu coração.

A Fa é uma pessoa maravilhosa, ela é doce, gentil, tímida (o que a faz ser ainda mais especial), e uma pessoa com um coração enorme!
A Fa além de uma das minhas autoras preferidas, porque sou apaixonada por seus livros, é também uma amiga. É maravilhoso ter contato com uma pessoa tão especial e se sentir querida por ela.

E com certeza ela também tem todo o meu carinho e admiração!

Mas vamos a entrevista rs.





Fale um pouco sobre a Fabiana.

Oi Fer, antes de começarmos a entrevista. Quero agradecer o espaço no seu blog e te parabenizar pelo apoio aos autores nacionais e a literatura brasileira, seu trabalho é maravilhoso. 


Eu moro em São Paulo, tenho 38 anos, sou uma leitora compulsiva e escrevo nas horas vagas. 
Gosto de ler, assistir filmes, ouvir música e viajar. Adoro pessoas e uma boa conversa, trabalho 
como fisioterapeuta atendendo pacientes, e posso dizer que escuto histórias de vida maravilhosas. Tudo isso serve de inspiração para mim, na hora de criar histórias.


Como foi o seu primeiro contato com a literatura? Fale um pouco sobre a Fabiana leitora.

Quando era bem pequena adorava Pinóquio, o boneco mentiroso que queria tornar-se um menino de verdade e lia gibis para a minha irmã caçula. Na escola tive uma professora que nos incentivava em relação à leitura, no começo do ano ela passou uma lista e disse que cada um teria que comprar apenas um livro, mas teríamos que fazer a troca entre os colegas e ler um livro por mês, foi uma experiência muito legal, através dela conheci os livros do Pedro Bandeira e da coleção vaga-lume. Depois disso não parei de ler, fiquei encantada com As Aventuras de Sherlock Holmes, que uma amiga me emprestou na adolescência. A narrativa dinâmica e divertida de Arthur Conan Doyle me conquistaram! Ao ler o livro parecia que viajava e estava sendo transportada a Londres do investigador. Aliás, essa é uma experiência que só o livro proporciona. Adoro filmes, mas somos sempre expectadores, enquanto o livro te leva a outro mundo, parece que você participa do que está acontecendo, simplesmente fantástico. Dentre os nacionais, gosto também de José de Alencar, Marcelo Rubens Paiva e os autores da série vaga-lume. Dos estrangeiros, gosto de Agatha Cristie e Dan Brown.


De onde vem a inspiração para as histórias? 

A inspiração está em todo lugar, basta saber observar. Quando começo a trabalhar uma ideia não passo para o papel imediatamente e costumo deixá-la amadurecer. Porque em uma conversa do dia a dia, uma música, um filme ou um livro que estou lendo, aquela ideia pequena, acaba tomando forma e se desenvolve, somente depois desse processo que começo a escrever. No caso de ADQS, sempre fui fã de livros, filmes e séries desse gênero. Arthur Conan Doyle, com seu detetive imbatível “Sherlock Holmes” e Agatha Christie foram minhas maiores influências, para escrever sobre investigação de crimes. O filme “A Assassina” e os filmes de James Bond, o espião, tiveram uma grande contribuição. Assim como as séries “Missão Impossível” (na época formada por uma equipe) e “Anjos da Lei”. Mas eu queria que os personagens fossem brasileiros, vivenciando situações em nossa realidade, na cidade onde moro, que é São Paulo. 


Você acha que os leitores se identificam com os personagens? Tem um pouco da Fabiana em algum personagem?

Acredito que sim, a ADQS é uma Organização Secreta bem brasileira, a história se passa em São Paulo. E cada integrante do grupo veio de uma cidade diferente, por exemplo, a personagem principal Thaís morava em Florianópolis. Os crimes investigados também fazem 
parte da nossa realidade, como: políticos corruptos, foragidos internacionais, traficantes... Acho que o leitor se identifica com os personagens e cenários nacionais.
Em relação aos personagens, eu sempre fui muito tímida e todos têm muito do que eu gostaria de ser. A Thaís é determinada, o Henrique é gentil, o Caio é descolado, o Ed inteligente, a Valéria é ponderada, a Bruna é engraçada, mas prefiro escrever sobre os mais extrovertidos, opostos do que sou, que são a Bruna e o Caio. Recentemente, fiz uma pesquisa entre os leitores, e eles ganharam a enquete como personagens favoritos. 


Como é se despedir dos personagens dos seus livros?

Quando terminei o segundo e último livro da série, tive uma grata sensação de dever cumprido, mas depois senti saudade dos personagens e passei a escrever contos que acontecem antes do primeiro livro. Um deles já está no Wattpad e o outro estou escrevendo.


Qual a dificuldade de se publicar um livro no Brasil?

Eu acho que tive muita sorte em relação a publicação. Coloquei o conteúdo na Internet em dezembro de 2011. E no mesmo mês enviei o original para a Editora Modo. Em Janeiro, veio o convite de publicação, nem acreditei. A maior dificuldade está na divulgação e distribuição do livro. O mercado, em geral, valoriza mais o autor estrangeiro conhecido do que os autores nacionais. Os Novos Autores ainda são olhados com desconfiança. Porém, acho que esse cenário está mudando.


Como você descreveria a história da Fabiana?

Desde a adolescência eu tinha uma imaginação muito fértil, as ideias surgiam e a história se formava em minha mente, era impossível não passá-las para o papel, escrevi vários contos. Em 1996, surgiu a ideia de escrever um romance policial, meu gênero favorito na leitura. Nos anos seguintes, escrevi ADQS, mas depois entrei para a faculdade, tive que me dedicar aos estudos e parei de escrever. Somente em 2010 quando me casei e fiz a minha mudança, que encontrei os meus escritos. Eu me diverti relendo as aventuras dos agentes secretos e decidi atualizar a história. Depois disso participei de duas antologias “Sonhos e Pesadelos” e “Encontros e Desencontros” e publiquei o segundo livro da série ADQS 2. Estou em uma fase que me sinto realizada.


Como lida com as críticas?

Críticas construtivas são excelentes para quem escreve, através delas podemos melhorar o nosso trabalho. Levei em consideração todas as críticas resenhas que foram feitas ao primeiro livro e na continuação procurei trabalhar melhor as missões secretas e os sentimentos dos agentes secretos, o resultado final foi muito positivo. 


Conte-nos um pouco sobre seus próximos projetos literários? Tem planos de tentar outros gêneros?

Estou trabalhando em um romance de época que tem o título provisório de “Contra o Destino”, algo bem diferente, que estou adorando fazer a pesquisa histórica, compor os personagens e escrever.


E se a história virasse filme? Quem você escolheria para representar seus personagens?

Ahhhh! No início, eu e minha prima pensamos em fazer uma história em quadrinhos. Eu adoraria que a história virasse um seriado! Depois de escrever pensei em alguns atores com as características físicas da equipe principal, são eles:

Thaís/Cíntia Torres – Scarlet Johansson
Caio Pontes – Matt Bomer
Henrique Rocha – Clive Owen
Ed Guerra – Marco Pigossi
Bruna Santos – Emily Browning







Gente eu amo todos esses personagens, mas sempre tive uma "queda" (leia queda bem grande) pelo Ed agora então, sou só suspiros.

Ilustração em Quadrinhos por Patrícia Milene






Quais são os sonhos da Fabiana?

Tenho um grande sonho de incentivar a leitura em nosso país. Participar de um projeto sério, com oficinas de leitura e escrita. Para ajudar a mudar a condição atual, onde crianças não têm acesso à leitura ou quando têm acesso a bibliotecas, não são motivadas a ler. Pode parecer idealismo da minha parte, mas só teremos um país melhor e cidadãos comprometidos, quando estimularmos a educação de qualidade e a leitura. 
E tenho um sonho pessoal, de ver o meu livro ser adaptado e virar uma série de TV. O estilo dele é bem parecido, pois a cada capítulo um novo crime deve ser desvendado, se assemelhando a episódios de uma série. 


Deixe um recado para todos os fãs e leitores.

Quero agradecer mais uma vez o seu carinho e atenção. E todos que estão lendo deixo um convite para que venham Desvendar essa Organização Secreta! Espero que os leitores se arrisquem nessa aventura e se envolvam com seus personagens. A literatura nacional tem livros tão bons quanto os internacionais.
Os dois primeiros capítulos estão no Wattpad , assim os leitores podem ler o início da história e conhecer a minha escrita.
E convido para conhecerem o livro “Encontros e Desencontros”, que tive o prazer de participar ao lado das escritoras: Helena Andrade, Sheila Ribeiro, Monique Lavra, Eliane Quintella, Maribell Azevedo e Adriana Igrejas. Uma antologia que narra lindas histórias sobre a Amizade.

Beijos e muito obrigada pelo apoio e carinho! Fabi



Sigam a Fa nas redes sociais



Eu gostaria de dizer que foi um prazer enorme ter a honra dessa entrevista com a Fa. Realmente ela é uma pessoa incrível e muito especial e só merece todo sucesso do mundo e tudo de lindo em sua vida.

Fa, meu muito obrigada, sempre, por todo o carinho e amizade. Conte sempre comigo. Divulgar seu trabalho e de todos os nossos nacionais é uma honra, um prazer e algo que me enche de felicidades. 


E não deixem de conhecer suas obras. Eu sou super suspeita porque eu amo demais a escrita da Fa. Mas quando penso em ADQS, não tem como negar, eles estão entre os meus xódos rs. 

Beijosssss






2 comentários:

  1. Fer!
    Adoro entrevistas, poder saber um pouco mais sobre os escritores facilitam o entendimento do processo de criação e dos sentimentos do autor.
    Agradeço a visita feita ao blog e espero vê-la novamente por lá quando puder.
    “A verdadeira páscoa está no exemplo de entrega que Jesus nos deixou”. (Jader Amadi)
    Semaninha esplendorosa com o verdadeiro sentido da Páscoa!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Fer, amei responder essa entrevista!
    Nem preciso dizer (mas vou repetir) o quanto gosto de você e como foi maravilhoso te conhecer através da internet e pessoalmente na Bienal. Agradeço todo o carinho e apoio ao meu trabalho, e a todos os livros e autores nacionais.
    Continue assim com sua empolgação pela literatura e alegria contagiante.

    Beijos e obrigada por tudo.
    Fabi

    ResponderExcluir