{Resenha especial} Quero ser Beth Levitt, de Samanta Holtz

Quero ser Beth Levitt
Samanta Holtz
ISBN: 978-85-428-0044-9
Ano: 2014 / Páginas: 544
Idioma: português 
Editora: Novo Século
Capa: Adriana Brazil
Sinopse: Amelie Wood perdeu os pais aos doze anos e, desde então, vive em um abrigo de meninas. Com a chegada do seu décimo oitavo aniversário, ela vive agora o temido e esperado momento de deixar o lugar que a acolheu por toda a adolescência para enfrentar o mundo em busca dos seus sonhos. Seu bem mais precioso é o velho exemplar do romance que sua mãe lia para ela, na infância. "Doce Acaso" contava a história de Beth Levitt, uma jovem que, como ela, amava o balé e tinha a vida transformada ao conhecer o príncipe Edward. Amie suspira ao reler incansavelmente aquelas páginas, imaginando quando o príncipe da vida real baterá em sua porta... Por isso, ao soprar as velas, não tem dúvida quanto ao seu pedido: "Quero ser Beth Levitt!". Através de grandes coincidências e uma trajetória que ela jamais imaginaria, Amie se vê, de repente, no fascinante mundo do cinema, cara a cara com o príncipe mais lindo que sonharia encontrar e lutando para se esquivar da maldade de muita gente invejosa, contando, para isso, com sua melhor arma: um coração puro.

Que garota não sonha em conhecer o príncipe encantado, se apaixonar perdidamente, e viver o Felizes para sempre? E aquela "paixonite" de adolescência, mesmo que por algum astro? Amie é apenas uma garota normal com sonhos comuns à sua idade, mesmo que não tenha mais sua família biológica. Sua família é de coração: irmãzinhas do abrigo de meninas. Ao completar 18 anos, fez um simples desejo: "Quero ser Beth Levitt!"
Gostava de pensar que sua vida seria como a dela: mudanças inesperadas, um príncipe apaixonado e o desfecho digno de contos de fadas...
Descobre que sua casa de infância ainda é sua. E ali o tempo congelou, conservando cada canto e lembrança.
Era como ver um pedaço do mundo parado no tempo, esperando por ela...
Amie não tem amigas fora do abrigo, nem familiares vivos, muito menos um trabalho; mas tem uma certa quantia em dinheiro que sua mãe deixou antes de morrer e Anita, sua advogada, que lhe dará alguns conselhos.
Não sabia o que deveria fazer, com quem poderia conversar nem onde começar a procurar. Só sabia que acabaria chegando ao lugar certo...
Embora tenha uma linda inocência, sabe ser forte e corajosa. Sabe que tem que lutar para ser alguém. E assim vai à procura do seu primeiro trabalho.
Caminhava com confiança. A proteção que pedira aos pais fez com que se sentisse capaz de atingir qualquer objetivo.
O destino resolve agir e, em uma reviravolta, faz a vida de Amie ficar de ponta cabeça. Ela se vê nas gravações de Doce Acaso, adaptação cinematográfica do querido livro que sua mãe lia para ela quando criança, ao lado do seu "amor": Chris Martin.
Os dias vão passando, sentimentos crescendo, intrigas surgindo, olhos sonhando... E Quero ser Beth Levitt vai se desenvolvendo levemente, deixando um sorriso na face de cada leitor.
Chris me mostrou o que é ser um príncipe encantado no momento em que estava no balando e contou sobre o anel perdido há tantos anos em uma escada em frente ao abrigo.
Com esse livro, me apaixonei por romances românticos e conheci um novo mundo.

Karol Zepon


1 comentários:

  1. Querida Karol,

    Que linda resenha!!! Amei saber que "Quero Ser Beth Levitt" abriu as portas do seu coração para os romances românticos :D

    Você é uma querida!! Obrigada mesmo por tão lindas palavras!

    Beijos no coração,
    Sam

    ResponderExcluir