{Especial Adriana Brazil} Dia 10 - Entrevista



Oie amores.

Hoje é nosso penúltimo Post, pois é, amanha infelizmente acaba nosso especial.
Mas hoje vamos conhecer um pouco mais sobre a Autora Adriana Brazil.


Vamos lá?


BIOGRAFIA OFICIAL: Apaixonada pelas artes, Adriana Brazil formou-se em música na tradicional Escola Villa-Lobos do Rio de Janeiro. Cresceu ouvindo as histórias carregadas de fantasia que seu pai contava, tornou-se então amante dos livros logo no início da adolescência, mantendo a literatura brasileira em primazia. Sua paixão pela escrita veio à tona em dezembro de 2009, quando nasceu seu romance Outono de Sonhos, indicado ao prêmio Codex de Ouro 2011 nas categorias Romance e Designer de Capa, como também ao Prêmio Interarte 2012 na categoria Melhores Romances, organizado pela Academia de Letras e Artes de Goiás Velho. A estudante de Letras é também colunista da Revista Cristã. Atualmente, a autora participa dos eventos com o grupo Turnê Literária. Mora no Rio de Janeiro com o esposo Marcio, os filhos Lucas e André ( Que esta á caminho) e a cachorrinha Liza.


1. Adriana por Adriana. 
Gosto da minha apresentação do Instagram, então usarei ela.
“Uma romântica assumida e uma sonhadora incurável. Alguém que ama música, livros, cinema e dias frios, além de ser completamente apaixonada por Jesus e por minha família”.


2. Como foi o seu primeiro contato com a literatura? Fale um pouco sobre a Adriana leitora.

As escolas por onde passei sempre incentivaram a leitura, havia o dia específico de ir à biblioteca e isso me ajudou muito. Na adolescência tive o primeiro contato com os romances, então a paixão só aumentou. Tive também grande influência do meu pai que adorava gibis, eu tinha vários da Mônica. Ele gostava muito de contar histórias fantasiosas, tudo isso influenciou.



3. De onde vem á inspiração para as histórias?

Tudo começou com uma inspiração de Deus, Ele é minha maior fonte. Também fico atenta a cenas do cotidiano, histórias que ouço. Uma frase de uma música, por exemplo, pode fazer nascer uma história.


4. Você acha que os leitores se identificam com os personagens? Tem um pouco da Adriana em algum personagem?

Creio que sim. Sempre recebo e-mails de pessoas que se identificaram com os personagens ou com alguma parte da história.
A Helen de Outono de Sonhos tem muito de mim, muito dos meus sonhos. Mas depois ela amadureceu e se tornou independente de mim.


5. Como é se despedir dos personagens dos seus livros?

Foi uma das despedidas mais difíceis que tive que fazer na vida. Pois eles se tornam parte do seu dia-a-dia e parecidos com nossos filhos, uma hora eles precisam ser “liberados” para o propósito pelo qual vieram a existir.


6. Qual a dificuldade de se publicar um livro no Brasil?

 No início foi difícil achar uma editora que acreditasse na história. Hoje em dia é mais fácil o autor conseguir uma publicação independente, usando várias plataformas famosas digitais. Se fizer um bom trabalho certamente irá chamar atenção de alguma editora.


7. Como você descreveria sua própria história?

Não teria como fazer isso. Minha vida está nas mãos do maior escritor que existe: Jesus. Dei a Ele a liberdade de escrever minha história como quiser. O que vier eu sei que será bom, perfeito e mui agradável.


8. Sua família incentiva seu trabalho? Eles lhe ajudam dando ideias para os enredos, ou até mesmo servindo de inspiração?

Ajuda e muito. Até mesmo meu filho de 8 anos dá ideias e faz críticas da capa, da diagramação. Meu esposo vai mais fundo e costuma ler e opinar nas cenas e até mesmo nos desfechos antes de escrever.
Quanto à inspiração, eles me inspiram sempre, sempre mesmo.


9. Como lida com as criticas?

Ninguém gosta de receber críticas destrutivas, essas fazem mal e nem vale a pena levar em consideração – pelo menos eu penso assim. No início eu ficava super triste até mesmo com as construtivas, hoje eu amadureci, sei ouvir e filtrar as opiniões sem ficar triste. Tudo faz parte e certamente não vou agradar a todos.


10. Alguns escritores gostam de se inspirar em músicas, ou até mesmo ouvi-las enquanto escrevem. Você tem playlist’s ou músicas que lhe inspiraram ao escrever sua história? Quais são elas?

Eu gosto muito de escrever escutando música. Quase sempre faço isso.
Várias músicas me inspiram, sempre coloco os nomes das bandas ou cantores nos livros.


11. Conte-nos um pouco sobre seus próximos projetos literários? Tem planos de tentar outros gêneros?

Por enquanto só estou focada no final da Série. Mas tenho muita vontade de um dia escrever uma distopia.


12. Quais são os sonhos da Adriana?

Ah, são muitos! Eu sonho 24h por dia, pois até quando eu durmo eu sonho (risos). Um dos meus maiores sonhos é ver meus livros se tornando filmes.


13. O que podemos esperar de Verão de Conquistas?

Então, esta sendo muito delicada a escolha das palavras, das cenas. 
Estou escolhendo minuciosamente cada detalhe para fechar a Série com chave de ouro. Espero que gostem de Verão de conquistas, que tirem muitas lições do final da Série. É o fechamento de todas as questões que ficaram em aberto. Tem muitas emoções. Para mim está sendo o mais emocionante. Foi o único livro da Serie que eu chorei. Os outros eu me emocionei, mas esse eu chorei muito. Tem uma cena em especial que eu chorei demais e não consegui terminar de imediato, então parei para respirar e voltei para concluir.


14. Qual seu maior medo?

 De falar em publico, de estar em evidência. Prefiro ficar detrás das cortinas. Mas estou vendo que terei que sair detrás delas, porque tudo esta colaborando e contribuindo para isso.
Quando eu tomei a decisão de voltar a escrever, eu achei que ia ficar só atrás dos livros e as pessoas não iam nem saber quem eu era. Mas não foi bem assim, mesmo fazendo questão de que meus livros apareçam mais que eu.


15.Para quem foi seu primeiro autografo?

Foi para ele né? (risos)
Meu Andy, Marcio Brazil.
Eu tenho o costume de separar sempre o primeiro livro para ele.


16. Como é dar vida aos personagens que saíram da sua imaginação?

Essa foi uma das perguntas mais difíceis que já me fizeram. (pensando)
É difícil tratar da Turma de Florianópolis como personagens, não sei, eles são tão reais pra mim. Parece que eles existem e moram lá, tramam as coisas e me contam depois. São pessoas reais que existem num mundo que resolvi dividir com as pessoas. Eles possuem rosto, corpo, pensamentos, ações, falas, um jeito de ser. É muito doido isso, mas eu tenho certeza que são reais!


17. Porque escolheu Florianópolis para cenário do livro?

Quando eu escrevi a Série a primeira coisa que pesquisei foi o local. Eu queria que o local tivessem casas estilo americanos (casas sem muro), aí eu joguei no Google: “casas americanas Brasil”, e apareceu Jurerê Internacional. Me apaixonei e decidi que seria lá a história. Depois fui aumentando a pesquisa e vi que era em Florianópolis. Depois fui pesquisando e me apaixonando.
Para ficar perfeito só faltava ter uma faculdade que abrigasse os cursos, de Engenharia, Letras, Direito, Teatro. E foi ai que encontrei a UFSC que também fica em Floripa. Escrevi a Série sem conhecer pessoalmente, somente pelo mapa. Depois quando fui lá, tinha muitas coincidências com a historia em si. Como por exemplo, o Alan gostar de moto, lá todo mundo gosta de moto. 
Não teria um lugar melhor no mundo do que Florianópolis para abrigar a Série.


18 - Rapidinha:



- Uma musica? 

Deus de Amor – Diante do Trono.


- Um livro? 

Nunca desista dos seus sonhos – Augusto Cury.


- Um momento? 

O Nascimento do meu filho.


- Uma Paixão? 

Música.


- Autor Favorito? 

Augusto Cury.


- Comida Favorita?

Estrogonofe de Frango.


- Amor?

Marcio Brazil.


- Família?

Amor.


- Primeira Leitura?

A Marca de uma lágrima – Pedro Bandeira.


-Personagem Inesquecível?

Andrew 


- Ator Favorito?

Bruce Willis.


- Cantor Favorito?

John Micah (vocalista da banda Kutless)


- Banda Favorita?

Kutless.


- Atriz Favorito?

Glória Pires.


- Filme Favorito?

Um Amor para recordar.


- Toca algum instrumento?

Saxofone (enfatiza que arranho e também parei de estudar- risos)


- Viagem?

Florianópolis.


- Lugar?

Florianópolis.



19.Que mensagem de incentivo você deixaria para quem está começando?

Não desista. Tenha paciência, fé e esperança. Se você ama o que faz vai saber passar pelos obstáculos que surgirem. Tenha meta, um foco e não se desvie com nada no caminho.


20.Deixe um recado para todos os fãs e leitores.

Quero agradecer ao carinho que sempre demonstram comigo ou com a série. Agradeço os mimos, os e-mails, marcações no Face, menções no Twitter, obrigada mesmo! Fico emocionada quando vejo que a Turma de Floripa alcançou o seu coração.




E essa foi a entrevista com a querida Dri, ela é uma pessoa linda e especial para mim.

Então é isso, leia a Série e conheça a escrita da Adriana Brazil, embarque conosco nessa viagem.



Não percam amanha o último dia do Especial, e teremos muitas curiosidades sobre a Série.

Aguardo vocês.



Beijinhos.




4 comentários:

  1. Adorei conhecer mais da escritora.
    Ela toca sax...que bacana! Eu amo música, sóu apaixonada em violão.

    www.detudopouco.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que linda!!! A cada dia mais encantada com a Adriana!! <3 <3
    Arrasou Jess!!!

    ResponderExcluir
  3. Lindaaaa!! Adorei ver como ela é ligada a religiao, sempre acho incrivel qndo percebo autores assim. Adorei a rapidinha, principalmente o filme favorito dela :3

    ResponderExcluir
  4. Que entrevista deliciosa, adorei conhecer a Adriana, parece ser uma pessoa simples e fiquei mais curiosa pela série.
    Bjos
    Lu Santana

    ResponderExcluir