{Especial} Vamos falar sobre Shakespeare?

Olá meus anjos!

Até agora praticamente só falamos sobre "A Megera Domada", pois há muitas adaptações/inspirações para essa obra. Porém vamos continuar e conhecer mais sobre o Bardo e suas peças tão queridas. Algumas não tão conhecidas ou até mal divulgadas como: "Henrique IV " e "Henrique V", que no cinema tiveram sua vez em doistrês filmes:


Esse é um filme baseado nas duas obras; "Henrique IV" e "Henrique V", estrelado por Keanu Reeves e River Phoenix no ano de 1991. É uma leve inspiração , mas os textos Shakespearianos se fazem presentes. Mike (River Phoenix) e Scott (Keanu Reeves) são dois jovens garotos de programa que moram nas ruas de Portland, Oregon. Os dois fazem parte de um grupo de libidinosos excluídos sociais, que se juntam num prédio condenado para fazer tumulto e se venderem a quem esteja disposto a pagar por eles. Apesar de ambos serem insatisfeitos e perturbados, os dois garotos têm a personalidade bem diferente: Scott é rebelde e se prostitui para humilhar sua família, já Mike é um sonhador, um rapaz gentil que está apaixonado pelo seu melhor amigo, e quer encontrar a mãe. Juntos os dois se metem em diversas encrencas em viagens que vão do Idaho até a Itália para encontrar a mãe de Mike.






Essa é uma pura adaptação da obra de Shakespeare. Após pacificar a Inglaterra e consolidar sua autoridade, o jovem Rei Henrique V (Kenneth Branagh) decide invadir a França do Rei Charles VI (Paul Scofield), julgando-se o verdadeiro herdeiro do trono. Combatendo junto aos soldados ele enfrentará o numeroso exército francês na famosa batalha de Agincourt.

"A Tempestade" também ganhou duas adaptações no cinema:





Próspera (Helen Mirren) é traída pelo próprio irmão e perde o poder. Exilada em uma ilha junto com a filha (Felicity Jones), ela inaugura uma sociedade moldada à sua maneira. Novamente soberana, Próspera consegue se vingar e agora tem outro inimigo a enfrentar: Caliban (Djimon Hounsou), seu antigo escravo. Adaptação Shakespeariana homônima de 2010.





Uma expedição liderada pelo Comandante John J. Adams (Leslie Nielsen) viaja rumo a um planeta distante para descobrir o que aconteceu com os cientistas que foram para lá iniciar uma colônia. Apenas um é encontrado: o arrogante Dr. Morbius (Walter Pidgeon), que vive em companhia da filha, Altaira (Anne Francis), e de um prestativo robô. Esse filme é de 1957. Ele é uma releitura com "muita licença poética". 


 Um filme de destaque adolescente que é inspirado na comédia "Noite de Reis" de Shakespeare é "Ela é o cara" (que terá resenha amanhã feita pela nossa linda blogueira: Fernanda Braga).



O filme de 2006 conta com um elenco bem adolescente para a época.é a história de Viola (Amanda Bynes) é uma boa jogadora de futebol, mas sempre é impedida de jogar com os garotos de sua escola devido ao preconceito de que mulher não pode ser tão boa no esporte quanto um homem. Furiosa, Viola aproveita a viagem de seu irmão Sebastian (James Kirk) e decide se passar por ele em sua escola, jogando no time masculino de futebol. Ela tem apenas duas semanas para mostrar que sabe jogar futebol, mas acaba se apaixonando por Duke (Channing Tatum), seu companheiro de quarto, que acredita que ela é um homem.

Uma das grandes obras de Shakespeare, que também foi mais explorada nos palcos é nada mais que "Rei Lear", essa teve até hoje duas adaptações 
para o cinema, uma delas é "Ran":




Japão, século XVI. Hidetora (Tatsuya Nakadai), o poderoso chefe do clã dos Ichimonjis, decide dividir seus bens entre os três filhos: Taro Takatora (Akira Terao), Jiro Masatora (Jinpachi Nezu) e Saburu Naotora (Daisuke Ryu). Com o primeiro fica a chefia do feudo, as terras e a cavalaria. Os outros dois ficam com alguns castelos, terras e o dever de ajudar e obedecer Taro. Saburu, prevendo as desgraças que viriam, se mostra contrário à decisão paterna. Expulso do feudo e acaba sendo acolhido por Nobuhiro Fujimaki (Hitoshi Ueki), de quem se torna genro. Hidetora vai ao seu antigo castelo, que agora é de Taro, e não é bem recebido. O mesmo acontece ao visitar Jiro e, isolado em seu ex-império, Hidetora se aproxima da insanidade. Essa é uma adaptação muito interessante, (talvez uma das mais intrigantes, pois é nela que constatamos que as obras de Shakespeare não tem limites, "Rei Lear" é "Ran" tão claro e puro, uma das mais perfeitas obras, destacando que as diferenças são poucas e por conta de ser um filme oriental e de época, as filhas de Lear são "trocadas" por filhos. Pode ver de um ponto de vista machista, mas as coisas eram assim), produzido em 1985.


Um filme de 1997, com inspiração em Shakespeare, digamos um releitura livre de "Rei Lear"(existe isso?!).
Da mesma forma que seu avô e seu pai, Larry Cook (Jason Robards), um determinado fazendeiro, é dono de 1000 acres em uma das regiões mais férteis do Iowa. Ele é viúvo e tem três filhas. Virginia (Jessica Lange) e Rose (Michelle Pfeiffer) moram e trabalham na fazenda, enquanto que Caroline (Jennifer Jason Leigh), a mais jovem, se mudou para Des Moines quando se formou em advocacia. A história é contada sob o ponto-de-vista de Virginia, a irmã mais velha, e começa quando Larry subitamente anuncia que pretende dividir a terra entre suas filhas. Caroline tem dúvidas se isto é uma boa ideia e isto gera um desentendimento grave entre ela e seu pai, que esperava uma aprovação unânime e imediata, pois como homem mais importante da região não estava acostumado a ser contrariado. Ela acaba sendo deserdada, com as outras duas aceitando a ideia, apesar de terem um forte motivo para contrariar o pai. Mas isto seria apenas o primeiro de muitos problemas que surgiriam em um pequeno espaço de tempo, fazendo tristes verdades e mágoas virem à tona.



E apresentando uma peça teatral com o ator Juca de Oliveira, vivendo o próprio "Rei Lear" e mais alguns personagens, pois é um monólogo intenso, adaptado por: Geraldo Carneiro. Depois de uma temporada em São Paulo, agora a peça está no Teatro dos Quatro, no Shopping da Gávea, Rio de Janeiro. Estreou dia 16/06/2015 e vai até Setembro. Confira uma entrevista de Juca de Oliveira concedida para o ator Henrique Santana:

Finalizando hoje com uma curiosidade: Juca de Oliveira já interpretou outros três textos de Shakespeare anteriormente, Júlio César (1966), Ricardo III (1975) e Otelo (1982).








3 comentários:

  1. De todas essas adaptações, só assistir Ela é o cara. Gosto mais de filmes light para diversão, dou preferencia a comédia romântica, para a assistir outro gênero só por indicação e tem que ser muito bom. Esse filme é muito bom, dei boas risadas, tem várias situações que ela se meti. rsrs
    Bjos
    Lú Santana

    ResponderExcluir
  2. Ta ai, eu nunca saberia que o Ela é o cara é inspirado em Shakespeare! Só aqui nesse blog mesmo <3
    Sério, estou amando esse especial do shakespeare!

    As adaptações de A tempestade eu conhecia já, mas as outras são novidades!

    eraumavezlivrosecia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ta ai, eu nunca saberia que o Ela é o cara é inspirado em Shakespeare! Só aqui nesse blog mesmo <3
    Sério, estou amando esse especial do shakespeare!

    As adaptações de A tempestade eu conhecia já, mas as outras são novidades!

    eraumavezlivrosecia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir