{Especial} Vamos falar sobre Shakespeare?



Em primeiro lugar: Desculpem!! Ontem não consegui deixar nada programado para o nosso lindo especial. ( Problemas pessoais, coisas chatinhas, que já acabaram). Mas agora estou aqui novamente para falar do nosso Bardo, tão querido!
E o que vamos ver (rever) durante o especial? Mais adaptações cinematográficas, algumas antigas e algumas que vem por aí, então fiquem atentos. Eu já estou super curiosa (Uhullll).

Começando pela comédia "Sonho de uma Noite de Verão" - uma das mais representadas nos palcos pelo mundo, essa não tem como explicar ou explico em uma palavra só CONFUSÃO. O que se esperar de um "Quadrado" amoroso? Então vamos conhecer Helena e Hérmia, amigas e rivais. E especialmente Puck (morro de amores por esse elfo maluco), esse é um caso à parte, só ele é a confusão em si.



Nessa é adaptação, de 1999, sim adaptação, pois todas as falas são Shakespearianas, o cenário é aquele que você imagina, tudo acontece como Shakespeare quer (assim espero), pelo menos é o filme mais fiel à obra.
No início do século XX em Monte Atena, Itália, o duque Theseus (David Strathairn) está prestes a se casar com Hipólita (Sophie Marceau) e, paralelamente, precisa resolver um problema, pois Egeus (Bernard Hill) quer invocar uma lei para obrigar Hermia (Anna Friel), filha de Theseus, a se casar com Demetrius (Christian Bale). Caso não concorde, ela se tornará uma freira, mas ela ama realmente Lysander (Dominic West) e está disposta a passar toda a sua vida em um convento a entregar sua virgindade para um homem que não ama. Ironicamente, Helena (Calista Flockhart) se desespera, pois ama Demetrius mas dificilmente poderá desposá-lo. Enquanto os mortais tentam resolver estas diferenças, Oberon (Rupert Everett), o rei dos duendes que habitam a floresta, ordena que Puck (Stanley Tucci), um duende que lhe serve, coloque filtros mágicos nos olhos dos mortais, para resolver o problema. Mas Puck comete um erro que aumenta ainda mais a confusão. Paralelamente, Oberon se desentende com Titania (Michelle Pfeiffer), a rainha das fadas e a faz se apaixonar por Nick Bottom (Kevin Kline), um ator com cara de burro.



Mas como nada pode ficar na mesmice, assim alguns pensam, o tio Woody Allen criou sua própria"versão", uma paródia (onde ele além de roteirista e diretor é ator rs), nada contra, eu adoro o Woody Allen. Além de ser uma paródia, aliás, mais do que uma paródia é um filme para filosofar, isso mesmo FILOSOFAR. Allen tem essa mania, mesmo assim não deixamos de gostar de suas maluquices e se eu contar mais do que a sinopse, contarei o filme. Então em "Sonhos Eróticos de uma noite de Verão" de 1982 é a história de três casais se reúnem em uma casa de campo. Os anfitriões têm problemas de ordem sexual, um outro casal é composto por um professor que vai se casar brevemente com uma mulher muito mais nova e o terceiro casal é um médico, que conheceu uma enfermeira há pouco tempo. Nesta pequena reunião sexo e amor são discutidos e seus sentimentos vem à tona.


E então surge a adaptação mais adolescente, mais suave e bem "sessão da tarde", que conquista qualquer um, por ser um filme leve, para passar o tempo com um balde de pipoca na mão. "Volta por cima" é uma comédia romântica de 2001 que não deixa escapar todo o drama dessa fase da vida, tudo muito intenso, amores, conflitos, traições, inseguranças, tudo que um adolescente nunca vai assumir que exagerou na dose. Apresento lhes Hérmia, Lisandro, Helena e Demétrio na escola: Berke Landers (Ben Foster) é um jovem que acreditava que seu último ano na escola seria perfeito. Ele namorava a garota perfeita, Allison (Melissa Sagemiller), por quem era apaixonado desde criança. Até que Allison resolve trocá-lo por outro garoto, Striker (Shane West), o mais novo galã da escola. A partir de então Berke fará de tudo para reconquistar Allison, mesmo que para isto tenha que desistir do time de basquete e fazer testes para um papel em uma peça baseada em texto de William Shakespeare. Mas aos poucos ele começa a se interessar por outra garota, a jovem Kelly (Kirsten Dunst), irmã mais nova de Allison.



Continuando com comédias...



"Muito Barulho por Nada" é outra comédia Shakespeariana, e eu vou falar sinceramente: Só conhecia a primeira a adaptação cinematográfica, composto por nomes de peso como Denzel Washington, Emma Thompson e Keanu Reeves, ainda ficou como aquele filme que você deixa "rolar" e não pensa em mais nada, leve e gostoso. O filme de 1993 se dedica totalmente a obra homônima. Daria tudo para ser uma obra prima, mas não sei ao certo o que faltou, recomendo assistir para conhecer e até criticar o que escrevo aqui. Mas ler essa peça torna mais intensa, mesmo sendo uma comédia. O filme é cativante e merece uma chance. Após uma batalha, um príncipe siciliano e sua comitiva chegam a uma vila italiana, onde são bem recebidos. O amor pode vir até a florescer no local, mas existem pessoas interessadas em semear a discórdia. (e sim é essa a sinopse oficial)



E até então desconhecida por mim uma nova adaptação, do ano de 2012. "Muito Barulho por Nada" (nova versão),  pelo que pesquisei é uma adaptação mais moderna, porém não escapa em nada da escritas do Bardo.  Só com uma pitada à mais de drama. Ansiosa para assistir a história de Leonato (Clark Gregg) o governador de Messina e pai da bela Hero (Jillian Morgese). Quando eles recebem a visita do amigo Don Pedro (Reed Diamond), que retornava de uma guerra acompanhado do irmão rebelde Don John (Sean Maher) e ainda dois policiais, Benedick (Alexis Denisof) e Claudio (Fran Kranz), este último se apaixona perdidamente pela jovem. Enquanto isso, Benedick tenta esconder o interesse que nutre pela sobrinha do político, Beatrice (Amy Acker), que faz o mesmo. Enquanto os amigos tentam aproximar os dois, o malvado irmão do nobre guerreiro arma uma conspiração para atrapalhar os planos de casamento dos jovens pombinhos Hero e Claudio e parece ter conseguido, mas um fato inesperado poderá ajudar essa história a ter um final feliz.



Das comédias para as tragédias... 



"O Mercador de Veneza", belíssima adaptação de 2004 e com um elenco incrível. Na cidade de Veneza, no século XVI, Bassanio (Joseph Fiennes) pede a Antonio (Jeremy Irons) o empréstimo de três mil ducados para que possa cortejar Portia (Lynn Collins), herdeira do rico Belmont. Antonio é rico, mas todo seu dinheiro está comprometido em empreendimentos no exterior. Assim ele recorre ao judeu Shylock (Al Pacino), que vinha esperando uma oportunidade para se vingar de Antonio. O agiota impõe uma condição absurda: se o empréstimo não for pago em três meses, Antonio dará um pedaço de sua própria carne a Shylock. A notícia de que seus navios naufragaram deixa Antonio em uma situação complicada, com o caso sendo levado à corte para que se defina se a condição será mesmo executada.







"César deve Morrer" - A peça teatral "Júlio César", de William Shakespeare, é encenada por um grupo de prisioneiros da prisão de segurança máxima Rebibbia, localizada em Roma. Ao mesmo tempo que funciona como registro documental, trabalha a ficção por trás da trama original. Dirigido pelos irmãos Paolo e Vittorio Taviani e vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim 2012. (o mais intressante é a obra encenada com o enredo baseado na mesma obra)





"Coriolano" - Essa peça de Shakespeare eu posso afirmar que nunca li, nem ao menos sabia de sua existência. Agora com o filme surgiu uma vontade imensa de ler antes de assistir, e esse filme é de 2011, com um elenco que me chamou bastante atenção. Começa com a população de Roma está faminta. Coriolanus (Ralph Fiennes), considerado o herói da cidade, é um grande soldado que despreza o povo. Manipulado por políticos e até mesmo por sua própria mãe, Volumnia (Vanessa Redgrave), ele acaba sendo banido da cidade e oferece seus serviços ao maior inimigo, Tullus Aufidius (Gerard Butler). Juntos, eles marcham rumo a Roma no intuito de destruir a cidade.





Terminando com uma observação: Keanu Reeves por enquanto está no ranking de mais atuações sobre as peças de William Shakespeare, será que termos mais?!


Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.
(William Shakespeare)






3 comentários:

  1. Oi Vanessa!
    São muitas adaptações! Conhecia poucas dessas, mas fiquei curiosa sobre a primeira versão de Muito barulho por nada, acho que vou assistir. As de O mercador de Veneza não me interessaram tanto, mas posso acabar dando uma chance para conhecer essa história.
    Bjs
    sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Vanessa! Dessas adaptações, gosto muito da do Wood Allen hahah todos os filmes dele são meio malucos e te fazem filosofar, certo? Ele é muito bom, na minha humilde opinião!

    Depois desse post, tem mais filmes entrando para a minha lista... falta tempo para ver todos kkkkk

    eraumavezlivrosecia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Esses especiais só faz uma coisa, aumentar a nossa lista de livros que queremos e filmes que queremos assistir. Já estou com tudo anotadinho. Os de hoje não assistir nenhum.
    Bjos
    Lú Santana

    ResponderExcluir