{Especial Nacional} Minha Estante com Jorgeana Jorge


Acho que muitas vezes esquecemos que nossos amados escritores, antes de tudo são leitores também, não é mesmo?

E para mostrar que além do dom maravilhoso com as palavras, de chegarem até nossos corações com suas palavras, eles também amam viajar por outras histórias que não sejam as suas, hoje temos em nossa coluna, a incrível escritora Jorgeana Jorge. Ela que com sua história, com certeza fez muitos casais mundo afora repensarem em suas vidas e mais que isso, fez muitas pessoas aprenderem que no amor é sempre preciso lutar, ter fé, e nunca esquecer que devemos nos apaixonar todos os dias, mas pela mesma pessoa. 

Fiquem então com um pouquinho de nossa Jorgeana leitora.



Quando recebi o convite para participar desse especial sobre a Literatura Nacional meu coração acelerou por diversos motivos. Primeiro, por perceber que a cada dia a nossa Literatura está conquistando mais e mais leitores. E iniciativas como essa só nos alegram ainda mais. Segundo, por que a Fernanda é um amor de pessoa e sei que um convite vindo dela só pode ser coisa muito boa, rsrsrs. E depois que soube que era para falar sobre a Jorgeana leitora, pirei.

Falar sobre livros deixa pessoas como eu em franca ebulição. Relembrar meus títulos favoritos, personagens inesquecíveis, autores e seus enredos mágicos é bom demais, concordam? Então, vamos lá. 

Comecei a ler ainda garotinha. Adorava os gibis da Turma da Mônica e depois, para me apaixonar pelos livros, foi um pulo. A coleção Vagalume fez parte de minha adolescência e li muitos dos seus títulos, assim como os clássicos da Literatura Brasileira. Senhora de José de Alencar foi um dos meus favoritos.

Lembro-me que passava horas nos sebos lendo as sinopses, indecisa entre tantas estórias interessantes. Deixava de merendar na escola para sobrar mais dinheiro para eu comprar mais livros. Meus pais ainda hoje não sabem disso. Pelo menos até a leitura dessa matéria, rsrs.

Estar rodeadas de livros era um deleite para mim. Lia praticamente tudo que caia em minhas mãos, mas os romances é que me arrancavam os maiores suspiros. Sempre gostei desse gênero, principalmente os romances de época. Sou apaixonada por eles.

Na década de 90 eram muito comuns e acessíveis os romances chick lit. Tive acesso a eles, também. Já li tantos livros que perdi a conta. Mas passam dos 200, com certeza. Esquecia da hora de comer, de dormir e até de sair de casa. Eu não os lia, os consumia. Meu pai costumava ir de vez em quando ao meu quarto ver se eu ainda estava “viva” já que muitas vezes me confinava lá dentro com os olhos grudados naquelas linhas mágicas. Foi uma época muito especial. Não me arrependo dos momentos que compartilhei com meus inesquecíveis personagens. Era um mundo de sonhos gostoso demais para se deixar para trás.

Infelizmente, para meu total desespero, perdi minha primeira coleção de livros. Pouca coisa consegui resgatar já que os cupins eram tão aficionados por os livros quanto eu. Nessa batalha, eu perdi.

Entretanto, relembro nomes que me marcaram bastante como: Francine Rivers (Amor de Redenção é emocionante), Jane Austen (Orgulho e Preconceito é inesquecível; e os outros títulos dela também), Nora Roberts, Stormie Omartian, Max Lucado, Colleen Hoover, Harlan Coben. São autores estrangeiros que gosto muito, dentre outros nomes.

Somos tão bombardeados com material estrangeiro que muitas vezes não damos chance para a nova safra de excelentes autores que está bem pertinho de nós. A Literatura Nacional contemporânea tem apresentado um material tão competitivo quanto o de outras bandeiras. Falo isso como leitora e não por fazer parte do clube de escritores, atualmente.  O que muito me alegra, pois como fui leitora assídua por anos a fio de autores internacionais, e continuo sendo, tenho segurança em falar nesse sentido.

Adriana Brazil, Maurício Gomide, Felipe Colbert, Carina Rissi, Samanta Holtz, Bárbara Negrão são alguns dos muitos nomes que merecem ser lembrados. Emocionei-me e dei boas risadas lendo seus livros. Uma excelente pedida; vale a pena anotar.

Estamos vivendo um momento especial em nossa Literatura. E aqueles que têm se apercebido disso tem tido a oportunidade de se deleitar com belíssimos enredos. Como podem ver minha atual estante está repleta deles.

Infelizmente, não tenho hoje a mesma disponibilidade de tempo, por isso vou demorar mais um pouquinho para conhecer todos os autores nacionais que desejo. Mas isso é que torna a saga de um leitor mais interessante. Essa busca inesgotável por mais estórias que nos farão sonhar. E meu mais sincero desejo é que ela nunca acabe.

Jorgeana Jorge

Autora do livro À espera de um Adeus

Cantinho da Jo com alguns de seus livros. 



E como eu falei, não deixem de conhecer À Espera de um Adeus, uma linda e emocionante história de uma casal e sua família, em busca de reencontrar a felicidade.



Samantha nunca imaginou que o inverno daquele ano em Guarapuava seria tão frio e desafiador. Uma tempestade havia se instalado no seio do lar dos Cadore, e eles só perceberam o perigo quando parecia tarde demais. Douglas não sabia mais como sustentar um casamento com tantas áreas comprometidas. Apenas uma saída pareceu ser possível - o divórcio. Será que ainda haveria chances para reconstruir este lar?
Para Samantha, restava uma última opção: reconquistar seu esposo. Isso não seria nada fácil. As colunas somente poderiam ser reerguidas com a ajuda de um verdadeiro Mestre de Obras.
Personagens importantes aparecem para ajudá-la, e outros surgem dispostos a separar de vez esses dois corações apaixonados. Fé, amizade, traição, superação e muito romantismo permeiam as páginas deste lindo romance cheio de surpresas.

Gostaram? Amei saber um pouco mais da Jorgeana, e mais ainda, ver que além de amar sua história, nos identificamos também como leitora. Alguns dos autores que ela citou, eu sou verdadeiramente apaixonada, tanto dos estrangeiros, quanto de nossos queridos nacionais.

LEIA NACIONAL!

E não esqueçam de participarem de nossa CAMPANHA e GINCANA pela literatura nacional.

Saiba tudo AQUI!


Beijossss



2 comentários:

  1. Adorei o depoimento da autora, é verdade, somos bombardeados quase sempre só por material estrangeiro, daí acho que a nossa linda literatura fica meio que esquecida. Mas na verdade é muito complicado o jovem autor publicar por aqui, acho que as editoras poderiam dar mais chances para a nova literatura nacional
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Sempre um prazer compartilhar momentos com nossos leitores queridos. E mais ainda trocando ideias como leitora. Foi uma grande alegria para mim participar desse especial. E obrigada, Renata Pereira pelo carinho do seu comentário. bjuu

    ResponderExcluir