{Resenha dupla} O Caminho e A Felicidade de Richard Paul Evans

Alan Christoffersen, um publicitário bem-sucedido, acorda uma manhã e encontra-se ferido, sozinho e preso a uma cama de hospital em uma pequena cidade de Washington. Ele já havia passado por situações extremas quando decidiu atravessar o estado de Washington. Em busca de respostas, essa longa caminhada poderia ser um recomeço para sua vida. Mas, quando encontra-se imobilizado, ele percebe o quanto a vida ainda tem a lhe mostrar e ensinar.
A segunda jornada da série Walk traz ainda mais lições para um homem que busca incansavelmente por esperança e que está disposto a retomar a sua vida de onde parou. Um romance inspirador sobre a esperança e o significado da vida.

Lua de Papel * 2012 * 292 páginas * Classificação 5/5




Ainda cambaleante pela perda súbita da esposa, da casa e da empresa, Alan Christoffersen, um ex-publicitário de sucesso, deixou tudo que conhecia para trás e partiu numa extraordinária travessia pelo país. Levando somente sua mochila, saiu de Seattle em direção a Key West, ponto mais distante em seu mapa. Agora, já quase na metade de sua trilha, Alan segue caminhando quase 160 km, entre o Dakota do Sul e St. Louis, mas são as pessoas que ele conhece ao longo do caminho que dão o verdadeiro sentido de sua jornada:
Uma mulher misteriosa que segue Alan por quase dois quilômetros, o caçador de fantasmas que percorre túmulos à procura da esposa, o idoso polonês que dá uma carona a ele e compartilha uma história que Alan jamais esquecerá.
Repleto de verdade e sabedoria, A Felicidade é um romance inspirador sobre esperança, cura, graça divina e o significado da vida. A trilogia virou série.

Lua de Papel * 2012 * 292 páginas * Classificação 5/5




Bem resolvi fazer as duas resenhas juntas por motivos simples.
Primeiro, que essa história foi muito difícil para mim de resenhar. Histórias que mexem profundamente comigo, sempre me causam isso, já que eu sofro um bloqueio e pareço nunca conseguir expressar tudo o que senti.
E segundo que a série conta a jornada de um homem, e o que ele busca; só vamos descobrir a cada passo que ele dá e juntamente com ele. Então não quero mesmo me estender em detalhes ocorridos na história, até porque cada um que ler tem que tirar as suas conclusões. Esses são aqueles tipos de livros, que cada leitor vai sentir e aprender conforme o seu coração. Então, nada que eu escreva aqui, vai expressar de forma completa o que a leitura me trouxe. Mas espero que desperte pelo menos um pouco em vocês, a vontade de conhecer a história de Alan.

Lá vou eu tentar explicar sensações, sentimentos e aprendizados que são impossíveis de se explicar ou expressar.

O caminho é o segundo livro da Trilogia Caminhos. E Felicidade o terceiro e último. Se bem que eu adoraria que tivesse muito mesmo um quarto livro.

No primeiro livro O ENCONTRO. Conhecemos a história de Alan e o porquê dele resolver fazer essa longa caminhada.

Em O Caminho e em A Felicidade, continuamos com ele em sua jornada e assim como ele, a cada passo, cada cidade que ele passa, cada pessoa que ele conhece, é algo novo em sua e em NOSSA história.

Eu fico impressionada como um autor consegue nos ensinar muito ás vezes com tão poucas páginas.
A jornada de Alan, uma jornada que nem ele mesmo ainda compreende, é algo que todos deveríamos passar. Não digo que temos que pegar um ponto no mapa e sair andando por ai não. Mas a forma como ele vive, a forma como ele consegue manter o bom coração mesmo depois de toda a desgraça que viveu, é impressionante. Com certeza temos muito a aprender.
Claro que ele ainda tem muitos espinhos para tirar de seu coração, mas o mais lindo é ver o quanto ele consegue aprender com pequenas coisas. O quanto um simples ‘oi’ tem o poder de fazê-lo refletir tanto.

O mais incrível dessa jornada são as pessoas que passam em sua vida. Meu Deus, como existe dor, como existe sofrimento nesse mundo. E como existe a felicidade, como existem pessoas de bom coração, como existem seres humanos necessitando de seres humanos.

A história de Alex em O Caminho retoma exatamente de onde terminou o primeiro livro. Então ele conhece Angel, a mulher que o ajuda até que ele possa retornar a sua caminhada.
Vamos conhecendo um pouco mais de Angel a cada página e aprendendo mais com Alan também. O “mistério” que cerca a vida de Angel é presente em todos os momentos e é possível sentir todo o vazio que a habita mesmo que isso não fique implícito na história.
Quando finalmente Angel decide se abrir, compreendemos mais um pouco da jornada e do destino de Alan. Eu acredito muito em destino, mas no destino que Deus quer para todos nós, e acredito que muitas pessoas ás vezes passam em nossas vidas por algum motivo maior, que na maior parte do tempo nem nós mesmos somos capazes de entender.
E naquele momento eu compreendi que TUDO, mas tudo mesmo o que aconteceu a Alan tinha não só um, mas vários motivos. Que os acontecimentos de sua vida estavam interligados a vários outros, e ali na redenção de Angel eu percebi que Deus colocou um no caminho do outro, não para que Angel ajudasse Alan, mas para quem um salvasse o outro.

Bem não pensem que esse destino tem algo a ver com romance. Não tem. Na verdade a série pouco tem a ver com o amor entre um homem e uma mulher e mais com o amor que temos por nossa vida, por viver, e o que esse viver significa para nós. Mas a história de Alan está longe de ser um livro de autoajuda.

Em A Felicidade Alan vai reencontrar uma pessoa de seu passado, pessoa essa que trouxe sofrimentos a alguém que Alan amou demais. Alan resiste em se encontrar com essa pessoa, mas o destino mais uma vez vai lhe mostrar que tudo o que está destinado a acontecer não adianta fugir. Nossos caminhos estão traçados e bem ou mal, precisam acontecer para que nos tornemos os humanos que devemos ser.
Sua jornada continua a mesma. Ele continua sua caminhada e continua cruzando muitos caminhos de várias pessoas. E várias pessoas continuam cruzando seu caminho. Fica difícil em alguns momentos compreender a extensão dos aprendizados, quem aprendeu com quem. Que exemplo de vida foi mais avassalador. Mas uma coisa é certa: - Basta olhar para o lado, para aprendermos com algo que alguém viveu. E com certeza nossa vida também pode ser um grande aprendizado a alguém.

O que aprendemos com essa história, vai além do que eu possa falar aqui. Eu só acho que essa série deveria ser lida por todos, principalmente por aquelas pessoas que no momento se encontram afundadas em suas dores, desanimadas com seus problemas.

O final foi com certeza surpreendente. Por um momento, por alguns poucos segundos, o rancor e a raiva podem se apossar de nós.
Vamos nos perguntar se tudo aquilo é uma grande brincadeira. Questionamos se realmente Deus existe e porque ele tem tanta raiva de Alan. Mas na mesma hora, antes que esse sentimento se aloje em nosso coração, como se fosse um filme, todas as cenas vividas por Alan repassam em nossa mente e ai nos damos conta, de que tudo bem, é assim que tem que ser. Esse é apenas mais um momento de sua vida. E não importa o “fim”, o importante é que esta acontecendo.
A mensagem é única: - Não importa o que aconteça, ainda há sempre uma vida a se viver. Não importa quanto tempo ainda temos para viver essa vida, mas ela ainda está lá para ser vivida. 


Os melhores Quotes de O Caminho

"Desde que comecei a minha caminhada, só viajei 558 quilômetros, menos de dez por cento da distância até Key West. Mas já tive experiências profundas, ao longo do caminho conheci pessoas que acreditei estar predestinado a conhecer e estou certo de que há mais por vir. Essa é uma história de contrastes, sobre viver e morrer, esperança e desespero, dor e cura, e os locais tênues entre esses estremos, onde a maioria de nos reside."
"Nós humanos nascemos egocêntricos. O céu troveja e as crianças acham que Deus está zangado com elas por algo que fizeram. os pais se separam e as crianças acham que é culpa delas, por não terem se comportado bem. crescer significa deixar de lado nosso egocentrismo pela verdade."
"Todo mundo tem problemas. A questão é a forma como você lida com eles. Algumas pessoas escolhem ser choronas, outras escolhem ser vencedoras. Algumas escolhem ser vitoriosas, outras escolhem ser vítimas."


Os melhores Quotes de A Felicidade

“Não sei de vou chegar a Key West ou não. Mas uma coisa eu sei: quer eu aceite a jornada ou não, a estrada virá. A estrada sempre vem. A única pergunta a que qualquer um de nós pode responder é como escolheremos encará-la.” 
"Conforme seguimos nossas jornadas individuais, colhemos ressentimentos e mágoas que grudam em nossas almas como carrapichos nas meias de um caminhante. Esses passageiros clandestinos podem incialmente parecer insignificantes, mas com o passar do tempo, se não pararmos de vez em quando para sacudi-los, o acúmulo se torna um fardo para nossas almas."


Com certeza uma verdadeira lição de vida.

Beijosss


1 comentários:

  1. Gosto de livros que te levam a reflexões, te fazem rever atitudes, que te fazem pensar muito. E esse é uma trilogia!!
    Beijos
    Lú Santana

    ResponderExcluir