{Resenha} Perfeitas Mentiras de Emanuel Moraes

O que você faria se descobrisse que a sua vida sempre foi uma grande mentira?
Depois de passar um ano fora do país, Bernardo Belinazzo, o queridinho da sociedade, está de volta a Curitiba e para a vida que ele foi forçado a deixar para trás. Como encarar uma vida que teoricamente não é mais sua? Como seguir em frente depois do que aconteceu? Mas Fernanda Alcântara, a garota perfeita, estava esperando a volta do melhor amigo, só não tinha certeza de quem ele havia se tornado, afinal, todos eles mudaram depois daquela noite. O Menino de Ouro. A solitária. O eterno sedutor. A garota problema. Todos mantinham as máscaras que foram obrigados a usarem desde que nasceram, mas por trás delas, não existiam mais os jovens que acreditavam ser invencíveis. Seis vidas que cresceram em um mundo onde sorrir no momento certo pode definir toda sua vida. Amores, intrigas, amizades, inveja e redenção.A jornada para se libertar de algo que lhe foi imposto nunca é fácil.
Você tem que ter certeza de suas escolhas.Você tem que ter certeza de quer sair.Você tem que ter certeza do que quer viver.Pois não dá para fugir, e você pode descobrir que não é forte o bastante para encarar.Você vai tem que aprender a jogar.No final de tudo, as suas melhores amigas, são as Perfeitas Mentiras de que tanto quer se livrar.
Chiado Editora * 2015 * 347 páginas * Classificação 5/5



“Às vezes o que nos resta é nos jogarmos no buraco e enfrentar a escuridão. Você pode achar que mudou, mas os velhos hábitos sempre voltam nos momentos em que menos imaginamos. Cuidado, pois a história está apenas começando e a queda vai ser longa.”



Luxo, status, amizades desfeitas, confianças quebradas. Tradição, preconceito, morte. Segredos, mentiras...

Alguns dos ingredientes que encontramos nessa trama, muito bem desenvolvida. Criada para enlouquecer o leitor.

Bernardo, Fernanda, Guilherme, Beatriz, Rafael e Gisele, seis amigos com um passado cheio de dor, com um presente cheio de mentiras. Seis amigos que guardam cada um da sua forma, segredos e dores. Segredos esses ligados a outro amigo, um amigo que se perdeu. Marcel deixou sua marca em cada um deles. Saudade, culpa, dor, lágrimas. Impossível compreender o que de fato aconteceu naquele dia. O que foi que levou a ruína de alguns, a depressão de outros e a vontade imensa de se esconder, de ser o que não é?
Dor, mágoa, sorrisos forçados, meias verdades. Culpa, vergonha, medo.

O quão longe podemos nos afundar em mentiras?
Quanto do que vivemos é verdade e quanto não?

“As pessoas vivem prometendo que tudo irá ficar bem. Não é mesmo? Mas se esquecem de avisar que o preço a ser pago é muito caro. Todos sempre se esquecem desta parte.”

Bernardo deixou tudo para trás há um ano. Agora ele está de volta. Mas quem disse que se pode deixar o passado para trás? Ele terá que enfrentar tudo o que ficou, e ao que parece novas bagagens que ele adquiriu nesse ano fora.

Rever os seus amigos deveria ser o melhor de tudo. Mas quando cada um se esconde atrás de suas mentiras, estar acompanhado pode não ser o melhor.


A maioria se esconde atrás de bebidas, festas. Outros preferem se esconder atrás de si mesmos. Mas todos eles usam como sustentação suas mentiras. E nós a todo momento tentamos encontrar uma pequena brecha para poder desvendar uma ponta que seja de algum de seus segredos. Mas parece que essa não é uma tarefa fácil.

“Você pode correr o quanto for do seu passado, mas ele sempre irá te alcançar e com muito mais força do que antes. É fácil se acostumar a viver numa fantasia onde você vê apenas o que quer, mas às vezes o seu transe fantasioso é tão grande que você acaba vendo apensar o que os outros querem que veja. Esse é o verdadeiro perigo. Apagar uma parte da sua história às vezes pode ser um dom, afinal se não há um passado não há culpa. Mas você sabe que o que está por vir sempre tem um peso muito maior do que aquilo que você acha já ter superado.”

Somos cercados de segredos. O que de fato aconteceu com Bernardo e Guilherme? O que o amigo fez que magoou tanto o outro? O que tornou Bea uma mulher tão fútil e que busca na vida desregrada uma forma de se esconder? Porque a culpa assola Rafael e Guilherme? Porque parece que Gisele e Fernanda tem mais segredos do que aparentam? Quem será que tanto atormenta Bernardo a ponto de temer pela sua vida?

Do que vale a pena abrir mão para ser feliz? Status? Família?
Verdades! Mentiras!
Quanto vale a sua felicidade?

“Às vezes nós mesmos criamos nossas jaulas por medo de encarar a realidade.”

Uma das coisas que mais me fascinou na história foi a construção dos personagens.
Eles são fascinantes, intrigantes, misteriosos e... não sei rs. Eles tem algo que fica difícil de explicar. Aquela sensação de que você os conhece, mas ao mesmo tempo não sabe nada sobre eles.
Você não sabe se pode confiar, se eles dizem a verdade. Se eles ao menos são o que dizem ser.
Em quem confiar? Quantas faces pode ter uma mesma pessoa?
Quantas mentiras pode guardar uma simples palavra?
Eu não sei. Eu acompanhei a história, a finalizei e não consigo entender realmente quem eles são. E isso é frustrante e isso é maravilhoso em uma história.

Realmente me intriga o que está por trás de cada segredo, de cada mentira e talvez até de algumas verdades. Mas como saber? Como confiar? Em quem acreditar?

“Há uma enorme diferença entre mentir e viver uma mentira. Mas para qualquer uma das duas opções você tem que ser muito esperto. Nunca se esqueça de que tudo tem um preço.”

Confesso que o final quase me matou. É aquele final: - Como assim? Sério mesmo que tudo o que você vai me contar é isso?
E como se já não fosse suficiente, um novo acontecimento vem a tona, nos fazendo temer quem pode realizado aquele ato.

Perfeitas Mentiras é uma história que vai lhe prender do começo ao fim, que vai fazer com que você deseje estar ao lado desses personagens, mas ao mesmo tempo afastado de todo esse mundo cheio de segredos, rodeado de mentiras e de pessoas com mil faces.

“O que as pessoas precisam entender é que a vida é diferente de um conto de fadas, ela é imprevisível e não devemos nos desculpar pelas consequências que ela trás por você ter escolhido viver. Estamos propícios a tudo e a todo momento. Até mesmo o para sempre pode ser o fim.” 
                                                                                                                
Realmente foi uma história que me prendeu, li de um dia para o outro, tamanho era o meu entusiasmo, e sim confesso que é um pouco, ou melhor, muito frustrante não conseguir entrar mais fundo na mente desses personagens e desvendar tantos mistérios que os envolve.
Agora é aguardar a continuação e torcer para não ter uma sincope com essa espera. E torcer para que no próximo o autor seja um pouco mais bonzinho e nos de mais peças para montar esse quebra-cabeças.

Quanta dor e culpa podem estar escondidos atrás de um sorriso?
Quantas mentiras se escondem atrás de um olhar?


EU PRECISO DESSAS RESPOSTAS!


2 comentários:

  1. Parece ser uma leitura densa, forte que por traz de mistérios, de segredos te faz pensar, refletir e questionar. Somos o que mostramos ser?
    Fiquei um pouco curiosa com o final. kkkk
    Beijos
    Lú Santana

    ResponderExcluir
  2. O livro tem essa capacidade de nos deixar malucos tentando desvendar e entender cada personagens e suas história. Um livro real e maravilhoso.

    ResponderExcluir