{Especial Karol Zepon} Entrevista com a Autora


Oi pessoal.

Saber um pouco mais sobre nossos autores é muito bom. Eu adoro as entrevistas por causa disso. Eles sempre nos contam algum segredinho e podemos conhecer um pouco mais o que vai nessas mentes maravilhosas.

E hoje poderemos saber um pouco mais sobre a Karol, seus sonhos e sua mente mágica.


Karol por Karol. (fale um pouco sobre você)
Nossa... Difícil. (risos) Bem, me considero leitora voraz, projeto de escritora, uma formiguinha por amar doces e uma criança. Minha paixão são os livros, mas também gosto de HQs e mangás. Para mim, não há nada melhor do que estar com quem eu gosto. E eu adoro escrever enquanto minha cachorrinha está nos pés da minha cama.

Como foi o seu primeiro contato com a literatura? Fale um pouco sobre a Karol leitora.
Para não deixar de ser eu, meu primeiro contato foi com a literatura fantástica, e depois com os contos de fadas. Por causa disso, sou apaixonada por esse mundo que vive me fazendo sonhar. Sou meio chatinha para livros, aqueles românticos super melosos me fazem torcer o nariz.
Sou apaixonada pelas obras de J. R. R. Tolkien, C. S. Lewis, Lewis Carroll, Samanta Holtz (que foge à regra; mas amos seus livros), FML Pepper, série Harry Potter, irmãos Grimm, A Guardiã (de Ane Viz), Sombra de um Anjo (de Ana Beatriz Brandão) e Máscara (de Luiz Henrique Mazzaron).

De onde vem a inspiração para as histórias?
Sinceramente? Eu não faço ideia! Simplesmente surgem. Uma vez a inspiração veio na hora do almoço e tive que escolher entre escrever e almoçar. Escolha difícil... (risos)

Qual foi a primeira história que escreveu?
Sem considerar as paródias que fazia, foi um pequeno conto (redação no ensino fundamental) com uma colega de sala de aula, sobre um casal de namorados que viajavam para a praia e a moça morria afogada. Só consigo me lembrar dessa parte da história e que o nome da protagonista era Annie. Cheguei até a criar uma continuação, mas perdi as duas histórias quando minha mãe resolveu jogar fora os papéis que estavam na minha escrivaninha. Se não me engano, o nome era “Um amor além da vida”.

O que você pode sugerir para os que estão se iniciando na literatura?
Não desanimem. Muitos vão criticar e desencorajar; mas a vontade deve ser mais forte que tudo. Simplesmente deixe a história nascer e vá escrevendo sem preocupação com o final. Depois, leia, releia, reescreva...

Sua família incentiva seu trabalho? Eles lhe ajudam dando ideias para os enredos, ou até mesmo servindo de inspiração?
Recebo muito incentivo, sim; mas não com ideias. Meu pai, principalmente, sempre me dá parabéns quando publico algo (seja em antologias em pelo KDP); minha avó adora ler o que escrevo e até meu irmão dá apoio, do jeito dele, claro.

Você é muito musical. Tem alguma playlist especial que gosta de ouvir enquanto escreve suas histórias? Ou trilhas sonoras que lhe servem de inspiração?
Ouço muito rock; normalmente, Pink Floyd. Isso me ajuda a escrever mais rápido e a me desligar das coisas ao redor.

E se suas histórias virassem filme? Qual seria o Elenco dos Sonhos para cada livro?
Infelizmente não tenho para todos... Enquanto escrevia as histórias, imaginei esses:
Layla, de Dias Mais Felizes: Fernanda Vasconcellos;
Erick, de Dias Mais Felizes: Max George, da banda The Wanted;
Christine, de Baile de Máscaras: Isabelle Drummont;
Stella, de Uma Vez em um Sonho: Nathalia Dill;
Matheus, de Uma Vez em um Sonho: Nick Bateman.

Você tem alguma personagem que mais gosta, alguma que é mais especial?
Tenho, sim... A Clarinha. Ela é a que mais gosto, a que tenho um carinho especial. Poderão conhecê-la em maio de 2016.

Você é uma autora muito eclética, consegue escrever sobre romance, fantasia... Como lida com as diferenças de gêneros literários na hora da escrita? É um processo difícil?
Não é muito difícil, mas também não acho fácil. Minha preferência literária é a fantasia; mas, por algum motivo, não consigo escrever muito sobre ela. A escrita demora mais, a história não flui tão facilmente e a criatividade é pouca. Os romances acabam surgindo com mais facilidade.

Descreva um mundo fantástico perfeito! (os leitores irão amar)
Não fiquem bravos comigo, mas não posso contar! Isso faz parte de um projeto para o segundo semestre de 2016 e não quero estragar a surpresa...

O que você acha que precisa para que o leitor brasileiro comece a perceber mais a nossa literatura?
Primeiramente, deixar a ignorância de lado. Isso mesmo; além do preconceito há a ignorância. Enquanto os brasileiros continuarem com rótulos, novos escritores não terão vez.

Literatura e internet combinam?
Quando só está disponível em e-book, sim. Acho que nada supera o livro físico; o virtual é mais barato e mais prático para armazenamento, mas não supera o impresso.

Fale um pouco sobre suas próximas histórias. 
Estou finalizando um conto: o de uma princesa; escrevendo dois livros: a história completa, e com detalhes, de Dias Mais Felizes, e um livro que podemos dizer ser de literatura fantástica. Também estou rabiscando duas histórias que o enredo gira em torno de cachorros ( *-* ), um livro de contos e uma história sobre um futuro após uma grande guerra.
E ainda tenho as “parcerias”: um livro e um conto, com meu namorado, sobre histórias orientais; um roteiro para histórias em quadrinhos com um amigo; uma história com um amigo da faculdade.

Quais são os sonhos da Karol?
Conseguir publicar as minhas obras por uma editora, construir minha família, abrir um café estilo europeu (onde as pessoas possam ler e comer ou beber algo em um local confortável) e, principalmente, ser feliz!

Deixe um recado para todos os fãs e leitores.
Muito obrigada por acreditarem no meu trabalho e lerem minhas obras! Isso é muito importante pra mim... E eu adoro todo o feedback recebido, acredito que isso só me faz crescer e melhorar!
Prometo novas histórias com muitas emoções em breve!


Que linda.
Agora que vocês já sabem um pouco mais sobre a autora não deixem de conhecer também suas histórias.

É isso pessoal. Nosso especial infelizmente termina por aqui. Mas com certeza ainda teremos muitas novidades lindas sobre a autora e suas obras.

beijossss


6 comentários:

  1. Oi Nanda, é tão bom conhecer um pouco mais dos escritores ainda mais sendo brasileiros eu amei cada resposta dela bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fer. Que bom ficamos muito felizes. É lindo demais descobrir e apoiar novos autores.

      Beijoss

      Excluir
  2. Adorei a entrevista, a Karol parece ser uma pessoa muito bacana e apaixonada por leitura, assim como a escrita. O projeto do blog está sendo ótimo, adoro conhecer novos autores.
    Abraços :)

    ResponderExcluir
  3. Já disse em outro post, Karol é muito talentosa. Agora, posso dizer também que é simpática, dá para perceber que ela é uma pessoa ótima. Boa sorte em todos os seus sonhos, Karol, inclusive na publicação das suas obras e no empreendimento em um café estilo europeu, aposto que dará muito certo!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Adorei a entrevista e de conhecer a autora, não tinha vista falar dela e não conheço os livros mas vou procurar saber mais sobre eles

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Muito legal a entrevista com a Karol é sempre bom poder conhecer um pouco mais das pessoas de trás do livro, suas influencias, inspirações !!

    ResponderExcluir