{Resenha} O conto do Mundo Perdido, de Jefferson Andrade

Há muito tempo duas grandes raças surgiram, a dos gigantes de gelo e a dos deuses, cada uma tendo seus próprios poderes e seu líder, no caso dos gigantes Ymir e no caso dos deuses era Odin. O poder das duas raças se equiparava, e ambas eram dotadas da imortalidade, mas havia uma diferença muito grande entre elas: enquanto que os deuses visavam utilizar seus poderes para prosperar o mundo que habitavam, os gigantes tinham uma única meta em suas vidas, destruir tudo em seus caminhos...''
Histórias da cosmologia do mundo surgem nas mais diversas religiões, todas encaradas como simples crendices de povos antigos. Mas e se não fosse assim tão simples? E se esses deuses e monstros antigos ainda pudessem existir, além de um mundo imaginário?
Nesta aventura, Willian Gregory, um jovem tenente do exército americano, se depara com um mundo mágico e extremamente perigoso, capaz de saltar aos olhos não só pelo fascínio, mas também pelo terror. Em uma incrível jornada dentro do mundo da mitologia nórdica, ele irá se defrontar com seres como elfos, anões e goblins, e carregará o fardo da sobrevivência de povos estranhos a ele, mas cujas quedas podem gerar consequências catastróficas em nosso mundo.

Editora Kiron * 2014 * Páginas: 331

Lançado pela editora Kiron, O Conto do Mundo Perdido é o primeiro livro da série As Crônicas de Ragnarok. Para começar a história, imaginem: um jovem tenente é enviado, em missão, ao Afenagistão. Durante os dias da invasão, ele e seus homens sofrem uma emboscada. Após o ataque, percebe que a única maneira de se salvar é andar e explorar o local, até que descobre uma espécie de runas.
Gregory acaba partindo em uma jornada mágica, e você quer o acompanhar nesse novo mundo cheio do sobrenatural. O que você faria se fosse o único capaz de derrotar um terrível inimigo, onde seres imortais reinam?
Bem, o jeito é ler para descobrir. E, assim como eu, não tirar os olhos das páginas e acompanhar, fascinada, os detalhes desse mundo.
Acho que já sabem que amo fantasia... E esse livro recomendo para quem gosta de se aventurar sem sair do lugar!

0 comentários:

Deixe seu comentário