Desapego literário

Oi, pessoal! Tudo bem?

Estou aqui para contar para vocês como foi minha experiência de desapego de alguns livros... Acreditem, não foi tão ruim quanto parece (risos). Muitos sabem que meus livros são intocáveis e não podem ser danificados; também não suporto a ideia de destruir um livro, mesmo que a criação dele sugira essa finalidade.

Tudo começou em 2010, quando doei minha coleção Twilight e os primeiros exemplares de House of Night para o meu irmão. Eram livros que eu não gostava, pois não concordei com o que as escritoras fizeram; então meu irmão os trocou em uma biblioteca municipal, no barganha book, para iniciar sua biblioteca. Depois disso, minha coleção particular cresceu e eu tentei ser mais seleta com minhas aquisições; mas isso não deu certo.
Biblioteca August Herzog,
em Wolfenbüttel (Alemanha)
No início de janeiro de 2016, acabei vendendo A Mediadora, Os Instrumentos Mortais, Trilogia Millennium e O Lado Mais Sombrio. Minha estante estava pequena demais e não havia espaço para todos os meus livros; também não havia espaço em casa para mais uma estante e/ou prateleiras.
E, meu último desapego, foi no Carnaval. Por motivos de emergência "familiar", vendi Teardrop e as séries Fallen, A Queda dos Reinos, Bruxos e Bruxas, Trylle e Hanna Swensen Mysteries.
Foi difícil? Um tanto quanto... Mas por ter um propósito atrás disso, deixou mais fácil o momento da entrega. Se, algum dia, eu precisasse vender outros, ficaria mais difícil. Creio que no momento não tenho algum que não seja favorito...

Bem, essa foi a minha experiência com desapego... E vocês, têm alguma?

2 comentários:

  1. Aiaiai corajosa voce! Tenho um ciúmes dos meus livros haha
    Mas quando não quero algum sempre deixo na biblioteca!

    ResponderExcluir
  2. Oi Nanda, ai eu nunca vou desapegar dos meus bebês não tenho coragem, bjs.

    ResponderExcluir