{Resenha} Aonde Quer Que Eu Vá de Beatriz Cortes

O sonho da vida de Ester se realizou. A Confederação Brasileira de Ginástica a escolhe como representante nacional nos Jogos Olímpicos em Sydney, 2000. Ester vivencia um paradoxo entre o caos de um campeonato mundial e seu amor incondicional pelo esporte, tendo que vencer seus próprios medos e conflitos longe de sua família. O pior acontece; a ginasta, abalada, volta ao Brasil, onde um reencontro inesperado renova sua esperança. Mas será o amor a força suficiente para mover não apenas seu corpo, mas todo seu coração?

Tocante e profundamente sensível, este romance irá te emocionar e te fará enxergar que a felicidade é possível mesmo diante das incompreensíveis surpresas do destino.

Novo Século * 2016 * 318 Páginas * Classificação 5/5 


Queria encontrar uma palavra para definir a beleza, a realidade e os sentimentos transmitidos por essas histórias...

Histórias assim, tão reais, tão palpáveis, tão verdadeiras, nos deixam sempre com aquela sensação de abrasamento no coração e de uma forma ou de outra tentando encontrar uma forma de expressar tudo o que sentimos.

Ester e Bruno entram em nosso coração de uma forma que de lá nunca mais sairão. É impossível não nos sentirmos conectados a eles, como se fôssemos mais uma pessoa da família.
Desde o inicio nos apaixonamos tanto por um quanto pelo outro.
Torcemos por eles, torcemos para que seus destinos se reencontrem novamente. 


“O amor chega de repente, quando não se espera, quando não se busca. Ele só chega e pronto.”
  

Ester é uma garota com grandes sonhos e imensas responsabilidades. Ela é ginasta e irá representar nosso país em duas categorias. Ela tem tudo para se sentir uma pessoa feliz e completa, mas isso esta bem longe de sua realidade. Ester sente um vazio, uma sensação estranha, uma inquietação que nem ela mesma sabe explicar de onde vem, ou descrever o que acontece consigo mesma. Ela chega a se achar egoísta, coisa que ela não é.
Ester me encantou por seu jeito simples, carismático e determinado de ser. Ela não faz tipo, nem charme e nem tenta ser o que não é. Ela simplesmente é uma garota com sonhos, vivendo sua vida e enfrentando os acontecimentos que a permeiam como qualquer pessoa.
Sua família a ama e são muito próximos, mas infelizmente não poderão acompanha-la a Sidney para as olimpíadas e isso a deixa ainda mais insegura e temerosa. Mas mesmo assim ela sabe que precisa enfrentar seus fantasmas, principalmente Alexandra, a técnica carrasca de sua equipe, e para isso ela contará com a ajuda de sua amiga Isabela que estará ao seu lado em todos os momentos.

Em seu primeiro dia em Sidney, elas comparecem a um baile de máscaras e Ester então conhece Bruno, um verdadeiro príncipe, meio desastrado rs, mas um príncipe, eles só tem aquela noite para se conhecerem, mas ela basta para que percebam que seus mundos estavam predestinados a se encontrar.
Ele precisa ir embora no outro dia, mas em seus corações aqueles momentos ficariam eternizados.
Agora mais do que nunca Ester se sente sozinha, eles perdem o contato, mas não deixam de pensar um no outro. Então quando o pior acontece para a ginasta, ela não consegue superar e precisa voltar ao brasil antes do tempo.

Infelizmente as coisas não saíram como o esperado, mas esse retorno que deveria ser doloroso, também pode encher a vida dela de doces surpresas e reencontros, e agora ela e Bruno poderão viver suas vidas e superar juntos o que a vida estiver guardando para eles.

E será através do amor que Ester vivenciara os momentos mais arrebatadores de sua vida, porém também os mais dolorosos que ela imaginou enfrentar. Mas é através do amor que ela também aprenderá de onde vem à força do ser humano, sua vontade vasta de lutar por seus sonhos e como aprender a seguir em frente e ser feliz.

Doces surpresas. Momentos arrebatadores. Lágrimas. Sorrisos. Grandes lições aprendemos com esses personagens. A força do amor verdadeiro, a superação dos obstáculos que fazem parte de nossa vida. Como seguir em frente após uma grande dor?


“A vida pode até ser mais difícil para os que não desistem, mas certamente ela consegue ficar ainda mais bela para os que têm fé.”
  

Aiiii gente, melhor parar né? Se depender de mim, ficaria aqui horas e horas conversando e falando, e falando rs, tudo sobre essa história. O quanto sorri, o quanto torci, e claro o quanto chorei. Nunca vou parar de imaginar qual o motivo dessas autoras nos fazerem sofrer tanto. Mas só depois que a dor maior vai embora, que finalmente conseguimos entender todo o significado do motivo do personagem e de nós sofrermos e de tudo o que aprendemos ou recordamos com isso.

Nossa vida é um presente precioso. Os momentos vividos, as pessoas que passam por nossa vida, devem ser eternizadas em nosso coração. Sabe aquela velha história: - Viva cada momento como se fosse o último? Pois é, histórias assim tendem a nos relembrar disso e nos fazer pensar o quanto estamos, ou não, fazendo isso. Histórias assim tem o dom de nos mostrar o quanto estamos deixando de viver por pequenas coisas, quantas pessoas deixamos de ter em nossas vidas, ás vezes, por coias tão pequenas, tão insignificantes.
Não temos o poder de saber como seria nosso destino, mas se soubéssemos será que faríamos algo diferente? Será que amaríamos mais, sorriríamos mais, faríamos mais pessoas felizes, cometeríamos mais gestos nobres? Impossível saber. O que podemos saber, e devemos viver, é que tudo o que fica na nossa vida, mesmo depois da nossa ou da morte daqueles que amamos, é o que vivemos, nossa fé, e a forma com a qual amamos, se verdadeiramente e profundamente ou não. E não falo somente de um tipo de amor, falo de todos eles.

Aprendemos com todos esses personagens a força do amor, da amizade, do cuidado, das conquistas dos nossos sonhos.  Que as dificuldades e que as dores sempre existirão, mas cabe a nós supera-las e continuar a comemoração que é o presente que recebemos por cada dia poder acordar e respirar!


“Existem muitas formas de vencer. E ganhar uma medalha não é a única!”
  

Ester, Bruno, Isabela, Mia, Guilherme, Valentina, até mesmo Alexandra e muitos outros. Cada um desses personagens tem algo a nos ensinar, nos mostram caminhos que podemos seguir, ou não, a escolha sempre será nossa.
Personagens que encantaram e deixarão muitas saudades. Impossível não terminar a história e sentir aquela sensação de vazio (por vários motivos), mas principalmente por ficar a saudade já dessa turma e nos perguntar como seguirão agora com suas vidas? Mas basta fechar os olhos e podemos vê-los em sua fé inabalável em Deus e no amor e podemos imaginar como eles estão.

Não quero falar muito sobre como foi o final. Como eu disse, quem aqui tem o poder de saber como será nossa vida amanhã?
Algumas coisas são como esperamos, outras não. Mas com certeza todas elas tem um motivo para acontecer, uma razão, muitas vezes não compreendida e aceita no momento em que acontece. Mas apesar de muitas vezes querermos ter o poder de apagar algumas coisas, querer fugir de outras, ou simplesmente negar que elas aconteceram e não desejar seguir em frente, são elas que fazem de nós o que somos e que nos conduzem pela vida, nos ensinando que superar e seguir em frente é sempre possível. 


“A vida pode até ser mais difícil para os que não desistem, mas certamente ela consegue ficar ainda mais bela para os que têm fé.”

 Aonde quer que eu vá - Os Paralamas do Sucesso

 Só posso dizer que a Bea se tornou mais uma autora xodó e que eu leio tudo, mas tudinho mesmo o que ela escrever. Muitos escrevem, mas são poucas histórias que tocam o coração.

Beijosss 


2 comentários:

  1. Me lembro que vc mostrou esse livro alguma outras postagem, que até tinha a capa aberta dele...parece ser uma história que nos leva a reflexão. Só uma coisa me incomodou, parece que tem personagens de mais, mas só lendo para saber, né? bjs

    ResponderExcluir
  2. Aaaaaaaaaaah meu coração <3 Que resenha mais linda, Fê! Apaixonei! Obrigada pelo carinho com meu trabalho! De verdade. Fico feliz que tenha gostado! E não me mate. rsrsrs Beijos

    ResponderExcluir