{Resenha} Divagaísmo de Cláudio Furtado

'Divagaísmo' é essa arte de sair só e lentamente da realidade. Se antes os poetas flanavam para encontrar inspirações nos ares das ruas, hoje eles divagam através do éter, através desse grande espaço mágico, único e interminável que é a existência. Os poemas de Cláudio Furtado vão revelando surpresa, dúvida, deslumbramento, espanto, encontrando um mundo que não precisa ser real e concreto, mas que pode ser ideal e criado com as palavras.

Jaguatrica * 2016 * 190 Páginas * Classificação 5/5




Divagar = caminhar sem rumo; andejar, vagar, vaguear.
Não fixar o pensamento.

Que ótimo seria se pudéssemos esquecer a realidade por determinado tempo. Divagar. Esquecer um pouco os problemas, a correria do dia a dia, deixar o pensamento ir longe. Muito longe.
Creio que essa seria a proposta de Cláudio Furtado ao nos apresentar sua obra: Divagaísmo.
Gosto de ler poesia, apesar de não ser um gênero tão frequente em minha lista, pelas possibilidades que eles nos dão.
No caso do livro de Cláudio, principalmente essa possibilidade de sair um pouco da realidade e me focar em sua escrita, mesmo que muitos poemas me levassem a reflexão, exatamente sobre momentos em nosso cotidiano.


O maravilhoso de livros de poesia é exatamente isso, abrir nossa mente e nossos olhos e muitas vezes enxergar determinadas situações com outro olhar, com outra percepção.


No prefácio do livro, somos convidados a fazer uma leitura intuitiva, e é a ela que me entrego.
Envolvemos-nos com sua escrita, nos sentimos um pouco dele em cada poesia. Um dos motivos de gostar de poesias é exatamente esse, a possibilidade de sentir muitas sensações ao mesmo tempo, de refletir sobre vários sentimentos e muitas vezes sobre algo que nunca paramos muito para refletir...
Usar sentimento

A escrita do autor é maravilhosa, percebemos sua sensibilidade, sua inteligência em lidar com diversos sentimentos e expressá-los para o mundo, sua sensibilidade é indiscutível e com certeza ele consegue o que se propõe, nos fazer refletir sobre diversos sentimentos, seus, do mundo e nossos.
A diagramação é simples, mas a capa é um convite a abrir essas páginas. Ela nos transmite exatamente essa sensação de desconectar um pouco com o “tudo” do mundo e nos conectarmos com o nosso interior. Um convite à paz.
Então convido você leitor a se aventurar por essas páginas, refletir sobre você, sobre o mundo e divagar!

Beijosss e espero que gostem tanto quanto eu.

3 comentários:

  1. confesso que não leio muitos livros de poesia, entretanto gosto de conferir alguns títulos. Eu não conhecia esse livro, mas pelas suas palavras deve ser muito interessante, ainda mais por conta das reflexões que podemos encontrar nessas páginas. Gostei da capa também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Josi, eu gosto muito de poesias, sempre gostei, havia deixado esse amor meio de lado e foi bom retornar.
      Beijoss

      Excluir
  2. Amei o livro e recomendo
    O autor consegue nos fazer viajar.
    Maravilhoso.
    Aguardando o próximo livro

    ResponderExcluir