{Resenha} Grito (de Guerra) um conto de Rennan de Andrade


Todos nós já fomos vítimas em algum momento de nossas vidas: vítimas de agressão, de estupro, de racismo, e de preciosas perdas. E se já ficamos marcados quando algo assim acontece uma vez, imagina como ficaríamos se isso passasse a ser regular? Ficaríamos transtornados, sem chão, ou qualquer outro lugar para pisar. Nos sentimos sozinhos, mesmo quando há centenas de pessoas ao redor; e nos sentimos sujos, mesmo com nossa consciência estando limpa. Passando a tomar de um veneno, que transforma o temor em raiva e a coragem em medo, algo que faz a gente querer viver e morrer ao mesmo tempo. A partir dai, chega a pergunta chave: vale tanto a pena viver?
“Meu nome é Nicholas. Há algum tempo, eu acreditava que ter amigos é apenas uma questão de tempo e dedicação. Acreditava que, se eu me esforçasse, eu conseguiria tudo e um pouco mais. Hoje, porém, todas essas crenças mudaram, e me trouxeram até aqui: sentado, no chão do meu quarto, segurando uma arma roubada, perguntando-me se atirarei em minha cabeça ou em meu coração.”
Um conto por Rennan Andrade, escritor de “A Luz de Cada Mundo” e “Imperfeição”. Quando nunca foi tão difícil fazer uma escolha...



Em seu novo conto “Grito (de Guerra)”, Rennan Andrade nos apresenta Nicholas, um adolescente que mudou de cidade, corte de cabelo e ingressou no tão temido Ensino Médio. Um mundo à parte, alheio aos olhos adultos, uma “selva” onde o mais forte sobrevive.

E com tantas mudanças, ele esperava a melhor: de ser diferente do que era na outra escola. Infelizmente não é o que acontece, no começo do conto, já nos deparamos com um Nicholas depressivo e questionando se a sua própria vida vale a pena ainda.

É... tomamos esse choque logo no início, mas aos poucos voltamos e entramos em sua história, até compreender como ele chegou ali. E quando logo ali lemos a palavra “compreender” é isso mesmo, ao longo do conto Nicholas relata o que pensa e o que acontece na escola, como ele nunca foi um aluno popular, como nunca sequer alguém o procurou para fazer amizade sem interesse. 
Podemos enxergar alguma pessoa que conhecemos, uma notícia em algum jornal, talvez agora esquecida de um jovem não compreendido pela sociedade, talvez você, que prefere se calar ao fazer as tantas perguntas sem respostas, pois não sabe para quem perguntá-las, um mundo cercado de tanto ódio gratuito.

Um conto maravilhoso, que retrata o bullying e a depressão. Um grito silencioso, com um peso enorme que leva ao extremo. Duro de aguentar sozinho e quando chega ajuda ou você não acredita mais ou pode ser tarde demais.


Nota do Autor: Em homenagem ao meu grande amigo, R. O medo pode nos ferir tanto quanto pode nos fazer ferir. Esse conto, baseado numa história real, que reflete a história de milhões de jovens brasileiros que algum dia sofreram bullying, é a prova disso. R hoje tem 21 anos. Superou, com a ajuda da família, todos os obstáculos, e hoje, ele é formado em matemática e está noivo de uma enfermeira. Essa história é pra homenagear todos os obstáculos pelos quais ele teve de passar para chegar até aqui e, se R conseguiu superar todos os seus problemas, então você também conseguirá.


Beijos




1 comentários:

  1. Oi, Fernanda! Tudo bem?

    Contos sobre bulliyng e depressão, apesar de serem tristes e melancólicos, são realmente interessantes de se ler, por conta de sua narrativa envolvente.

    Gostei muito da resenha. Parabéns!

    Beijos,
    Danny
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir