[Resenha]: Paganus (Livro 1) — de Simone O. Marques

Sinopse: Portugal, 1673. Chamadas de bruxas pela inquisição, três gerações de mulheres celtas terão que deixar tudo o que conhecem para trás e fugir em busca de um lugar onde possam viver suas crenças livremente e encontrarão um caminho repleto de pedras e flores. O nascimento de uma criança, uma missão, um grande amor, histórias que se cruzarão de encontro ao destino em uma desconhecida terra nova, chamada Brasil. Para a Igreja, eram bruxas. Para a Grande Mãe, suas herdeiras. Para os homens, sua perdição...

Este é o segundo livro da Simone O. Marques que leio, e pela segunda vez, encantei-me. Antes de qualquer coisa, quero agradecer a autora por ter me enviado essa maravilha. Trata-se de uma trilogia. Agora convido a todos para conferir o book trailer e resenha de — Paganus, Saga As Filhas de Dana —, uma publicação da editora Alfabeto.



Envolvente! 
Surpreendente! 
Maravilhoso! 

Lisboa, 1660 - 1670 
Diogo e Douglas são irmãos gêmeos, filhos de Dom Mário Couto e Eugênia. Aos 8 anos a mãe vem a falecer, deixando a todos entristecidos. O marido, por sua vez, além de triste se revolta. Ele torna-se ainda mais amargo e por tempos enfrenta uma depressão. Os garotos, apesar de aparentemente iguais, são completamente diferentes em anseios e atitudes: Diogo, assim como a mãe, sempre fora provido de um bom coração, o que causava algumas lutas corporais com o irmão Douglas, além de certa insatisfação por parte do pai. Ambos foram criados pela tia e madrinha, Carlota. Porém, ao completarem 18 anos, são destinados a seguir ao lado do pai para caçar pagãos... Algo que Diogo não concorda, mas que acaba por fazer. 

Diogo beijou a testa da tia, respirou fundo e virou as costas saindo em direção ao cavalo que o esperava. Ele não queria deixar a corte, não queria caçar hereges ou queimar bruxas, mas não havia escolha para um filho de Dom Couto. Com o coração despedaçado, Diogo seguiu o pai rumo a uma vila no meio do nada, rumo a um futuro nebuloso. Em um breve olhar para trás ele viu Carlota na varanda. Ela acenava para ele com um lenço branco... (Livro: Paganus, Pág.23) 

Gleide é mãe de Adele, uma jovem linda que está esperando o seu primeiro filho, concebido também pelo jovem Alan. Todos moram em uma aldeia, no meio da floresta. A propósito, eles não são cristãos e cultuam a mãe natureza como Deus. Sendo assim, são considerados pagãos —, e quando a aldeia é invadida pelos filhos de Dom Mário, a fim de caçar os hereges, Diogo informa Gleide sobre a intenção de ataque, alertando-a para que avise a todos. E no dia do ataque, algo terrível acontece: muitos não se confessam cristãos e são castigados. Diogo fica ao lado de Gleide e Adele, amparando-as da morte, o que já não consegue com Alan (pai do filho de Adele). Os três fogem para a mata e se escondem em uma caverna, onde Adele dá a luz a uma linda menina, chamada Daniele. 

— Somos pagãs sim! Talvez até essas bruxas de que nos apelidaram... Tu és um cristão! Teu Deus não tolera os nossos! Deves ficar entre os teus! És rico! Um nobre! Não podes embrenhar-te pelas matas conosco! A natureza é nossa Deusa. Com ela falamos e ela nos atende. — Gleide viu o rapaz respirar profundamente antes de erguer os olhos em sua direção. Havia um brilho especial naqueles olhos escuros que a intrigou. (Livro: Paganus, Pág.61) 

Diogo deixa a corte e se embrenha em uma nova vida, ao lado de Gleide, Adele e Daniele. Desta forma sente-se feliz, além de se apaixonar por Adele, assumindo um romance com a mesma e também fazendo de Daniele sua filha. E por tempos eles fogem de uma aldeia para outra, fingindo-se cristãos, para não serem queimados pela fogueira da inquisição. Porém, mesmo sendo cuidadosos, são descobertos: Adele é capturada e sofre horrores nas mãos de Douglas (irmão de Diogo). Sendo assim, Diogo planeja o resgate, levando em consideração o fato de ambos serem idênticos e tirando vantagem sobre isso. 

Diogo se aproximou e empurrou o irmão fazendo-o cair de costas e apoiou o joelho sobre seu peito. Depois puxou a adaga, retirando-a. Seu olhar era frio, enquanto nos olhos de seu irmão, via o desespero e a agonia... Os irmãos que sempre lutaram para não serem iguais, naquele momento, compartilhavam sentimentos que lhes rasgavam a alma. (Livro: Paganus, Pág.155) 

Agora cesso os meus comentários para não soltar spoilers

E pela segunda vez perco o fôlego com um enredo da Simone O. Marques, uma sensacional criadora de enredos à la ficção/fantasia. Eu inicie essa leitura já fazendo ideia do que encontraria, mas como a autora é muito inteligente e sabe construir uma trama como ninguém, novamente fui pega pelo coração. Em Paganus viajei para um outro mundo, mundo este que a autora conduziu de forma entorpecedora. A propósito, o que revelei na resenha é pouco diante do conteúdo, pois depois de tudo que falei, acontecem muitas outras coisas: entram novos e importantíssimos personagens, especialmente Antônio, por quem me apaixonei. S2 

Afirmo que Gleide (a bruxa mor) não me desceu, apesar de suas boas intenções. Mas Adele e Diogo me arrebataram, mesmo depois de... Ah, deixa eu me calar para não soltar spoiler. E quando o enredo finca uma adaga em meu coração, eis um novo casal para fazer o meu miocárdio palpitar de forma descompassada. Em Paganus encontrei de tudo um pouco: romance, drama, suspense, magia, e acima de tudo, um conteúdo com conteúdo. O final foi magnífico e me deixou com um gostão de quero mais. Agora me encontro assim, louca para conferir o livro 2 (que é ambientado no Brasil), além do livro 3. 

O enredo é narrado em terceira pessoa, com diálogos um pouco rebuscados (algo que amo!), porém de fácil compreensão; a diagramação é linda, com espaçamentos e fontes na medida certa, envolta em papel pólen (o amarelinho), levando no início de cada capítulo a imagem da capa, e nas outras páginas (nas laterais), folhas esvoaçando pelos ares; sua capa é maravilhosa, estampando Adele, personagem de suma importância na trama. Por fim, para quem curte um enredo envolvente e bem escrito, eis essa deliciosa pedida. Eu finalizo essa resenha com a máxima: — Eu leio até mesmo a lista de compras da Simone O. Marques. \o 


Livro: Paganus, Saga As Filhas de Dana (Livro 1) 
Autora: Simone O. Marques 
Gênero: Romance/Fantasia 
Editora: Alfabeto 
Ano: 2015 
Páginas: 320

Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/

0 comentários:

Deixe seu comentário