[Resenha]: O Beijo da Serpente — de Ademilson Chaves

Sinopse: A vida de Mary no Reino do Norte não é nada fácil, ela vive com o pai e a irmã adotiva, Madeleine, além de uma loba de estimação por quem tem grande afeto e uma ligação misteriosa. Tudo fica mais difícil quando seu pai morre, e ambas — ela e a irmã adotiva — precisam encontrar um meio para sobreviverem. Mary descobre que a família do pai no Reino do Sul é provida de bens e status, e que ela está prometida em matrimônio ao futuro duque de Brendon. Desta forma, instigada por Madeleine a buscar essa nova condição e também em conhecer o noivo, ela parte ao lado da irmã e da loba numa longa jornada até o Sul. Contudo, Mary não desconfia dos planos diabólicos da irmã adotiva: no Reino do Sul, Madeleine se apaixona perdidamente pelo noivo de Mary, mas uma onda de mistérios e acontecimentos fazem com que as coisas mudem drasticamente. Madeleine torna-se duquesa de Brendon, Mary está entre a vida e a morte na grande Floresta Negra, mas um homem misterioso surge para mudar toda a situação e livrar Mary das garras de uma poderosa bruxa. Esses são os componentes que levarão Mary a descobrir que ela tem inimigos que jamais imaginou existir. O Beijo da Serpente é um romance do gênero fantasia, com uma história de amor envolvente e bem traçada. Arrisque-se! Mergulhe nas páginas desse livro fantástico, onde amor e ódio, sangue e neve, fantasia e realidade prendem o leitor numa trama arrebatadora.

Instigante! 
Misterioso! 
Maravilhoso! 

Mary é uma linda e carinhosa garotinha de 8 anos que vive com o pai, o senhor Alisson Vernon. Sua mãe falecera quando nasceu, e desde então foi criada pelo genitor. Desde que nascera, foi presenteada com uma loba, chamada Kyara. Ainda na infância, o seu pai resolve socorrer uma criança que está desabrigada e passando apuros nas ruas da velha capital do Reino do Norte. Essa criança tem a mesma idade da sua filha e se chama Madeleine. Porém, com o tempo, todos passam a chamá-la de Mad. E a garota que fora socorrida sente aversão especialmente pela loba, e sequer imagina que a ligação de Mary com Kyara vai além de um afeto sincero... Elas foram amaldiçoadas por um feitiço jogado por Zorah, uma bruxa poderosa. 

Foi em meio àquele caos, nas ruas da velha capital do Reino do Norte que o senhor Alisson viu a estranha menina caída na calçada. Ainda nevava. Ele tentou fingir que não a tinha visto ali, mas seu bom coração não permitiu fazer aquilo. (Livro: O Beijo da Serpente, Cap.1) 

O que era para ser apenas um socorro imediato, tornou-se uma vivencia certeira. E Mad foi criada como parte da família, especialmente pelo senhor Alisson, que a tratava como filha. Mas ela não estava satisfeita: tinha inveja da beleza e carisma da irmã, além de tantas outras coisas... Ela queria uma vida melhor; queria um amor que fizesse seu coração bater descompassado; ela queria poder. Em meio a maldade que permeia seu coração, Mad coloca um plano maquiavélico em prática, no momento que o senhor Alisson falece e ela descobre que Mari, na verdade, tem sangue real e está prometida em matrimônio para o futuro duque de Brendon, chamado George. 

Quando a imensa porta do salão se abriu, Madeleine ficou perplexa com tamanha suntuosidade. Nunca havia visto tanto luxo. Deslumbrou-se ao ver o enorme lustre no meio do salão, que parecia flutuar carregado de luzes cintilantes. Temeu a presença de tanta gente, todos bem-vestidos. Decerto, eram nobres. E então ouviu anunciar:
— Senhorita Mary Vernon! (Livro: O Beijo da Serpente, Cap.15) 

A maléfica Mad consegue se livrar de Mary e Kyara. E mentindo, se passa por Mary, na intenção de conseguir um casamento com o futuro duque de Brendon e ter todas as regalias que uma duquesa possa ter. Ela pensa ter se livrado da irmã postiça e da loba, mas sequer imagina que o feitiço jogado nas duas não fora quebrado. Mad se apaixona por George, porém não faz ideia de que o mesmo está apaixonado por aquela que deveria considerar como irmã, afinal, antes mesmo de o senhor Alisson falecer, Mary passara por uma situação aterrorizante e constrangedora, onde George a salvou. Naquele momento, ambos se apaixonaram. 

Houve uma tarde onde tudo ficou escuro, pesadas nuvens cinzas e lúgubres cobriram o céu. Um vento forte soprava com tanta força, que as árvores da floresta pareciam se dobrar causando um barulho assustador, as folhas e todas as coisas leves foram lançadas pelos ares, o vento rodopiava pelo telhado de palha como se quisesse entrar à força para o interior da cabana onde eu e Noah estávamos. Eu, encolhida em um canto; ele, agachado e tentando manter o fogo, pois o frio era rigoroso. (Livro: O Beijo da Serpente, Cap.23) 

Mary é socorrida por Noah. Ele é um homem solitário que mora numa singela e precária cabana, no meio da Floresta Negra... Um lugar lindo, porém assombrado por demônios. Noah é um homem recluso, devido algumas de suas características física que assusta a tantos, pois nascera com algumas deformidades. No entanto, destaca-se em coragem e um bom coração, o que desperta em Mary um novo sentimento. Ela, por sua vez, desconfia que sua loba está viva, devido o feitiço que não fora quebrado. Aliás, a bruxa que jogou o feitiço, ou seja, Zorah, se encontra presa na masmorra do castelo onde Madeleine está, se passando por Mary. Agora cesso os meus comentários para não soltar spoilers

O que eu falei acima é pouco diante da grandiosidade do contexto. Existem muitos outros personagens e situações de suma importância na trama, alguns deles peças fundamentais e que nem foram mencionados aqui, pois se eu continuasse a falar sobre o enredo, daria spoilers. Se você acha que eu falei muito na resenha... Não se engane! Tem muita história por trás disso tudo. Há acontecimentos que marcam a trajetória, conduzindo-a de forma instigante, fechando e abrindo ciclos. O autor conduziu a trama de forma magistral, fechando um quebra-cabeça regado em sabores e dissabores, vingança e justiça. Isso tudo em um enredo de época e do gênero fantasia. 

Eu me apaixonei por todos os personagens. No entanto, houve um que ganhou o meu coração de forma única, ou seja, o Noah. S2 Eu senti vontade de colocá-lo no colo e dizer: "Calma, tudo vai ficar bem!". Também senti vontade de dar uns bons tapas na Mary e dizer: "Acorda, garota!". Porém, foi em Mad que fiquei com vontade de dar uma surra, pois mostrou-se desde o início uma víbora maquiavélica. O final do livro foi surpreendente, não deixando nenhuma ponta solta e envolvendo-me ainda mais com a trama. Mas como eu já disse, isso não foi novidade, pois o autor consegue me deixar assim com seus enredos muito bem construídos e envolventes. Eu fiquei muito satisfeita em como ele finalizou a história, especialmente o epílogo, pois apenas afirmou que para todo crime... há um castigo. 

O livro é narrado em terceira pessoa, dividido em cinco partes, aos olhos de alguns personagens; sua diagramação (em formato e-book) está caprichada, com a imagem da capa inserida em cada início de capítulo, em excelente tamanho de fonte e espaçamento; e sua capa é divina, estampando Mary de costas em frente a cabana de Noah. S2 Por fim, para você que curte um enredo fascinante e que te prenda do início ao fim, eis essa maravilhosa pedida. E para finalizar com chave de ouro, eu afirmo com a máxima: — Eu leio até mesmo a lista de compras do Ademilson! \o 

Livro: O Beijo da Serpente 
Autor: Ademilson Chaves 
Gênero: Fantasia 
Publicação: Independente 
Ano: 2016 

 ✔ Para adquirir o livro em formato e-book, clique AQUI.


Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/

0 comentários:

Deixe seu comentário