{Resenha} O Resgate de Nicholas Sparks

Confrontado com situações de extremo perigo, Taylor McAden, bombeiro voluntário, expõe-se até ao limiar do perigo. Denise é uma jovem mãe solteira, cujo filho de cinco anos sofre de um inexplicável atraso de desenvolvimento e a quem ela devota a sua vida numa tentativa de o ajudar. Mas o caso vai aproximar estes seres. Numa noite de tremendo temporal, Denise sofre um acidente de automóvel e é Taylor quem vem socorrê-la. Embora muito ferida, a jovem depressa toma consciência de que o filho já não se encontra na sua cadeirinha do banco traseiro. Taylor irá até ao fim de uma angustiante noite de buscas para o encontrar. Foram tecidas as primeiras malhas que os irão unir - o pequeno Kyle desabrocha ao calor da ternura daquele homem. Denise abandona-se à alegria de um amor nascente. Mas Taylor tem em si cicatrizes antigas, que o não deixam manter compromissos de longa duração. Nicholas Sparks, esse talentoso contador de histórias, intervém com a sua magia redentora e a sua inigualável capacidade de aprofundar a complexidade das relações e dos afetos.


Arqueiro * 2014 * 316 Páginas * Classificação 5/5
 



Quantas chances na vida existem para sermos felizes? Uma? Duas? Mais? Será, que se realmente deixarmos as oportunidades de felicidade irem embora elas podem retornar?

Parece que Taylor não se deu conta disso, na verdade ele nunca parou muito bem para pensar sobre o assunto. Viver a sua vida de forma meio solitária nunca foi nada que o preocupasse. Até que em um acidente ele conhece Denise. Ela está ferida e fica apavorada quando percebe que seu filho de quatro anos não esta na cadeirinha no banco detrás do carro.
Em momentos de intensa aflição e muito desespero, vamos acompanhar um Taylor capaz de tudo para ver essa criança, que ele nem ao menos conhece, retornar aos braços de sua mãe sã e salva.
Ele só não sabia que esse resgate iria mudar o seu destino. Ele não contava que iria se encantar pelo garotinho e se apaixonar pela mãe.

Denise não esperava se apaixonar. Sua vida é intensamente e totalmente dedicada a seu filho Kyle, um menino lindo, encantador, doce e apaixonante, que é praticamente uma criança normal, se não fosse por um pequeno problema, nunca nem diagnosticado de forma correta, que faz com que Kyle não consiga se expressar através da fala, como outras crianças normais.
Mas então, a vida de Kyle e sua mãe mudará após o acidente que fez com que conhecessem Taylor.
Em uma cidade pequena é impossível não se reencontrarem, e desde o começo ambos percebem que entre eles existe aquele “algo a mais”, então é inevitável uma aproximação, e Kyle aceita muito bem, ele se apaixona por Taylor e vê talvez nele a figura paterna que nunca teve. 

“Na vida você vai conhecer pessoas que sempre lhe dirão as palavras certas nos momentos certos. Mas no final você deve julgá-las é pelas suas ações. São as ações, não as palavras, que importam”.
Mas como sempre em sua vida, Taylor não parece estar seguro de que merece ser feliz e pode por tudo a perder.

Bem não há mais muito o que falar. A história é simples, sem muitos detalhes. Mas o encanto está ai. A história desses três caminha de forma tranquila, digna de uma vida de alguém que mora em cidade pequena sabe?
Acho que é isso que me encanta nas histórias de Nicholas, eu consigo visualizar essas pessoas vivendo histórias simples e reais que qualquer pessoa poderia viver.
São histórias que não precisam de vários elementos controversos para nos segurar, para nos encantar. É em sua simplicidade que nos vemos conectados aos personagens, torcendo por eles, chorando com eles, sorrindo com eles, e muitas vezes gritando para que eles parem de cometer burradas.
O resgate vai além do significado vocabular da palavra. No início podemos pensar que o título refere-se somente ao resgate que acontece no início do livro. Mas não, pelo menos, não para mim. O significado do título refere-se ao resgate que o amor, o carinho, a entrega e todo o esforço que os personagens fazem por aqueles que amam, principalmente Denise.
Podemos pensar que é Taylor que a resgatou, mas na verdade Denise é a heroína, ela salvou a seu filho, salvou a si mesma, e salvou Taylor de sua culpa, seus medos e suas dores.

Os três com certeza são os personagens principais, mas quem ganha a cena todo o tempo é Kyle. É impossível não se apaixonar por ele desde o começo e sentir toda a dor e preocupação da Denise. Seus questionamentos e suas preocupações tocam nossos corações e ficamos nos perguntando quantas mães passam por algo parecido todos os dias de duas vidas?

“As pessoas vem e vão. Elas entram e saem de sua vida, quase como personagens em um livro. Quando você finalmente o fecha, os personagens contaram suas histórias e você recomeça outro livro, cheio de novos personagens e aventuras. Então se vê concentrando-se nos novos, não no passado.”
Denise é uma personagem guerreira. Cometeu uma “burrada” em sua vida, se é que pode-se dizer isso, mas foi lá e enfrentou as consequências, ela é uma mulher maravilhosa, mas acima de tudo é uma mãe que é um exemplo de amor incondicional.
Taylor é o personagem que vem balançar nosso coração e a vida de Denise e Kyle. Ele é maravilhoso, mas percebemos que ele logo irá nos fazer sentir alguns momentos de raiva, mas também sabemos que quando o seu grande medo for revelado estaremos dispostas a doar nosso ombro para ele chorar.
Taylor é bombeiro voluntário e as cenas dele em ação trazem a história um ingrediente de ação que deixa tudo fluindo ainda mais e me deixou mais apaixonada ainda já que acho essa uma das profissões mais lindas e nobres do mundo.

Mas é em uma cena dessas que uma nova tragédia acontece na vida de Taylor (lá vem o ingrediente que quase nunca falta nas histórias de Nicholas) e que poderá fazê-lo acordar para tudo o que pode perder.

Enfim, acho que realmente já falei demais. Como disse, não esperem uma história cheia de reviravoltas, muito drama e personagens que se amam e se odeiam, e no final descobrem que precisam ficar juntos a todo custo.
O Resgate é uma história de amor, superação, mas acima de tudo é a história de uma mãe que luta pela felicidade de seu filho, de uma mulher que deseja ser feliz e de um homem que descobre que precisa de alguém ao seu lado. Que viver sozinho não é um castigo do qual ele precise se impor.

No final do livro encontramos uma explicação de Nicholas para sua inspiração para Kyle, e acho que chorei ali mais do que chorei na história. Geralmente (quase sempre) ele se inspira em alguém de sua família para criar um personagem e daí criar todo o enredo de suas histórias e dessa vez não poderia ser diferente, mas entender quem foi sua inspiração tornou a beleza e o significado da história ainda mais profundo.

Então só posso indicar para quem já ama o tio Nick e para aquelas pessoa que gostam de um bom romance sem muito mimimi, um romance calmo e maduro mas com muita delicadeza. 

Espero que amem a leitura, afinal tio Nick sempre nos da o que pensar e muito o que sentir.

2 comentários:

  1. Oi, Fernanda!
    Eu até agora não tinha me interessado em livros do Nicholas, mas lendo sua resenha surgiu a sementinha da curiosidade. Gostei muito de saber que não tem muitos dramas e reviravoltas. Já não basta a minha vida hahahha
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção seis anos de Caverna Literária
    Promoção Natal Literário
    Participe do Sorteio de Fim de Ano

    ResponderExcluir
  2. Eiiii, amei seu blog *o*
    Nunca li esse livro, mas essa resenha incrível me fez ter vontade de ler. O que mais gosto na narrativa dele são as construções dos dramas. Sempre choro horrores com as histórias. Mas "O resgate" me pareceu mais feliz, mais alto astral (porque se a criança vê em Taylor a figura paterna, já é um bom começo de felicidade :B) do que as história que li antes dele e por isso estou mais animada para ler.
    Beeijos,

    htttp://www.utopiananuvem.com.br

    ResponderExcluir