[Resenha]: Samhain (Livro 2) — de Simone O. Marques

Sinopse: Brasil, 1690. Ao pisar numa nova terra, Daniele sabe que sua missão está apenas começando. Entretanto, a perseguição sofrida por sua mãe e sua avó chega através do braço da inquisição e seus representantes, obrigando-a a enfrentar novamente a intolerância. Para isso, terá que manter a força das Filhas de Dana, mas será que está preparada para abrir mão de alguém que muito ama para que o destino se cumpra? A Igreja lhe tirou a família. A Deusa a lançou ao mar. O destino fará seu coração sangrar.

A minha primeira leitura do ano foi mais que maravilhosa, afinal trata-se da continuação de um livro que muito gostei, e que faz parte de uma trilogia (para conferir a resenha do livro 1, clique AQUI). Agradeço a autora Simone O. Marques pelo envio do livro, e convido a todos para conferir a sinopse e resenha de "Samhain, Saga As Filhas de Dana (Livro 2)", uma publicação da editora Alfabeto.

Uma continuação apaixonante! 

A seguir, spoilers. 

Brasil, 1690 
Daniele, o marido Antônio e o seu irmão Mateus partem para uma nova terra chamada Brasil. Ela e o irmão tiverem que deixar a aldeia que moravam e a família que tanto amavam para se salvarem, além de Daniele ter de cumprir com sua missão — diga-se de passagem — ainda não revelada pela Grande Mãe, ou seja, a Deusa que acredita. Eles foram acolhidos por Sr. Amâncio (um fazendeiro rico) e Dona Olímpia (sua esposa), que também viajara ao lado deles de Portugal para o Brasil. 

Daniele acreditara que a missão que a Grande Mãe lhe dera deveria ser cumprida nesta terra onde estava, mas não sabia qual era e quando deveria ser cumprida ou mesmo de que forma a Deusa agiria, e aquilo a afligia. Estava tão distante daquilo que conhecera! Seus pais e sua avó haviam morrido, sacrificando-se para que ela pudesse partir e agora ela não sabia o que devia fazer. Acariciou suavemente o ventre onde seu filho crescia. (Livro: Samhain, Saga As Filhas de Dana - Pág.29) 

Daniele chega ao Brasil com um filho no ventre, e sob a proteção do Sr. Amâncio e Dona Olímpia segue os dias ao lado do marido e irmão, escondendo suas origens pagãs até mesmo de Dona Olímpia, pois ela é uma cristã fervorosa. A fazenda onde estão morando é provida de escravos e índios, o que a faz ficar mais próxima de sua natureza, pois assim como ela e o irmão, todos cultuam seus deuses, algo que o Sr. Amâncio deu liberdade para que os fizessem e que Dona Olímpia o recrimina por isso. Daniele acaba tendo uma linda garotinha, que apesar de nascer prematuramente, é saudável e deixa a dona da fazenda encantada. No entanto, assim que a criança nasce, Daniele pede para que Antônio e uma das escravas faça o ritual de costume, apresentando a filha à Lua. Desta forma Antônio pede permissão para Dona Olímpia, que mais do que nunca desconfia de Daniele com tal costume pagão. Contudo, deixa com que faça o ritual, desde que façam um acordo... 

— Que tua filha seja batizada por mim e Amâncio, que se chame Tereza em homenagem a santa de minha devoção e que se case no futuro com Henrique — falou e viu os belos olhos verdes encherem-se de lágrimas, mas Daniele nada disse. — Ela será bem tratada, Daniele, como se fosse de meu sangue e ainda fará um bom casamento — completou e esperou para ouvir o que a jovem tinha a dizer. (Livro: Samhain, Saga As Filhas de Dana - Pág.68) 

Por questão de segurança e ansiando em seguir com o costume, ambos concordam com a proposta de Dona Olímpia, com a promessa de que Tereza se case com o seu filho, Henrique, que agora estuda no Rio de Janeiro, mas que no futuro estará próximo a eles. Apesar de todos viverem bem na fazenda, Daniele sabe que aquele não é o lugar do qual fora incumbida para um propósito maior, e a revelação de uma tragédia vem em sonho, o qual a deixa angustiada. E dentre essas intempéries de acontecimentos, há uma discussão com Severino, o feitor que mantinha os escravos, Padre Jerônimo, um homem que desde o início desconfia de Daniele e sua fé pagã, além de Guilherme (irmão de Antônio), com quem Daniele fora noiva no passado, e que viera de Portugal a procura de sua amada. 

— Ele... foi teu noivo Daniele... o que achas que ele veio procurar aqui? — verbalizou seu temor pela primeira vez desde que vira o irmão. (Livro: Samhain, Saga As Filhas de Dana - Pág.126) 

Agora cesso os meus comentários para não soltar mais spoilers. 

Falar sobre um texto da Simone O. Marques é prazeroso, pois ela passou a fazer parte da minha lista dos autores nacionais que mais amo. E por mais uma vez ela conseguiu quebrar o meu coração e me deixar instigada: quando eu penso que ela já fez de tudo em Paganus... Lá vem ela com Samhain, um enredo que me deixou ainda mais entorpecida. A propósito, o que eu disse acima é pouco diante o que a trama leva consigo: eu terminei de contar onde, na verdade, a história começa a pegar — literalmente — fogo. Neste segundo livro eu me deparei com uma Daniele ainda meiga, porém mais segura de seus propósitos e com maior sabedoria. O marido Antônio, a meu ver, predominou apaixonante em meu coração e demonstrou continuar sendo o homem forte e de opinião. O casal Amâncio e Olímpia também ganharam o meu coração, não sei se terei a mesma opinião no livro 3, mas neste eles me agradaram muito. Por outro lado, o Padre Jerônimo (e outros dois personagens) me causaram asco e tive vontade de entrar dentro das páginas para enforcá-los, pois devido a uma das ordens do padre, houve um acontecimento que me devastou e que de fato teria de acontecer para que a trama seguisse de tal forma. 

A autora soube construir uma trama bem amarrada e com cenários, personagens, enredo e diálogos envolventes, algo que eu já esperava, pois já conferi outros dois textos dela. Uma das características que me chama atenção na escrita da Simone, é que mesmo ela escrevendo textos envoltos mais em narrativa, não fica fazendo firulas, e acaba sendo bem direta na trama (odeio texto que enche linguiça). No final da história houve uma nova e surpreendente revelação que me deixou com um gostinho de "quero mais"... Tanto que já dei início a leitura do terceiro e último livro da série. SE EU GOSTEI? NÃO, EU NÃO GOSTEI... EU AMEI! E como sempre... Leio até mesmo a lista de compras da Simone. \o 

O livro é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está com fontes e espaçamentos em excelentes tamanhos, adornada em papel pólen (o amarelinho), e leva a cada início de capítulo a imagem de Daniele; a capa é linda de viver, estampando uma linda e aparentemente triste Daniele. Por fim, para quem curte uma maravilhosa trilogia com um enredo celta/pagão, eis essa belíssima pedida. Eu mega indico. \o 

Livro: Samhain, Saga As Filha de Dana (Livro 2) 
Autora: Simone O. Marques 
Gênero: Romance/Fantasia 
Editora: Alfabeto 
Ano: 2015 
Páginas: 224

Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com.br/

0 comentários:

Deixe seu comentário