[Resenha]: INOCÊNCIA PERDIDA — de P. M. Mariano

Sinopse: Até onde vai a crueldade humana? Felipe sentiria na alma e no corpo que tudo não é apenas carinho e amor. Após descobrir que tinha uma família, viu que os anos passados no abrigo São Marcos, foram os melhores de sua vida. E que a felicidade que tanto desejava em família, era ilusória e, aos poucos, descobre que a vida não é tão simples, e que até mesmo entre famílias existem monstros. Aos onze anos sentia na pele a violência e a crueldade daquele que deveria amá-lo e protegê-lo. O que poderia fazer, se a vida de seu irmão dependia de ele aceitar os caprichos de uma mente doentia? Como fugir do monstro que vivia a seu lado? Esta é a história de um menino que tinha rosto de anjo, mas viveu um inferno na vida. 

Hoje apresento-lhes a resenha de um livro impactante, enviado pela minha mais nova parceira, a escritora Priscila Marcia Mariano  ou P. M. Mariano  (P.S: Obrigada, Priscila!). 💘💘💘 Trata-se de um enredo que leva como pano de fundo um tema pesado, ou seja, pedofilia/violência sexual, além de tantos outros agregados. Agora convido a todos para conferir a sinopse e o meu parecer de "INOCÊNCIA PERDIDA - A SAGA DE UM PINTOR (LIVRO 1)", o primeiro livro de uma trilogia, uma publicação da DRAGO EDITORIAL


"Porque o mal pode estar fantasiado de bem..." 

Um enredo para corações fortes!

Felipe, um garoto de onze anos, crescera sobre os cuidados de padres, no orfanato São Marcos. Um tanto peralta, aprontava umas e outras, tendo ao lado o inseparável amigo Daniel. Seu sonho era ter uma família que o amasse. E como numa dessas surpresas que o destino nos reserva, acaba por ficar de frente com um garoto idêntico a ele.


"Felipe havia acabado de sair do refeitório, tendo à mão um sanduíche e ia abocanhá-lo, quando deitou os olhos sobre Tobias. O gesto que antes ia fazer morreu num instante, para depois se deter, surpreso, diante do menino. Olhando-o, Felipe se via diante de um espelho. A única coisa diferente que havia entre eles, fora a roupa é claro, era o cabelo, curto era bem verdade, mas o do menino era mais claro do que o dele." (Livro: INOCÊNCIA PERDIDA, Pág.19)

Felipe acaba por descobrir que tem um irmão gêmeo, além de um pai. Tobias fora criado pelo avô  Fabio Orlando de Albuquerque , tornando-se parte da família, porém rejeitado por seu verdadeiro pai, um dos filhos de Fabio Orlando, chamado Carlos Fabio. Este, por sua vez, afastou-se da família, ao pedir que o pai fizesse uma escolha entre ele e o garoto que a família acolhera. O pai, sem pestanejar, sabendo do caráter do filho, escolheu Tobias. Carlos Fabio mudou-se para São Paulo, formou-se e tornou-se um rico empresário, além de casar-se com Marcele, com quem teve um filho, este chamado Natanael. 


"Com o passado de Carlos exposto, a vida prosseguiu seu curso. Como era de se esperar e talvez incentivado por Marcele, o registro dos meninos foi feito, dando nome ao pai ausente. Para a certeza absoluta, a pedido de Fabio Orlando de Albuquerque, o teste de DNA acabou constatando em documento oficial para que ninguém pudesse contestar aquela verdade. Realmente, Felipe e Tobias eram filhos legítimos de Carlos Fabio de Albuquerque. Para surpresa de todos, Deus os havia unido... Só faltava a certeza de como essa união persistiria." (Livro: INOCÊNCIA PERDIDA, Pág.54)

Um pouco antes dessa reviravolta, houve um triste incidente na vida do casal: o filho, Natanael, fugira de casa. Ele nunca fora encontrado. Tendo em vista essa dolorosa situação, Felipe e Tobias, aparentemente, entram na vida do casal para preencher essa lacuna. O que Felipe não contava é que seu maior sonho tornara-se um pesadelo. Para proteger o irmão  Tobias , que é mudo, aceita as monstruosidades do pai, deixando-se ser abusado. 



"— Você não vai contar a ninguém o que estamos fazendo. — voltou a falar, agora com a voz rude, nervoso. — Se alguém descobrir. — Apertou os genitais do filho com mais força, fazendo-o gritar de dor. — Eu acabo com você e termino com seu irmão. — Sorriu atroz. — Ele é tão bonito quanto você... E silencioso. Não se esqueça disto... Felipe." (Livro: INOCÊNCIA PERDIDA, Pág.87)

Agora cesso os meus comentários para não soltar mais spoilers.  

Um, dois, três... Deixa eu respirar! Pois bem, foi desta forma que me senti com essa leitura. A propósito, eu já esperava isso, no momento que dei de cara com a capa, título e, claro, a sinopse. E tendo o drama como meu gênero predileto, essa foi mais uma belíssima surpresa. De antemão, afirmo: "Eu leio até mesmo a lista de compras da Priscila Marcia Mariano!". o/

INOCÊNCIA PERDIDA é um enredo ácido, impactante. Um drama indicado para leitores com o coração forte. Descrito de forma singela e verossímil, faz com que o leitor se compadeça com tal situação, mesmo porque sabemos que isso existe  até mesmo em grau ou circunstância maior. Felipe é uma criança como qualquer outra, arteiro e que sonha ter uma família feliz, e quando se vê numa sinuca de bico, deixa ser usado de diversas formas por aquele que deveria protegê-lo. EU CONFESSO, tive que estacionar a leitura algumas vezes, tamanha angústia que senti. Além do terrível pai, há um outro personagem que é tão maquiavélico quanto, chamado Humberto. O final teve reviravoltas bombásticas, a autora conduziu esse desfecho dando um soco atrás do outro, apresentando um garoto sofrido e rodeado por preconceitos, além do psicológico destruído. Nada obstante, estou ansiosa para conferir a sequência deste (espero que seja publicado o quanto antes). o/

O enredo é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, com espaçamentos e fontes em boa medida, adornada em papel pólen (o amarelinho); e a capa é bem bonita, condizendo com a trama, estampando um triste garotinho a caminhar. Por fim, se você gosta de enredos impactantes, excelentemente escrito e editado, eis essa maravilhosa pedida. S2



Livro: INOCÊNCIA PERDIDA
(A SAGA DE UM PINTOR  LIVRO 1)
Autora: P. M. Mariano
Gênero: Drama
Editora: Drago Editorial
Ano: 2016
Páginas: 316
Abraços literários,
Simone Pesci 
http://simonepesci.blogspot.com.br/

0 comentários:

Deixe seu comentário