Sobre o Blog





Minha paixão pelos livros vem desde a minha infância. Fica sempre difícil lembrar o momento mais exato. Mas eu tenho quase certeza que foi lá pelos meus 8 ou 9 anos, porque eu consigo me lembrar de quem me apresentou a esse mundo. Minha professora Mara, esse deve ser um dos motivos porque me lembro dela com tanto carinho até hoje. Ela era MARAvilhosa, uma professora muito querida e carinhosa com todos os alunos (como eu queria poder encontra-la novamente) sabe ela era mesmo tipo uma professora Helena do Carrossel (sim elas existem).


Não lembro o porquê e nem como, sei que ela percebeu meu interesse pelos livros e desse momento em diante, ela sempre pegava um livro na biblioteca da escola e me emprestava, e me lembro vagamente de nós duas conversando sobre os livros que eu havia lido. 


Lembro-me que no meio dessas leituras, estava a coleção Vaga-Lume, que eu adoro até hoje (e espero que um dia meus filhos, quando eu tiver, rs, possam gostar também), a coleção Salve-se Quem Puder, uma coleção super interativa, e o livro que marcou a minha infância, A Fada que Tinha Ideias, que eu não tenho infelizmente, mas que pretendo ter, afinal ele fez mesmo parte de minha infância e sempre lembro dele. É incrível, como as vezes esquecemos de alguns detalhes de nossas vidas, e lembramos de outros com tanta clareza. 


Pois bem, após esse começo apresentado pela minha professora eu não parei mais. Na época uma amiga da minha mãe, a Eleci (o contato diminuiu um pouco com o tempo, mas tenho ela no meu face até hoje), gostava de ler também, ela tinha muito daqueles livros de banca, sabem de romance? Pois bem, ela me emprestava muitos livros, e ai eu fui lendo cada dia mais e mais livros, e conhecendo mais gêneros. Nessa época eu já devia estar com uns 12 ou 13 anos, e claro que achava os livros ás vezes meio “apimentados”, mas na minha época, nós ainda não éramos tão maliciosos, e eu não achava nada demais e algumas coisas nem devia entender, acho eu. O que sei é que gosto deles até hoje, tenho uma prateleira da minha estante só com os famosos livros de banca. E claro foi lendo eles que comecei a gostar de romance.


Daí em diante eu não parei mais. Fui a uma biblioteca, fiz minha carteirinha, fiz minha mãe fazer uma também, kkkk, assim eu poderia pegar mais livros toda vez que fosse retirar algum na biblioteca. E foi nessa época que conheci, o Sidney Sheldon, o autor que me despertou ao mundo do gênero policial, um dos meus preferidos. Eu não consigo me lembrar (e olha que isso seria mais recente) se alguém me falou dele, ou se simplesmente eu o peguei aleatoriamente entre tantos na biblioteca. O que eu sei, é que depois que li o primeiro eu não parei mais, com certo tempo, eu já havia lido TODOS os dele (pelo menos todo que havia na biblioteca). E nunca mais parei.


Minha mãe tinha o costume de me dar um pouco de bronca por causa disso que ela chamava, e chama até hoje de vicio. Eu não sei se é um vicio, uma dependência, ou como algumas vezes ela já disse, uma “doença”, sei que ler é algo que me faz bem, que me acalma, que me transmite paz, e clareza quando eu preciso. Ela costumava dizer isso pelo fato de que ás vezes eu ia madrugada afora lendo. Quantas vezes eu não fingi que estava dormindo, só para esperar ela ir se deitar e poder me levantar e ler sem que ela brigasse tanto? Não é que minha mãe era contra esse hábito, não, mas é que ela achava que era demais. Ás vezes eu ia comer com o livro do lado, e isso a preocupava muito. Mas foi tudo bobagem da cabeça dela. Eu não fui aquelas crianças que ficavam dentro de casa somente em cima de livros, ao contrário fui muito, muito arteira (e tenho algumas cicatrizes para provar), acontece que sempre que eu tinha tempo entre os estudos e brincar com minhas amigas, minha melhor companhia era entre os livros. Hoje minha mãe já não briga tanto, afinal não moro mais com ela, mas ás vezes ela não perde a oportunidade, principalmente quando ela pergunta o que eu quero de presente e a resposta é sempre a mesma: - um livro, rsrs. 


Minha estante começou a crescer de verdade, depois da febre de Crepúsculo, outro livro que me marcou até hoje. Eu já tinha alguns claro, mas lembro que foi nessa época que comecei mesmo a comprar sempre mais e mais livros e é assim até hoje, se eu tenho algum dinheiro para gastar comigo, geralmente é gasto em livros. Claro que eu também gosto de comprar roupas, bolsas e essas coisas, mas menos, bem menos, meus gastos mesmo, são com livros.


O Blog, já é uma outra história. Eu conheço esse mundo do blog, a um tempinho, acho que mais ou menos um pouco antes disso também virar uma febre, mas para quem me conhece sabe de um probleminha meu: eu sou péssima com a tecnologia, é sério, eu e ela não nos damos bem, e isso porque dizem que Aquário é o signo da modernidade ( e deve ser por isso que não acredito em signos). Mas eu sempre fui péssima com essas coisas. Enquanto meus amigos estão “super por dentro” de tudo que é lançamento, rede social ou sei lá mais o que, eu sou sempre a última a saber, e a última a aprender a mexer também. Celular? O meu é bem básico, só gosto de ligar e mandar mensagem, tablet, iphone e não sei o que mais? Tenho até pavor de chegar perto de um kkkk (acho que nasci na época errada), é claro que sei que hoje em dia algumas coisas até se tornam necessárias, mas enquanto elas não são EXTREMAMENTE necessárias na minha vida, eu as deixo bem longe de mim. 


Então confesso que não fazer o Blog á muito mais tempo, foi questão de preguiça e má vontade em querer aprender a mexer nessas coisas. E um pouco de medo também, como eu disse sou péssima com tudo que é novo, e me lembro como se fosse hoje, das fotos de minha primeira vez na praia, quando sem querer apaguei TODAS elas, antes de ter a chance de revelar e guardar aquelas lembranças tão especiais. Então me desculpem se morro de medo da tecnologia, ela realmente me apavora. Kkkk.


Mas como eu disse chega uma hora que algumas coisas se tornam “necessárias”. E ai me mudar de cidade e conviver mais com uma prima do meu esposo a Amanda (que tem um blog de moda), que ao contrário de mim AMA tudo que é ligado á tecnologia e modernidade, conheci o blog dela, e a alegria dela com ele, e o entusiasmo era tanto, que me cativou e ela me fez perceber o quão legal seria ter um, e ai fiquei pensando, que realmente seria MARAVILHOSO ter um espaço onde eu pudesse escrever sobre todos os livros que leio, fazer matérias que eu gostaria de ler em algum lugar, enfim, ter um espaço para compartilhar com mais pessoas que como eu, amam ler. Só nós apaixonados por livros, que sabemos quanta falta faz, alguém para conversar sobre os livros que lemos, ou que ainda vamos ler. E foi assim que o Mato Por Livros nasceu, da ideia de eu ter um espaço onde eu possa colocar tudo sobre as minhas leituras e esse mundo maravilhoso. 


O nome? Bem o nome no começo foi meio difícil, claro que com a Amanda me ajudando, na verdade até hoje ela precisa me ajudar em um monte de coisas, principalmente na parte técnica do blog, bem senão fosse por ela, ele nem deveria mais existir, porque já passei por cada apuros tentando mexer em algumas coisas. 


Mas então no dia em que fomos criar o blog, conversamos, ela me perguntou algumas ideias, e não gostou de nenhuma (como eu disse ela ama tudo que é ligado a tecnologia, a internet e enfim) então ela achava que o nome não podia ser grande demais, nem em inglês e mais um monte de outras coisas, kkkkk. Então enquanto conversávamos, sobre meus gostos literários, os livros que já havia lido, eu fui contando, quantas horas de sono eu já havia “matado” para ler um livro, ou quantas vezes quase “morri” de fome, porque me esquecia de ir comer porque estava terminando tal livro, e ai surgiu a ideia do Mato, rsrs, Mato porque teoricamente eu Mato por um livro, mas mato minha hora de dormir, de comer, entre outras loucuras cometidas por esse mundo das palavras. Eu não poderia deixar de contar minha ultima loucura, rs. 


Outra coisa que eu não gosto, cartão de crédito kkk (realmente eu devo ser de outra época). Mas ao ler um e-book (que consegui comprar em uma livraria, tranquilamente pagando em boleto. Simplesmente AMEI o livro. Até ai tudo bem, o que eu tinha que fazer? Comprar o segundo, entro na livraria não tem, somente poderia comprar pelo Amazon, corri fiz meu cadastro e efetuei a compra, e na hora de pagar? Nada de boleto, surtei né? E agora, ué a única solução possível, fazer um cartão de crédito, pois bem foi o que fiz, kkkk, loucura né? Mas essa sou eu, uma louca por livros.


Mas como prova de que ler só me traz coisas boas, olha a surpresa: o livro do qual estou falando é o Não Pare! De FML Pepper, quando eu o li, amei, e precisava ler o segundo Não Olhe!, acontece que fiz o bendito do cartão, e os correios me entram em greve, mas eis a grande surpresa, a Pepper encontrou minha resenha de Não Pare! No skoob, e entrou em contato comigo, e ela é tão gentil que acabamos fazendo uma parceria, e assim eu ganhei Não Olhe! De presente, tudo bem agora os correios saíram de greve, meu cartão chegou fazem 4 dias, mas deixa ele guardadinho, quem sabe eu vou precisar de um outro livro e só encontre assim também?


Nossa escrevi demais, kkkk, para varias, mas eu não ia conseguir resumir minha história não.


Espero que quem tenha conseguido chegar até o final aqui, tenha gostado rsrs e entendido um pouco mais do meu amor pelos livros.


Eu costumo pensar, e sentir, que os livros me moldaram um pouco também, não somente as coisas que vivi, as pessoas que conheci, mas os livros também formaram um pouco da pessoa que sou hoje.  Fernanda



Beijos Fê  
                                                                               22/03/2014




2 comentários:

  1. Bom, realmente tu escreveu para caramba....mas deu pra ler mole mole kkkkkk
    Bom, meu amor pela leitura também vem desde cedo, muito cedo e também amo a série vaga lume, um dia vou comprar a coleção completa... é um desejo antigo...lembro de uma outra da mesmo época chamada "pra gostar de ler", não sei se vc lembra, tinha um pintinho numa das capas dos livros...
    fico pensando que de lá para cá... com o poder aquisitivo aumentando (agora eu trabalho, antes era din din da mesada) fica mais "fácil" (ou não, né?) comprar livros!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkk

    Rê eu não consigo escrever pouco, eu tento, mas não vai, é mais forte que eu rsrs.
    Mas que bom que conseguiu ler fico feliz!
    Nossa eu também quero a seleção completa, lembro sim desse ai, mas acho que não me marcou tanto quando os outros, outra série que me lembro que eu amava e fui achar ela de novo esses dias era a Salve-se quem puder, acho que veio dai meu amor pelos policiais, era tipo livros interativos sabe? tinha que investigar, achar pistas, nossa muito legal mesmo, eu quero muito comprar esses também.
    Ha isso e que os livros baixaram muito o preço, lembro que quando eu me apaixonei por Sheldon um livro dele era 60,00; 70,00 reais, não tinha como comprar e hoje tudo mudou, graças a Deus rsrs.

    Beijossssss

    ResponderExcluir